1. Entrevista: aluna da ENSP comenta o processo de organização estudantil

    “O Fórum apoia coletivos e organizações de base popular e trabalhista que visem ao fortalecimento do SUS, dos direitos sociais e lutem por uma sociedade justa, solidária e inclusiva”, destacou a representante dos alunos no Conselho Deliberativo, a mestranda do programa de Epidemiologia em Saúde Pública, Elizabeth Leite.  
     

  2. Entrevista: Doulas promovem atividades no Centro de Saúde da ENSP

    No dia 26 de abril, aconteceu o Dia da Grávida no Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP). O evento, realizado em parceria com a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) e a Associação de Doulas do Rio de Janeiro (Adoulas RJ), promoveu rodas de conversas, aromaterapia, técnicas de sling, de massagens e de acupressão para mães, gestantes e pais. 
     

  3. Entrevista: “Vários fatores contribuem para as enchentes. Para resolvê-las, é necessário pensar em cidades sensíveis à agua”, assegurou a pesquisadora da ENSP, Débora Cynamon Kligerman

    A culpa não é das estrelas tampouco da natureza, como vêm afirmando há anos governantes da cidade do Rio de Janeiro. As ações do homem sobre o planeta e a falta de planejamentos municipal, estadual e federal tornaram-se os vilões dos estragos agravados pelas chuvas torrenciais caídas no município nos dias 10 e 11 de abril. 

  4. Entrevista: “Muitas agricultoras são executadas; então, somos milhares de Marielles”, afirmou a agrofeminista Rita Barbosa

    A agricultora e moradora da Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, na Fiocruz Mata Atlântica, Rita Barbosa, a d. Rita, é uma das produtoras da Feira Josué de Castro, na ENSP. Integrante da Rede Carioca de Agricultura Urbana (Rede Cau), ela comercializa o que é plantado em seu quintal: verduras, ervas e o xarope, que aprendeu com sua mãe. Dona do seu meio de sobrevivência, não se conforma com a estrutura patriarcal que dificulta a vida das agricultoras.
     
     

  5. Entrevista: 'Eu sou uma enlameada da periferia desta cidade', destacou a aluna da ENSP, Miriam Amaral

    Na última década, o Brasil ampliou o acesso das camadas mais pobres à universidade, o que redundou na democratização do conhecimento e protagonismo de lideranças como Marielle Franco, que não só adentrou o ensino superior, como também continuou sua formação, tornando-se mestre. Na sequência, esse quadro trouxe ao país teóricos mais contundentes que articularam o cabedal teórico à força do lugar de fala.