1. Novo aplicativo vai permitir denúncias sobre conteúdo impróprio nos meios de comunicação

    Pesquisas indicam que a exposição de crianças e adolescentes a conteúdos inadequados veiculados nos meios de comunicação pode ocasionar sérios problemas, como comportamento agressivo, medo, ansiedade, concepções errôneas sobre a violência real e sexualização precoce. Atenta a essa questão, a pesquisadora Claudia Galhardi foi em busca de respostas. O resultado de suas investigações levou ao desenvolvimento do Eu fiscalizo, aplicativo que será lançado durante audiência pública promovida pela comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa no dia 10 de fevereiro, às 9h, no Senado Federal, em Brasília. 
     

  2. Novo aplicativo vai permitir denúncias sobre conteúdo impróprio nos meios de comunicação

    Pesquisas indicam que a exposição de crianças e adolescentes a conteúdos inadequados veiculados nos meios de comunicação pode ocasionar sérios problemas, como comportamento agressivo, medo, ansiedade, concepções errôneas sobre a violência real e sexualização precoce. Atenta a essa questão, a pesquisadora Claudia Galhardi foi em busca de respostas. O resultado de suas investigações levou ao desenvolvimento do Eu fiscalizo, aplicativo que será lançado durante audiência pública promovida pela comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa no dia 10 de fevereiro, às 9h, no Senado Federal, em Brasília. 
     

  3. ENSP participa de campanha para ampliação de acesso a medicamentos

    Você sabia que um terço da população mundial carece de acesso a medicamentos e que eles ocupam a segunda posição no ranking de gastos no sistema de saúde no mundo? Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS) e acendem alerta para a necessidade de tornar os fármacos mais acessíveis à população. Diante dessa conjuntura, a Frente Parlamentar em Defesa da Assistência Farmacêutica, em conjunto com a Federação Nacional dos Farmacêuticos, elaborou uma Proposta de Emenda Constitucional que inscreve o acesso a medicamentos como um direito fundamental. Integrante desse Movimento, a ENSP participou de atividade para apresentar a campanha pela aprovação da PEC, realizada durante o Fórum Mundial das Resistências, que aconteceu no dia 23 de janeiro, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

  4. Novo aplicativo vai permitir denúncias sobre conteúdo impróprio nos meios de comunicação

    Pesquisas indicam que a exposição de crianças e adolescentes a conteúdos inadequados veiculados nos meios de comunicação pode ocasionar sérios problemas, como comportamento agressivo, medo, ansiedade, concepções errôneas sobre a violência real e sexualização precoce. Atenta a essa questão, a pesquisadora Claudia Galhardi foi em busca de respostas. O resultado de suas investigações levou ao desenvolvimento do Eu fiscalizo, aplicativo que será lançado durante audiência pública promovida pela comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa no dia 10 de fevereiro, às 9h, no Senado Federal, em Brasília. 
     

  5. ENSP participa de campanha para ampliação de acesso a medicamentos

    Você sabia que um terço da população mundial carece de acesso a medicamentos e que eles ocupam a segunda posição no ranking de gastos no sistema de saúde no mundo? Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS) e acendem alerta para a necessidade de tornar os fármacos mais acessíveis à população. Diante dessa conjuntura, a Frente Parlamentar em Defesa da Assistência Farmacêutica, em conjunto com a Federação Nacional dos Farmacêuticos, elaborou uma Proposta de Emenda Constitucional que inscreve o acesso a medicamentos como um direito fundamental. Integrante desse Movimento, a ENSP participou de atividade para apresentar a campanha pela aprovação da PEC, realizada durante o Fórum Mundial das Resistências, que aconteceu no dia 23 de janeiro, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

  6. Consulta Pública da Anvisa sobre rotulagem nutricional está aberta até 6 de novembro

    Lançada há um pouco de um mês, aproxima-se do prazo final das Consultas Públicas sobre a rotulagem nutricional. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está recebendo contribuições e opiniões dos consumidores sobre qual o modelo de rotulagem nutricional deve ser adotado no país. O processo de participação popular termina em 6 de novembro.

  7. Carteira de Serviços da Atenção Primária recebe 1,8 mil contribuições

    O Ministério da Saúde recebeu 1,8 mil contribuições à proposta que define quais serão os serviços essenciais que devem ser ofertados à população em todas as unidades de saúde, que compõem a Atenção Primária. A consulta pública para receber essas contribuições esteve aberta entre 19 e 26 de agosto. Agora, essas colaborações serão analisadas para avaliar a necessidade de adequações à Carteira de Serviços da Atenção Primária à Saúde, cujo lançamento deve ocorrer no mês de outubro.

  8. Saúde abre consulta pública para padronizar serviços da Atenção Primária

    O Ministério da Saúde abriu, na segunda-feira (19/8), consulta pública para definir um padrão de serviços essenciais que deve ser ofertado à população em todas as Unidades de Saúde da Família (USF) que compõem a Atenção Primária à Saúde (APS). Podem enviar contribuições à proposta apresentada pelo Ministério da Saúde e intitulada "Carteira de Serviços da Atenção Primária à Saúde Brasileira" profissionais de saúde, gestores, entidades médicas e demais cidadãos.

  9. Anvisa abre consulta pública sobre o uso do glifosato no Brasil

    Está aberta, até 6 de junho, Consulta Pública 613/2019 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que trata da manutenção do ingrediente ativo glifosato em produtos agrotóxicos no país e das medidas decorrentes de sua reavaliação toxicológica. Desde 2008 o ingrediente ativo de agrotóxico glifosato está em revisão de registro na Anvisa por conta de efeitos sobre a saúde das pessoas.