1. Pesquisadores da ENSP cobram ética em pesquisa

    Ricardo Ventura Santos e Carlos Coimbra Jr. são pesquisadores do Departamento de Endemias da ENSP que, na segunda-feira (09/05), publicaram um artigo no jornal "O Globo" sobre a comercialização de amostras de sangue dos povos indígenas Suruí e Karitiana. A biopirataria estava em foco. Mas o alvo não era apenas este. Ricardo e Carlos, que desenvolvem pesquisas com populações indígenas em várias regiões do Brasil, tinham o objetivo de discutir dimensões éticas relacionadas à coleta de amostras biológicas oriundas de povos indígenas. Saiba mais e confira a entrevista com Ricardo Ventura Santos.

  2. Brasil é o mais avançado da América Latina em legislações de propriedade industrial que beneficiam a Saúde Pública

    Gabriela Costa Chaves, pesquisadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica, do Departamento de Ciências Biológicas da ENSP, nem imaginava que poucos dias antes da apresentação de sua dissertação "O Processo de Implementação do Acordo Trips da OMC em Países da América Latina e Caribe: análise das legislações de propriedade industrial sob a ótica da saúde pública", a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovaria, na quarta-feira (1/06), projeto que autoriza o governo a não reconhecer patentes de medicamentos para o tratamento da Aids. Os resultados de sua pesquisa apontam o Brasil como o país mais avançado da América Latina em legislações de propriedade industrial que beneficiam a Saúde Pública.

  3. ENSP investe em uma nova política para os alunos

    O ano letivo está começando e, com isso, passam a circular pela Escola cerca de 800 alunos, ou melhor, profissionais que se juntam aos que aqui trabalham para trocar experiências e idéias. Quem melhor para apresentar a ENSP e falar sobre a nova política da Escola para os estudantes do que o ex-aluno e atual diretor, desde maio de 2005, Antonio Ivo de Carvalho?