1. Segurança do Paciente: lançamento de livros e curso marcam 2014

    Promover, proteger e recuperar a saúde é o que se espera dos serviços de saúde. Por isso, provoca espanto quando se fala que o processo de cuidado em saúde pode causar incidentes com danos. Alguns perigos são inerentes a esse processo - como os efeitos colaterais conhecidos de determinados medicamentos. Outros podem ser consequências de erros que acontecem em qualquer ramo de atividade, inclusive na saúde. Para fazer frente à frequência e à magnitude desses problemas, deve-se disseminar a cultura da segurança nos serviços de saúde, cujo objetivo é melhorar a qualidade e os resultados desses serviços. Como uma importante contribuição nesse sentido, no ano de 2014, foram realizados um curso internacional e o lançamento de dois livros Segurança do Paciente: conhecendo os riscos nas organizações de saúde e Segurança do Paciente: criando organizações de saúde seguras, ambos publicados pela EAD/ENSP e a Editora Fiocruz.

  2. ENSP é reconduzida à Secretaria Executiva da Resp para o período 2015-2016

    Foi realizada, entre os dias 10 e 12 de dezembro, na Escola de Saúde Pública Dr. Salvador Allende/Universidade de Chile, em Santiago, a 3ª Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública da Unasul (Resp/Unasul), rede na qual a ENSP representa o Brasil e ocupa a Secretaria Executiva. Do encontro, decidiu-se pela produção conjunta de um documento técnico sobre o panorama da Formação de Saúde Pública na região, atividade que será conduzida pelos representantes de Uruguai e Chile, além da aprovação da proposta de Oficina para discutir e avaliar a Educação profissional e Superior. A ENSP foi reconduzida à Secretaria Executiva da Resp para o período 2015-2016.

  3. Oficina discute preparação do setor saúde em grandes eventos e desastres

    Os setores da saúde, incluindo vigilância sanitária e assistência farmacêutica, estão preparados para lidar com os grandes eventos de massa e os desastres no país? As lições aprendidas durante a Copa do Mundo e os desafios que estão por vir em 2016, com a realização das Olimpíadas na cidade do Rio de Janeiro, têm despertado o interesse da comunidade científica. Para discutir o tema com os profissionais da saúde envolvidos na preparação e resposta aos desastres e aos grandes eventos, a Escola Nacional de Saúde Pública realiza, de 15 a 19 de dezembro, a oficina Elaboração de planos de preparação para desastres no setor saúde, ministrada pela professora emérita da UCLA e pesquisadora do Center for Public Health and Disasters - University of Utah, Kimberley Shoaf. 

  4. Reunião debaterá formação em Saúde Pública para Unasul

    De 10 a 12 de dezembro acontecerá, em Santiago do Chile, a Terceira Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública (Resp/Unasul) com a finalidade de debater os desafios da formação em Saúde Pública para a região. O encontro reunirá representantes dos 12 países que integram União de Nações Sul-Americanas. A comitiva brasileira que participará das atividades é composta pelo diretor da ENSP e secretário executivo da Resp, Hermano Castro, o vice-diretor da instituição, Frederico Peres, Caco Xavier e Francisco Salazar, da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública, além de representantes do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz) e do Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags).

  5. Coordenador do Observatório Tuberculose Brasil da ENSP é novo secretário da Stop TB Brasil

    Nos dias 27 e 28 de novembro, na sede da Fiocruz Brasília, o coletivo da Parceria Brasileira contra a Tuberculose (Stop TB Brasil) se reuniu em uma assembleia comemorativa aos 10 anos da sua criação. Durante o evento, Carlos Basilia, coordenador de advocacy, comunicação e Mobilização Social do Observatório Tuberculose Brasil da ENSP, e membro do segmento ativismo da Parceria, foi eleito pelo como novo secretário executivo da Stop TB Brasil para o biênio 2015/2016.

  6. ENSP estabelece parceria para fortalecer ensino na África e América do Sul

    O vice-diretor de Escola de Governo em Saúde da ENSP, Frederico Peres, esteve, no mês de novembro, a Escola de Saúde Pública e Medicina Tropical da Universidade de Tulane, na cidade de Nova Orleans (EUA). A visita serviu para discutir uma parceria para o desenvolvimento de cursos e programas de formação em Saúde Pública na África e na América do Sul, além de possibilitar o intercâmbio discente e docente entre alunos e professores da Escola e da universidade americana.

  7. ENSP e Johns Hopkins estabelecem parceira para intercâmbio docente e discente

    Considerada a melhor Escola de Saúde Pública do mundo, a Bloomberg School of Public Health da Johns Hopkins University, em Baltimore - EUA, recebeu em visita oficial o vice-diretor de Escola de Governo da ENSP, Frederico Peres. À convite da Universidade Americana, Frederico Peres se reuniu com chefes de diversos departamentos da Bloomberg School of Public Health, e também com o vice-diretor da Escola, Stephen J. Gange. Na ocasião foram discutidas áreas de interesse comum de cooperação entre as Escolas, em especial a colaboração em pesquisas, o intercâmbio docente e discente, a oferta conjunta de cursos de curta duração, além da realização de seminários.

  8. Cesteh deverá manter o certificado internacional de acreditação

    Entre os dias 10 e 11 de novembro, o Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) recebeu a visita de representantes da Joint Commission International (JCI), organização de acreditação com maior experiência no mundo em avaliação de serviços, para pleitear a manutenção do certificado de qualidade internacional de serviços laboratoriais e ambulatoriais. Para o chefe do Centro, Antonio Sergio Fonseca, o sucesso do processo, independente do resultado final, se deve inteiramente aos cerca de 100 trabalhadores que se mobilizaram incansavelmente desde a primeira avaliação, em 2011, para que todos os padrões exigidos pelas instituições avaliadoras fossem alcançados. "A acreditação é um processo que requer muita dedicação, atenção e intensão, e, por isso, poderemos conseguir novamente a certificação, pois durante todo tempo estivemos juntos em prol do nosso objetivo", destacou.

  9. 'Parto normal é a preferência de 85% das mulheres no mundo'

    "A cesarianas acarretam alto custo para os sistemas de saúde no mundo, e somente 15% das mulheres preferem esse tipo de parto". A constatação é do médico obstetra José Belizán, que participou da mesa Cesariana e intervenções obstétricas sobre a mulher e os recém-nascidos, realizada no último dia da Ecos da 9th International Research Conference - Normal é natural: da pesquisa à ação, dia 16 de outubro. "Podemos dizer claramente que as mulheres em todo o mundo preferem o parto vaginal. E preferem por quê? Principalmente por causa da rápida recuperação. A mulher é um membro muito importante para toda família e ter uma reabilitação imediata no pós-parto faz diferença", explicou o palestrante.

  10. Mesa destaca os múltiplos significados do parto em seminário no Rio

    "O uso da tecnologia não-invasiva no parto passa muito mais pelo não invadir, pelo respeitar a vontade da mulher". A fala da enfermeira obstetra Vânia Collaço, do grupo Hanami, traduziu as discussões da mesa Tecnologias não-invasivas de cuidado na assistências ao parto, realizada na Conferência Internacional Ecos da 9th International Research Conference - Normal é natural: da pesquisa à ação. A atividade contou também com a participação do professor da Faculdade de Enfermagem da Uerj Octávio Muniz, que destacou os múltiplos significados do parto.