1. Entrevista: 'Eu sou uma enlameada da periferia desta cidade', destacou a aluna da ENSP, Miriam Amaral

    Na última década, o Brasil ampliou o acesso das camadas mais pobres à universidade, o que redundou na democratização do conhecimento e protagonismo de lideranças como Marielle Franco, que não só adentrou o ensino superior, como também continuou sua formação, tornando-se mestre. Na sequência, esse quadro trouxe ao país teóricos mais contundentes que articularam o cabedal teórico à força do lugar de fala.   

  2. Entrevista: O ativismo em poesia de Jessica Marcele

    Negros e jovens são os mais vitimados pela violência no Brasil. Segundo o Atlas da Violência 2017, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. Jovens do sexo masculino, entre 15 e 29 anos, correspondem a 47,85% do total de óbitos. As mulheres negras são as maiores vítimas de homicídio. De acordo com o Dossiê Mulher 2018, a cada três mulheres assassinadas, duas são negras. 

  3. Entrevista: Paulo Amarante comenta mudanças na política de Saúde Mental

    Paulo Amarante, coordenador do Laboratório de Atenção Psicossocial da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (LAPS/ENSP/Fiocruz), integrante do Grupo Temático Saúde Mental da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e presidente de honra da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme), fala sobre os retrocessos que a Nota Técnica do Ministério da Saúde, publicada em 5 de fevereiro, pode trazer a Política Nacional de Saúde Mental.

  4. Entrevista: Cuidado com o câncer de pele no verão

    Todo o verão aumentam as atividades realizadas ao ar livre. Porém, é nesta estação que a radiação solar incide com mais intensidade sobre a Terra, aumentando o risco de queimaduras, câncer da pele e outros problemas. O uso de bloqueadores, a constante hidratação e horários mais adequados para a exposição são fundamentais para aproveitar a estação mais quente do ano sem colocar a saúde em risco.

  5. Entrevista: Aluna da ENSP fala sobre a criação do Coletivo Negro

    Mayra da Cruz Honorato, estudante do primeiro ano do mestrado acadêmico em Saúde Pública na ENSP, formada em psicologia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e integrante do Grupo Preto de Psicologia Ìmárale fala sobre a criação do Coletivo Negro na Fiocruz, por um grupo de estudantes, e a participação da população negra na academia.