1. Experiências brasileira e francesa em hospitais em debate

    No último dia (17/5) do I Colóquio Franco-Brasileiro de Política Hospitalar, uma cooperação técnica entre a ENSP e a Escola de Altos Estudos em Saúde Pública da França (EHESP), ocorreram três mesas de apresentação e debate. Especialistas brasileiros e franceses trouxeram experiências importantes e desafios para a área hospitalar. Em pauta, temas como mudanças organizacionais em centros hospitalares de alta complexidade; como deve ser um hospital do futuro; e a construção de hospitais eficientes.

  2. Brasil e França discutem gestão hospitalar de alta complexidade

    O papel dos hospitais de alta complexidade no sistema nacional de saúde e o desafio da criação de dois Institutos Nacionais vinculados à Fiocruz - o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF) e o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (Ipec) - estão em discussão no 1º Colóquio Franco-Brasileiro de Política Hospitalar: o Desafio da Gestão dos Centros Hospitalares de Alta Complexidade. O evento, que ocorre de 15 a 17 de maio no Hotel Everest, no Rio de Janeiro, é fruto da cooperação técnica em gestão hospitalar firmada entre a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) e a Ecole des Hautes Études em Santé Publique (EHESP).

  3. Fiocruz amplia parceria com instituições de saúde peruanas

    Dando continuidade à parceria com instituições de saúde peruanas, a Fiocruz recebeu, no dia 25/4, a visita da ministra da Saúde do Peru, Midori Habish, e do chefe institucional do Instituto Nacional de Saúde (INS) peruano, César Cabezas, para a elaboração de um plano de trabalho preliminar que prevê ações nas áreas de recursos humanos e de produção de medicamentos e vacinas. O documento foi baseado no memorando de entendimento assinado na quarta-feira (24/4), em Brasília, entre os Ministérios da Saúde brasileiro e peruano. Para Midori, o acordo aprofunda a cooperação entre a Fiocruz e o Peru em um momento oportuno, já que o país está passando por uma reforma no sistema público de saúde. “A Fiocruz é uma instituição de excelência em termos de inovação, pesquisa e desenvolvimento. Acreditamos que a cooperação fortalecerá nosso Instituto Nacional de Saúde”, declarou.

  4. ENSP auxilia Moçambique na elaboração de mestrado

    Um novo curso de mestrado está sendo desenvolvido pela ENSP e o Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (CPqAM/Fiocruz). Intitulado Sistemas de Saúde para Moçambique, o curso foi idealizado a partir da necessidade de melhoria das condições de saúde da população e é fruto da boa relação entre o Brasil e o país africano e, em especial, entre a Fiocruz e o Instituto Nacional de Saúde (INS). O desenho do curso, cujo objetivo é fortalecer o sistema nacional de saúde de Moçambique, e sua adequação cabem à Escola e ao CPqAM, com apoio da Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC/Fiocruz). O novo mestrado integra a cooperação bilateral estabelecida há cerca de seis anos entre a Fiocruz e o INS e tem foco na formulação de políticas nacionais de saúde.

  5. ENSP recebe evento sobre farmacoepidemiologia

    O Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF/ENSP) e o Instituto Karolinska, da Suécia, realizarão, de 15 a 17 de abril, o seminário internacional Pharmacoepidemiology research in Latin America. O encontro reunirá pesquisadores de dez países com o intuito de compartilhar experiências sobre as pesquisas em farmacoepidemiologia e construir uma rede de investigação sobre o tema. A atividade será encerrada na quarta-feira (17/4), com uma edição do Centro de Estudos (Ceensp) cujo tema é Farmacoepidemiologia e tomada de decisão em sistemas de saúde. Os dois primeiros dias do seminário são reservados a convidados.

  6. Escola recebe visita de pesquisadora americana

    A ENSP recebeu, nesta terça-feira, 19/3, a visita da professora da Faculdade Mailman de Saúde Pública, da Columbia University Global Centers, Linda Fried. A vinda da pesquisadora tem como objetivo estreitar a relação entre a ENSP e este centro de pesquisa, além de levantar possíveis áreas para o estabelecimento de acordos de cooperação técnica.

  7. Brasil e Venezuela: artigo aborda desafios da cooperação entre países

    Com o objetivo de discutir as questões da cooperação internacional em saúde entre o Brasil e a Venezuela, foi publicado, na revista eletrônica Tempus – Actas de Saúde Coletiva, o artigo “Desafios da Cooperação Internacional Sul-Sul: Brasil e Venezuela, um processo horizontal, sustentável e estruturante”. O texto tem por foco a estruturação de uma Escola de Governo e de uma Rede Colaborativa de Instituições Formadoras no âmbito da Saúde, com vistas à formação de trabalhadores.

  8. Ações fortalecem acreditação pedagógica de cursos

    No âmbito do fortalecimento das ações em torno da acreditação pedagógica dos cursos lato sensu, uma equipe da secretaria executiva da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública integrou uma missão que visitou, neste ano, a École des Hautes Études en Santé Publique, em Rennes (França). Realizada de 15 a 23 de fevereiro, a visita pretendeu estruturar as bases de cooperação entre a instituição francesa e a ENSP/Fiocruz, por meio da Rede de Escolas e Centros Formadores. O principal objetivo da missão foi a conformação da Agência Acreditadora de Cursos Lato Sensu em Saúde Pública, que será sediada na Abrasco, também parceira no projeto. A iniciativa pioneira de acreditação pedagógica foi lançada durante o 10º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, o Abrascão, em 2012.

  9. Fiocruz participa de ações para a saúde de mulheres haitianas

    No dia 8 de março é celebrado o Dia Internacional da Mulher. Além de simbolizar as lutas das mulheres por seus direitos ao longo dos anos, a data também adverte para uma série de problemas de gênero que incidem em diversos países, principalmente nos latino-americanos como o Haiti. O país, que em 2010 sofreu forte abalo em seu sistema de saúde provocado por um terremoto, possui um dos índices mais elevados de mortalidade materna no mundo.

  10. Especialistas falam da saúde na América Latina

    Por ocasião da visita de uma das pesquisadoras mais representativas da corrente da medicina social latino-americana, Asa Cristina Laurell, que participou de uma videoconferência promovida pelo mestrado profissional em Saúde Global e Diplomacia da Saúde, coordenado pela pesquisadora Célia Almeida, foi realizado um encontro com pesquisadores de diferentes nações e instituições na ENSP, em 20 de fevereiro. O diretor da Escola, Antônio Ivo de Carvalho, destacou a importância das ideias e proposições de Asa Laurell para a saúde pública. "Conhecida como formuladora de políticas, Asa sempre marcou sua identidade pelos princípios de referência democrática. Seu exemplo é uma inspiração para as reflexões da academia e das políticas estratégicas de saúde. Seus ideais de solidariedade, cobertura universal de saúde e acesso irrestrito aos serviços e bem-estar social são fundamentais para essa luta ganhar novos contornos na América Latina", disse.