1. Quanto mais desigualdade social, mais risco democrático

    Conceitos e práticas das Escolas de Governo em Saúde (EGS) foi tema da II Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública no dia 18 de outubro. O encontro foi apresentado pelo diretor do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz e representante do Brasil na coordenação da Unasul Saúde, Paulo Buss. Segundo ele, a conjuntura de democratização da região e a estabilidade política foram favoráveis para a Unasul e a Resp, porque as escolas de governo podem ser um instrumento poderoso para melhorar a governança no setor saúde. "Democracia tem a ver com equidade, com formação de líderes capazes de formular e implementar as políticas públicas, não apenas reproduzi-las, pois são a expressão de ação dos estados. Quanto mais desigual a sociedade, mais risco há para a estabilidade democrática". Confira o áudio na Biblioteca Multimídia da ENSP.

  2. Fortalezas e fragilidades da formação em saúde pública

    Fortalecer o campo de formação de profissionais em saúde pública na área de pós-graduação nos países integrantes da Unasul é o principal objetivo da Rede de Escolas de Saúde Pública. Para cumprir com esse compromisso, os representantes dos institutos de governança em saúde integrantes da Rede apresentaram, no salão internacional da ENSP, durante o primeiro dia (18/10) da II Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública (Resp/Unasul), os principais avanços e fragilidades dessa área em seu país.

  3. Ministros integrantes da Unasul se reúnem no Peru

    Reunião do Conselho de Saúde da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), a ser realizada na quinta-feira (6/9), em Lima, no Peru, pretende avaliar o desempenho, nos últimos meses, das ações pactuadas e debater projetos de parcerias. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, estará presente na reunião da Unasul, instância destinada a promover a integração regional das políticas de saúde dos países latinos da América do Sul. No encontro, que é realizado a cada seis meses, Padilha apresentará os avanços do Brasil em relação às metas definidas nas últimas reuniões e debaterá o andamento de projetos conjuntos.

  4. Isags completa um ano com palestra sobre Unasul

    O Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags), primeiro organismo de cooperação em políticas sociais da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), completa seu primeiro ano de trabalhos voltados para promover uma integração regional em saúde pública e consolidar uma agenda de cooperação sul-americana na área. Em comemoração à data, a entidade realizará a palestra O Isags e a institucionalização da Unasul, em 9 de agosto, às 10 horas. Representando o secretário-geral da Unasul, Alí Rodríguez Araque, comparecerá o delegado Fausto López, diplomata lotado em Quito (Equador), que acompanhou o desenvolvimento do Isags e importantes fatos da Unasul. O evento será na sede do Isags, na Avenida Nilo Peçanha, 38 - 5º andar, Centro, Rio de Janeiro.

     

  5. Artigos apresentam balanço do primeiro ano do Isags

    Neste 25 de julho de 2012, o Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags), primeiro organismo de cooperação em políticas sociais da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), está completando seu primeiro ano de vida, celebrando com sucesso a promoção de uma integração regional em Saúde Pública e a consolidação de uma agenda de cooperação sul-americana na área. Para comemorar a data, o site do Isags está disponibilizando uma série de artigos que abordam os acontecimentos que envolvem o Instituto.

  6. Saúde Global e Diplomacia da Saúde: oficina no RJ

    Com o objetivo de discutir os progressos de governança em diplomacia da saúde e a cooperação internacional em saúde dos países que formam a América do Sul, o Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags) realizará, entre os dias 7 e 11 de maio, no Rio de Janeiro, uma oficina sobre Saúde Global e Diplomacia da Saúde. O encontro reunirá representantes de todos os países da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), do Comitê de Coordenação da Unasul Saúde e também do Ministério de Relações Exteriores. O primeiro dia de oficina (7/5) será todo transmitido on-line pela web a partir das 9 horas e entre as exposições está a conferência Desenvolvimento conceitual da Saúde Global e da Diplomacia da Saúde, que será proferida pela pesquisadora da ENSP Célia Almeida, juntamente com o representante da Argentina no Isags, Sebastián Tobar, às 14 horas. Para assistir, os interessados devem acessar a página do Isags no dia da apresentação.

  7. Secretária-geral da Unasul fala sobre crise e integração da América do Sul

    A colombiana María Emma Mejía, 58 anos, secretária-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), começou a carreira do outro lado do balcão. Formada em jornalismo pela Universidad del Valle, em Cali, estudou cinema e chegou a trabalhar para o serviço latino-americano da emissora BBC. Mas o bloco e a caneta ficaram de lado quando ela se aproximou do também jornalista Luis Carlos Galán, que concorreu à presidência da Colômbia por duas vezes. Galán foi assassinado em 1989 e, no mesmo ano, María Emma assumiu a campanha presidencial de César Gaviria. Desde então, sempre esteve envolvida com questões sociopolíticas.

  8. Países discutem falsificação de medicamentos

    Começou nesta quinta-feira (6/10), no Rio de Janeiro, a 2ª Reunião Ordinária do Grupo Técnico de Acesso Universal a Medicamentos da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), realizada na sede do Pro-Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Pro-Isags). Promovida em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o encontro reúne representantes dos 12 países que compõem a Unasul Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. A programação segue até sábado (8/10), com foco na discussão sobre a necessidade de programar e implantar ações estratégias de combate à falsificação de medicamentos.

  9. Isags define temas para ações do plano quinquenal

    Após uma semana de atividades (25 a 29/7), terminou o seminário de inauguração do Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde no Rio de Janeiro. Representantes dos Ministérios da Saúde dos países integrantes do Isags estabeleceram uma agenda de trabalho com sete diferentes pontos de ação, que serão desenvolvidos nos próximos cinco anos. Questões como formação de recursos humanos, intercâmbio entre redes de saúde e ações de vigilância em saúde foram destacadas pelos participantes. Segundo o diretor executivo do Isags, José Gomes Temporão, o instituto não é uma nova Opas na América do Sul. "Vamos trabalhar para fortalecer nos países a ideia de políticas de saúde universais democráticas e igualitárias, reduzindo as iniquidades e melhorando a qualidade de vida das populações", disse. Confira, Biblioteca Multimídia da ENSP, o áudio e a apresentação do evento.

  10. Integrantes do Isags encerram fase de apresentação

    Na quinta-feira (28/7), terminou a fase de apresentação dos sistemas de saúde dos países integrantes do Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags). Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela foram os últimos expositores, que, assim como os demais, revelaram a constante necessidade de formação de recursos humanos para a área, aliada a mais investimentos na luta por uma saúde universal e equitativa. Entretanto, uma das experiências mostrou como o público e o privado operam através de contratos de gestão em saúde; outro exemplo abordou o rompimento com o modelo capitalista na saúde. Após oito apresentações, durante dois dias, os representantes do Isags têm a expectativa de que o instituto ajude na formulação de parcerias e intercâmbios a fim de alcançarem maior universalização da saúde na América do Sul. Confira, na Biblioteca Multimídia da ENSP, os áudios e exposições do evento.