1. Entrevista: “Muitas agricultoras são executadas; então, somos milhares de Marielles”, afirmou a agrofeminista Rita Barbosa

    A agricultora e moradora da Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, na Fiocruz Mata Atlântica, Rita Barbosa, a d. Rita, é uma das produtoras da Feira Josué de Castro, na ENSP. Integrante da Rede Carioca de Agricultura Urbana (Rede Cau), ela comercializa o que é plantado em seu quintal: verduras, ervas e o xarope, que aprendeu com sua mãe. Dona do seu meio de sobrevivência, não se conforma com a estrutura patriarcal que dificulta a vida das agricultoras.
     
     

  2. Entrevista: 'Eu sou uma enlameada da periferia desta cidade', destacou a aluna da ENSP, Miriam Amaral

    Na última década, o Brasil ampliou o acesso das camadas mais pobres à universidade, o que redundou na democratização do conhecimento e protagonismo de lideranças como Marielle Franco, que não só adentrou o ensino superior, como também continuou sua formação, tornando-se mestre. Na sequência, esse quadro trouxe ao país teóricos mais contundentes que articularam o cabedal teórico à força do lugar de fala.   

  3. Entrevista: O ativismo em poesia de Jessica Marcele

    Negros e jovens são os mais vitimados pela violência no Brasil. Segundo o Atlas da Violência 2017, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. Jovens do sexo masculino, entre 15 e 29 anos, correspondem a 47,85% do total de óbitos. As mulheres negras são as maiores vítimas de homicídio. De acordo com o Dossiê Mulher 2018, a cada três mulheres assassinadas, duas são negras. 

  4. Entrevista: Paulo Amarante comenta mudanças na política de Saúde Mental

    Paulo Amarante, coordenador do Laboratório de Atenção Psicossocial da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (LAPS/ENSP/Fiocruz), integrante do Grupo Temático Saúde Mental da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e presidente de honra da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme), fala sobre os retrocessos que a Nota Técnica do Ministério da Saúde, publicada em 5 de fevereiro, pode trazer a Política Nacional de Saúde Mental.