1. Especialistas falam da saúde na América Latina

    Por ocasião da visita de uma das pesquisadoras mais representativas da corrente da medicina social latino-americana, Asa Cristina Laurell, que participou de uma videoconferência promovida pelo mestrado profissional em Saúde Global e Diplomacia da Saúde, coordenado pela pesquisadora Célia Almeida, foi realizado um encontro com pesquisadores de diferentes nações e instituições na ENSP, em 20 de fevereiro. O diretor da Escola, Antônio Ivo de Carvalho, destacou a importância das ideias e proposições de Asa Laurell para a saúde pública. "Conhecida como formuladora de políticas, Asa sempre marcou sua identidade pelos princípios de referência democrática. Seu exemplo é uma inspiração para as reflexões da academia e das políticas estratégicas de saúde. Seus ideais de solidariedade, cobertura universal de saúde e acesso irrestrito aos serviços e bem-estar social são fundamentais para essa luta ganhar novos contornos na América Latina", disse.

  2. ENSP recebe Asa Laurell para videoconferência

    Na quarta-feira (20/2), a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP) receberá Asa Cristina Laurell, uma das pesquisadoras mais representativas da corrente da medicina social latino-americana. Autora de 10 livros e mais de 50 artigos publicados em revistas científicas, Asa participará de uma videoconferência no âmbito do mestrado profissional em Saúde Global e Diplomacia da Saúde. A atividade ocorrerá simultaneamente na ENSP e na Fiocruz Brasília e contará com a interação dos alunos do curso e de outros convidados. Restrito a esses participantes, o evento dá continuidade à iniciativa realizada desde o ano passado, quando a Escola recebeu o cientista político e professor da UFRJ José Luis Fiori, para ministrar a primeira aula oferecida na instituição por meio da nova tecnologia.

  3. Tratamentos impulsionam estudos brasileiros no exterior

    Dar continuidade à pesquisa desenvolvida no mestrado e iniciar outra. Com esse propósito, Enrico Mendes Saggioro, aluno do Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente da ENSP e integrante do Laboratório de Ecotoxicologia do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP), passará cerca de oito meses em Almeria, na Espanha, para realizar parte de seu doutorado-sanduíche no âmbito do programa Ciência sem Fronteiras. Orientado pelo pesquisador do Cesteh Josino Costa Moreira, Enrico desenvolverá inovador estudo noCentro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas (Ciemat). Sua pesquisa pretende analisar novas substâncias - chamadas poluentes emergentes - que vem sendo detectadas nas águas de esgoto da cidade espanhola.

  4. ENSP será órgão operativo do segundo Programa EUROsociAL Salud

    Maria Helena Mendonça, vice-diretora de Pós-Graduação da ENSP, fala sobre o segundo Programa EUROsociAL Salud. O programa, que visa à coalizão social na América Latina pelo envolvimento da saúde e educação, foi lançado em 2004. Esta fase atual, com foco central na equidade em saúde, contará com uma forte participação da ENSP, por meio da Escola de Governo e dos Núcleos de Recursos Humanos. 
     

  5. Brasil e França fortalecem cooperação

    Dando continuidade ao projeto de cooperação técnica entre a ENSP e a Escola de Altos Estudos em Saúde Pública da França (EHESP, na sigla em francês), a Fiocruz recebeu uma comitiva francesa na manhã do dia 31/1. Entre os assuntos tratados na reunião estavam: a análise das experiências adquiridas nas áreas da gestão hospitalar e do cuidado; a discussão de estratégias pedagógicas para um futuro programa de formação no EHSP; a reorganização e expansão da oferta de serviços dos novos institutos nacionais de referência da Fiocruz - Infectologia e o Instituto da Mulher e da Criança; e a promoção do intercâmbio de professores e alunos. A comitiva francesa se mostrou especialmente interessada na expertise da ENSP em relação à reorganização da atenção básica brasileira e ao exemplo do Teias-Escola Manguinhos, bem como na questão dos Determinantes Sociais em Saúde e no processo de acreditação pedagógica da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública para cursos lato sensu.

     

  6. Cooperação tripartite promove novos módulos de curso de Epidemiologia

    Promovida pela Fiocruz e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em parceria com a Direção de Epidemiologia e Laboratórios de Pesquisa (DELR) do Ministério da Saúde e da População do Haiti (MSPP), a capacitação de 30 profissionais de saúde haitianos inicia o terceiro e o quarto módulo do curso de especialização em Epidemiologia. Dirigido aos técnicos dos dez departamentos sanitários haitianos, os módulos ocorrem de 7 a 25 de janeiro, em Côte des Arcadins, Montrouis. Os módulos atualmente em andamento têm como temas a epidemiologia descritiva e indicadores epidemiológicos e contaram com a presença do coordenador haitiano da cooperação tripartite, Jean-Hugues Henrys. A epidemiologista da ENSP Joyce Mendes está à frente do curso.

  7. Saúde global: ENSP tem forte participação em congresso

    Compartilhar conhecimento e fortalecer parcerias para investigação, educação e defesa da saúde global na América Latina e no Caribe. Esses foram os objetivos do 2º Congresso Latino-Americano e do Caribe sobre Saúde Global - Transcendendo Fronteiras para a Equidade em Saúde, realizado, de 9 a 11 de janeiro, no Chile. O encontro teve intensa participação da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP) em sua organização e com a presença de seus pesquisadores e departamentos. Além disso, a Escola de Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do Chile é parceira e membro integrante da Rede de Escolas de Saúde Pública (Resp/Unasul), cuja secretaria executiva está sob a responsabilidade do diretor da ENSP/Fiocruz, Antônio Ivo de Carvalho.

  8. ENSP fortalece cooperação com instituições peruanas

    Com o objetivo de fortalecer o acordo de cooperação bilateral com instituições peruanas, a ENSP recebeu novamente uma comitiva desse país na Escola. As ações, que são desenvolvidas no âmbito da Rede de Escolas de Saúde Pública da América do Sul (Resp/Unasul) envolvem o mestrado em Saúde Pública, curso de especialização em Biossegurança em Saúde e a assessoria técnica para a formação de uma escola de saúde pública no Peru. A coordenadora da Cooperação Internacional da ENSP, Erica Kastrup, comentou que, nesta última visita ao Brasil, realizada em 14/12, surgiram novas demandas, entre elas o possível desenvolvimento de mais um curso de mestrado. 

     

  9. Inscrições para doutorado internacional até 21 de dezembro

    Estão abertas as inscrições para o doutorado internacional Direitos Humanos, Saúde Global e Políticas da Vida, criado mediante convênio entre a Fundação Oswaldo Cruz e o Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra - Portugal. O curso, cuja titulação será concedida pelo convênio Fiocruz/CES, é estruturado com base em três temas centrais que definem desafios à saúde no mundo contemporâneo: Direitos Humanos e Saúde; Conhecimento e Justiça Cognitiva; Globalização e Políticas da Vida. O doutorado terá 20 vagas, sendo 10 oferecidas pela Fiocruz, segundo os programas participantes a partir das linhas de pesquisa, e as outras 10 pelo CES/Portugal. O doutorado internacional é coordenado no Brasil pela coordenadora-geral de Pós-Graduação da Fiocruz, Maria Cristina Guilam, e pelo diretor do CES, Boaventura Souza Santos, em Portugal. Os professores João Arriscado Nunes e Maria Helena Barros são os coordenadores adjuntos. As inscrições estão abertas até 21 de dezembro de 2012 e devem ser feitas na Plataforma Sigas Stricto Sensu.

  10. Segurança do paciente é tema de formação profissional

    Em uma inédita parceria, a ENSP vai desenvolver, junto com a Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa (Ensp/UNL), Portugal, o curso de especialização Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente, na modalidade a distância. Além do Brasil, essa formação será oferecida para Portugal e ainda para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (Palops). A ideia é que, em sua primeira chamada, mais de mil alunos sejam formados. A ação inicial prevê a organização e desenvolvimento do conteúdo e da estratégia pedagógica. Seguindo a política adotada pela Escola, assim que seu conteúdo estiver pronto, todo o material didático do curso ficará em acesso aberto.