1. Diretor da ENSP assume Rede de Escolas da Unasul

    Unir esforços para ampliar a formação em saúde pública nos países da América do SUL foi o principal compromisso firmado pelo diretor da ENSP, Hermano Castro, durante a reunião conjunta entre a Rede de Escolas de Saúde Pública da América do Sul (Resp) e o Grupo Técnico de Desenvolvimento de Recursos Humanos em Saúde, ambos da União de Nações Sul-Americanas (Unasul). Hermano Castro assumiu oficialmente a Secretaria Executiva da Rede. A reunião foi realizada em Recife e antecedeu o III Fórum Global de Recursos Humanos em Saúde. Na ocasião, também ocorreu o encontro entre as redes estruturantes: Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags), Resp, Rede dos Institutos Nacionais de Saúde (Rins), Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (Rets), Rede de Instituições Nacionais de Câncer (Rinc) e Rede de Assessorias de Relações Internacionais e de Cooperação Internacional em Saúde (Redssur-Oris).

  2. Resp divulga dados de formação em saúde

    Está acontecendo, em Recife, a reunião conjunta da Rede de Escolas de Saúde Pública da América do Sul (Resp) e do Grupo de Trabalho de Recursos Humanos em Saúde, ambos da União de Nações Sul-Americanas (Unasul). Este encontro precede o III Fórum Global de Recursos Humanos em Saúde, que será realizada entre os dias 10 e 13 de novembro, também em Recife, que discutirá as principais questões que dizem respeito à força de trabalho do setor. Durante a reunião, os pesquisadores da ENSP, Inácio Jardim Motta e Sandra Siqueira apresentaram os resultados preliminares da etapa quantitativa do mapeio da educação em saúde pública da América do Sul. 

  3. Pesquisadoras falam da cooperação Brasil-Venezuela

    Com base na experiência desenvolvida entre a ENSP e o Instituto de Altos Estudos em Saúde Doutor Arnaldo Gabaldón da Venezuela (IAE), Érica Kastrup e Luisa Regina Pessôa, pesquisadoras da ENSP, apresentaram o artigo de sua autoria "Desafios da Cooperação Internacional Sul-Sul: Brasil e Venezuela, um processo horizontal, sustentável e estruturante" na revista Saúde em Debate, do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes). O texto teve como foco a estruturação de uma Escola de Governo e de uma Rede Colaborativa de instituições formadoras no âmbito da saúde, visando à formação de trabalhadores venezuelanos.

  4. ENSP sediará plenária sobre determinantes sociais

    Evento internacional na ENSP discutirá o papel da pesquisa sobre os determinantes sociais da saúde na implementação da Declaração do Rio. A sessão plenária, marcada para o dia 24/10, às 10 horas, no salão internacional da Escola, ocorrerá no âmbito do evento regional Meetings and Third Steering Group Meeting SDH-Net, com a participação de representantes de 11 instituições de ensino e pesquisa da América Latina, Europa e África. Segundo o coordenador do Centro de Estudos Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde (Cepi-DSS/ENSP), Alberto Pellegrini Filho, será uma oportunidade de avaliar em que medida a Conferência Mundial sobre Determinantes Sociais da Saúde (CMDSS) cumpriu seu objetivo de promover o enfoque dos DSS na formulação das políticas públicas dos diversos países que compõem a Organização Mundial da Saúde (OMS). Aberta ao público, a sessão terá tradução simultânea e transmissão on-line pelo Portal ENSP.

  5. Direito e saúde: curso abordará perspectiva internacional

    A partir das experiências de Portugal, Moçambique e do Brasil, o Grupo de Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman (Dihs/ENSP) criou o Curso Internacional Direito e Saúde. A nova edição, prevista para ocorrer entre os dias 18 e 29/11, abordará a relação desses países na perspectiva internacional do direito e da saúde. O curso pretende aprofundar as análises da concepção de algumas questões levantadas pela área de direitos humanos e refletir sobre aspectos da temática gênero e sexualidade. Professores convidados do Brasil e do exterior integram o corpo docente. As inscrições são limitadas e poderão ser feitas até o dia 25/10. 

  6. Curso internacional de Direito e Saúde: inscrições até 25/10

    O Grupo Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman (Dihs) está com inscrições abertas para o curso internacional Direito e Saúde até o dia 25 de outubro. Voltado para os alunos de mestrado e doutorado dos Programas de Pós-Graduação da Fiocruz ou de outras instituições, o curso, a ser realizado de 18 a 29 de novembro, promoverá, a partir das experiências de Portugal, Brasil e Moçambique, uma reflexão acerca dos aspectos que compõem o atual campo do conhecimento em direito e saúde.

  7. Novas práticas de conhecimento devem ser legitimadas

    Sob a mediação do professor Jairo da Matta, pesquisador do Grupo de Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman (Dihs/ENSP/Fiocruz), a segunda mesa do primeiro dia (8/10) do VIII Seminário Internacional Direito e Saúde e XII Seminário Nacional Direito e Saúde continuou a discussão da produção de conhecimento na academia e os saberes práticos que respondem às demandas dos movimentos sociais. Na abertura do debate sobre o Conhecimento emancipatório na luta pelos direitos humanos, Paulo Amarante, coordenador do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial (Laps/ENSP/Fiocruz) e presidente da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme), tratou da experiência da luta antimanicomial.

  8. Mesa debate experiências dos movimentos sociais

    A terceira mesa do VIII Seminário Internacional e XII Seminário Nacional Direito e Saúde, realizada na manhã do dia 9/10, discutiu o tema Movimentos sociais como construção do conhecimento. Coordenada pela pesquisadora da ENSP Lucia Souto, a atividade reuniu representantes de diferentes frentes, que falaram sobre os movimentos das mulheres e de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBTTTs), o Teatro do Oprimido e as ações dos movimentos na Baixada Fluminense (RJ). O evento é uma iniciativa do Grupo Direitos Humanos e Saúde da ENSP (Dihs).

  9. Norte e Sul diferem na produção do conhecimento

    A relação hierárquica estabelecida entre os países do Hemisfério Norte e os do Sul, no que tange à produção do conhecimento, acaba sendo reproduzida entre os próprios países abaixo da linha do Equador. A dinâmica é a mesma quando envolve a academia e os movimentos sociais nos países dessa região. A conclusão é do professor da Universidad de los Andes, de Bogotá, na Colômbia, Daniel Eduardo Bonilla Maldonado, durante a conferência de abertura do VIII Seminário Internacional e XII Seminário Nacional Direito e Saúde, na terça-feira (8/10), na ENSP. Na opinião do professor, a hierarquização entre os próprios países do Sul e a "supremacia" da academia nesses locais criam diversos obstáculos para garantia da justiça social. 

  10. Assista ao segundo dia do seminário internacional sobre direitos humanos

    É possível, por meio do Portal da ENSP, assistir ao segundo e último dia (9/10) do VIII Seminário Internacional Direito e Saúde e do X Seminário Nacional Direito e Saúde, promovidos pelo Grupo Direitos Humanos e Saúde (Dihs) e o Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental (Laps), ambos da ENSP. O tema central dos encontros é AProdução do Conhecimento e os Movimentos Sociais na Construção dos Direitos Humanos em Saúde. Os eventos ocorrem no auditório térreo da Escola.