1. ENSP participa de reunião da Rede de Escolas no Equador

    Para discutir critérios mínimos de qualidade e estrutura de currículos comuns na graduação em saúde pública para a América do Sul, a ENSP estará em Quito, no Equador, nos dias 6, 7 e 8 de outubro. A oficina sobre formação em saúde pública contará com as presenças do diretor da ENSP, Hermano Castro, do vice-diretor de Escola de Governo, Frederico Peres, e da assessora de Cooperação Internacional, Ana Laura Brandão. Na ocasião, também acontecerá uma reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública, da União de Nações Sul-Americanas (Resp/Unasul), da qual a ENSP é a secretária executiva e representante brasileira.

  2. PPGBIOS passa a integrar cátedra Unesco de bioética

    O Programa de Pós-Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva (PPGBIOS), desenvolvido pela ENSP em associação ampla com a UFRJ, UFF e Uerj, acaba de dar mais um passo em direção à pesquisa e à integração internacional. A partir de agora, o PPGBIOS faz parte da International Network of the Unesco Chair in Bioethics, do Centro Internacional de Saúde, Direito e Ética da Universidade de Israel (Haifa). A sua criação tem como objetivo estimular uma rede internacional de instituições de formação em nível superior e pós-graduação, que fomente o ensino da ética médica em um programa de ponta em países desenvolvidos e em desenvolvimento, e fortaleça a pesquisa nessa área. A Unidade Rio de Janeiro - Brasil foi estabelecida na ENSP em setembro de 2015.

  3. ENSP participa de reunião da Rede de Escolas no Equador

    Para discutir critérios mínimos de qualidade e estrutura de currículos comuns na graduação em saúde pública para a América do Sul, a ENSP estará em Quito, no Equador, nos dias 6, 7 e 8 de outubro. A oficina sobre formação em saúde pública contará com as presenças do diretor da ENSP, Hermano Castro, do vice-diretor de Escola de Governo, Frederico Peres, e da assessora de Cooperação Internacional, Ana Laura Brandão. Na ocasião, também acontecerá uma reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública, da União de Nações Sul-Americanas (Resp/Unasul), da qual a ENSP é a secretária executiva e representante brasileira.

  4. Iniciativas estimulam controle e inibem comércio ilícito do tabaco

    Com o objetivo de padronizar e melhor instrumentalizar os fiscais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o cumprimento da nova regulamentação de controle do tabaco, o Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP) e a Coordenação de Educação à Distância (EAD/ENSP) lançaram a Comunidade de Práticas sobre Controle do Tabaco. Aprovada em 2011, mas regulamentada em 2014, a Lei 12.546 proíbe o ato de fumar cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como halls e corredores de condomínios, restaurantes e clubes - mesmo que o ambiente esteja parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou toldo. "Os fiscais da Anvisa devem ter base para autuar esses ambientes e saber se estão de acordo com a legislação. O propósito é agregar conhecimentos e promover o compartilhamento de informações, experiências e formas de atuação", afirmou a coordenadora do Cetab/ENSP, Valeska Figueiredo.

  5. ENSP dá início a Programa de Estágio Internacional

    Uma antiga demanda de alunos e professores da ENSP, o Programa de Estágio Internacional da Escola tem início nesse sábado, 19 de setembro, com o embarque da primeira turma de alunos para Cuba. Nessa primeira oferta foram privilegiados os Programas de Residência (Multiprofissional e Médica), que selecionaram oito alunas (duas do Programa de Residência Médica e seis do Programa de Residência Multiprofissional) para compor o grupo de estagiários que atuarão durante 15 dias em unidades de saúde de Havana e municípios próximos, sob a supervisão de professores da Escola Nacional de Saúde Pública de Cuba (ENSAP), com a qual a ENSP mantém acordo de colaboração e histórico de cooperação em pesquisa e ensino.

  6. ENSP colabora na implantação da Escola de Governo em Saúde na Argentina

    Apesar da rivalidade no esporte, no campo da Saúde Pública Brasil e Argentina mantêm uma parceria histórica na formação dos respectivos sistemas de saúde. E esta cooperação será ampliada ainda mais, uma vez que a ENSP está ajudando na consolidação de uma Escola de Governo em Saúde (EGS) no referido país sul-americano. Inaugurada agora em julho, a EGS Argentina pretende, inicialmente, oferecer uma pós-graduação stricto sensu na área de gestão de epidemiologia em diferentes programas de formação. Para colaborar neste processo, a Direção da ENSP recebeu a visita de representantes do Ministério da Saúde da Argentina para articular melhor esta parceria. Pela Escola, participaram da reunião o diretor Hermano Castro e o vice-diretor de Escola de Governo em Saúde, Frederico Peres. Já pelo lado argentino, estiveram presentes o secretário de Políticas, Regulação e Institutos do Ministério da Saúde, Mario Rovere, e o subsecretário de Políticas, Regulação e Fiscalização do MS, Pablo Kohan.

  7. Iniciativas estimulam controle e inibem comércio ilícito do tabaco

    Com o objetivo de padronizar e melhor instrumentalizar os fiscais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o cumprimento da nova regulamentação de controle do tabaco, o Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP) e a Coordenação de Educação à Distância (EAD/ENSP) lançaram a Comunidade de Práticas sobre Controle do Tabaco. Aprovada em 2011, mas regulamentada em 2014, a Lei 12.546 proíbe o ato de fumar cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como halls e corredores de condomínios, restaurantes e clubes - mesmo que o ambiente esteja parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou toldo. "Os fiscais da Anvisa devem ter base para autuar esses ambientes e saber se estão de acordo com a legislação. O propósito é agregar conhecimentos e promover o compartilhamento de informações, experiências e formas de atuação", afirmou a coordenadora do Cetab/ENSP, Valeska Figueiredo.

  8. Diretores de escolas de saúde pública da América Latina discutem cobertura de sistemas de saúde

    Durante sessão plenária da Convenção Internacional de Saúde Pública - Cuba Salud 2015, os Diretores de Escolas de Saúde Pública de Cuba, Brasil, Porto Rico, República Dominicana e Colômbia discutiram o compromisso de suas instituições na garantia do acesso da população aos serviços e programas de saúde na América Latina, assim como os desafios para a ampliação universal da cobertura em saúde em seus países.

  9. ENSP discute, em Cuba, papel da formação em Saúde Pública nas agendas regional e global de saúde

    Convidado a participar da Convenção Internacional de Saúde Pública (Cuba Salud 2015), o diretor da ENSP, Hermano Castro, junto com o vice-diretor de Escola de Governo em Saúde, Frederico Peres, e o coordenador de Serviços Laboratoriais e Ambulatoriais, Marco Menezes, cumpre uma agenda de encontros, reuniões técnicas e apresentações junto a diretores e representantes de diferentes Escolas de Saúde Pública e instituições de ensino e pesquisa em saúde da América Latina. O primeiro evento oficial dessa agenda foi a participação no III Encontro de Saúde Internacional e Cooperação em Saúde, organizado pela Escola Nacional de Saúde Pública de Cuba. Na atividade, Hermano Castro apresentou a contribuição da ENSP/Fiocruz na formação de profissionais da América Latina, muitos dos quais hoje ocupam posições de destaque nos sistemas, programas e serviços de saúde da região.

  10. Pesquisadora integra grupo da OMS para aprovação de novos fármacos

    A pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) Margareth Dalcolmo foi convidada pela Organização Mundial da Saúde, com anuência do governo brasileiro, para integrar, durante um mandato de quatro anos, o Expert Group para Aprovação de Fármacos da OMS. Única brasileira entre o seleto conjunto de especialistas, Dalcolmo vinha trabalhando numa força-tarefa, da própria Organização, para adoção de novos tratamentos da tuberculose no mundo. O Expert Advisory Panel on Drug Evaluation dá chancela para que determinado fármaco seja adotado na montagem do esquema terapêutico de um país.