1. Palestra de Paulo Buss abre Mestrado Profissional em Vigilância em Saúde do Trabalhador

    Logo de início, um chamado à responsabilidade: falando diante de uma plateia de egressos do Mestrado Profissional em Vigilância em Saúde do Trabalhador, oferecido pelo Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz), Paulo Buss, atual diretor do Centro de Relações Internacionais da Fiocruz e ex-diretor da ENSP e da Fundação, lembrou da importância da atividade de vigilância, para ele um dos pilares da concepção de uma saúde verdadeiramente pública, voltada para os problemas da população. Em seguida, Buss proferiu sua aula, intitulada Determinação da Saúde e Agenda 2030: Onde estamos hoje? Em sua fala, a discussão sobre o papel estratégico da Organização Mundial da Saúde (OMS), no sentido de conclamar os estados membros das Nações Unidas a cumprirem o acordado nesse conjunto de propostas que, em tese, ambicionam tornar o planeta um lugar melhor para todos viverem. 

  2. Palestra de Paulo Buss abre Mestrado Profissional em Vigilância em Saúde do Trabalhador

    Logo de início, um chamado à responsabilidade: falando diante de uma plateia de egressos do Mestrado Profissional em Vigilância em Saúde do Trabalhador, oferecido pelo Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz), Paulo Buss, atual diretor do Centro de Relações Internacionais da Fiocruz e ex-diretor da ENSP e da Fundação, lembrou da importância da atividade de vigilância, para ele um dos pilares da concepção de uma saúde verdadeiramente pública, voltada para os problemas da população. Em seguida, Buss proferiu sua aula, intitulada Determinação da Saúde e Agenda 2030: Onde estamos hoje? Em sua fala, a discussão sobre o papel estratégico da Organização Mundial da Saúde (OMS), no sentido de conclamar os estados membros das Nações Unidas a cumprirem o acordado nesse conjunto de propostas que, em tese, ambicionam tornar o planeta um lugar melhor para todos viverem. 

  3. Cep/ENSP debate a vulnerabilidade nas pesquisas com seres humanos

    O Comitê de Ética em Pesquisa da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) deu prosseguimento as atividades comemorativas em alusão aos seus 20 anos de atuação com uma discussão sobre vulnerabilidade e sua interface nas pesquisas com seres humanos. Para fomentar o debate estiveram presentes o pesquisador do Departamento de Ciências Sociais (DCS/ENSP) Fermin Roland Schramm, a pesquisadora do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP) Ângela Maria Coimbra, e a pesquisadora do Instituto Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Maria Elisabeth Lopes Moreira. Realizado em 12 de junho, no salão internacional da Escola, o evento foi o terceiro, de uma série de encontros comemorativos promovidos pelo Cep/ENSP. Assista no Canal da ENSP no Youtube as apresentações da palestra Vulnerabilidade: interface nas pesquisas com seres humanos

  4. Mobilização e enfrentamento por mais recursos para o SUS marcam propostas do primeiro dia de seminário

    A crise política brasileira, as fontes de recursos para o financiamento adequado à garantia do direito universal à saúde e o enfrentamento aos obstáculos que cercam esse objetivo estiveram no centro das discussões do primeiro dia do seminário Saúde sem dívida e sem mercado, em 21/6/2017. Resultado de parceria entre o Centro de Estudos da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ceensp/Ensp/Fiocruz) e o Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE-Fiocruz), o evento reuniu no Salão Internacional da Ensp os pesquisadores Áquilas Mendes, professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, Maria Lucia Fatorelli, coordenadora da Auditoria Cidadã da Dívida Pública, e Carlos Ocké-Reis, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), na mesa Saúde: fontes de financiamento em disputa.

  5. Semana do Meio Ambiente ENSP: palestras, oficinas e feira movimentaram a Escola

    Na semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) promoveu a Semana do Meio Ambiente ENSP. Durante dois dias, foram realizadas oficinas de preparação de produtos artesanais; rodas de conversa sobre os impactos ambientais no rótulo dos alimentos e território e sustentabilidade, além do lançamento do relatório elaborado pela Pastoral da Comissão da Terra, Conflitos no Campo no Brasil 2016, e da tradicional edição da Feira Agroecológica Josué de Castro. Assista, na reportagem produzida pela ENSP TV, tudo o que aconteceu na Semana do Meio Ambiente ENSP. 

  6. Debate sobre retrocessos nos direitos indígenas no Brasil está disponível no Canal da ENSP no Youtube

    Já está disponivel, no Canal da ENSP no Youtube, o vídeo do debate #DemarcaçãoJá - sobre os Retrocessos nos Direitos Indígenas no Brasil, que aconteceu em 30 de maio, na Escola. Promovido pela ENSP, em parceria com o Grupo Temático Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e o Museu do Índio, o debate buscou aprofundar a discussão sobre o retrocesso nos direitos dos povos e populações indígenas integrantes do Estado Brasileiro. Confira a cobertura completa do evento no Informe ENSP e assista aos vídeos. 

  7. Vídeos do XII Ciclo de debates já estão disponíveis no Canal da ENSP no Youtube

    Já estão disponíveis, no Canal da ENSP no Youtube, todos os debates que aconteceram no XII Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família. De 15 a 19 de maio, professores, alunos, trabalhadores e residentes desfrutaram de diversas experiências da produção de conhecimento de forma compartilhada. O Ciclo discutiu temáticas importantes da política macroeconômica, da política de saúde e da própria Estratégia de Saúde da Família abordando seus conceitos, práticas, desafios e potências, além da realização da tradicional cerimônia de formatura da última turma de Residência Multiprofissional em Saúde da Família da ENSP. Acesse a playlist do evento e confira os vídeos. 

  8. Colóquio Latino-Americano debate Redes Colaborativas e formação docente em Saúde Pública

    O primeiro painel do I Colóquio Latino-Americano de formação em Saúde Pública e III Colóquio Brasil-Cuba de formação em Saúde Pública, no dia 8 de maio, discutiu o tema Redes Colaborativas e Formação de Formadores Latinoamericanos, com a participação de Ricardo Teixeira, da Faculdade da Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e Mario Rovere, da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina. Ricardo Teixeira fez um relato de experiência sobre a Rede Humaniza SUS (RHS), rede colaborativa social vinculada à Política Nacional de Humanização. A RHS existe há dez anos e funciona como um blog comunitário, no qual os usuários podem postar suas publicações. "É uma rede social aberta para ocupação coletiva, na qual se compartilham narrativas de experiências de trabalho submetidas à discussão pública, contribuindo para o aprimoramento das políticas de gestão e cuidado em saúde", disse Ricardo. Na RHS, também são compartilhadas experiências de formação no Sistema Único de Saúde (SUS), inclusive com a publicação de trabalhos de alunos. "É um espaço de ocupação pelo cotidiano do trabalho em saúde", observou Ricardo. Atualmente, a RHS tem 33 mil usuários cadastrados e publicações de 1.850 autores, além de 35 mil comentários já registrados. As apresentaçãoes estão disponíveis no Canal da ENSP no Youtube

  9. Experiências Brasil - Cuba e formação em saúde pública na graduação pautaram Colóquio Latino-Americano

    No segundo dia do I Colóquio Latino-Americano de formação em Saúde Pública e III Colóquio Brasil-Cuba de formação em Saúde Pública, o painel Experiências na Formação de Formadores no Brasil e em Cuba contou com a presença de Lázaro Díaz e Carlos Raúl del Pozo, da Escola Nacional de Saúde Pública de Cuba (Ensap); Ronaldo Travassos, da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz); Frederico Peres, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz); Antonio Rodríguez, da Faculdade de Tecnologia da Saúde de Havana (Fatesa/Cuba); Adolfo Alvarez Pérez, do Instituto Nacional de Higiene, Epidemiologia e Microbilogia (Inhem/Cuba) e Waldo Díaz, do Instituto Nacional de Saúde dos Trabalhadores de Cuba (Insat).

  10. Internacionalização na formação e determinantes sociais da saúde pautam últimos painéis de Colóquio Latino-Americano

    No último dia do I Colóquio Latino-Americano de formação em Saúde Pública e III Colóquio Brasil-Cuba de formação em Saúde Pública, 10 de maio, o primeiro painel teve como tema Internacionalização e Formação em Saúde Pública: a experiência cubana, com Ahindris Calzadilla, do Inhem; e Xiomara Martín, da Ensap. O painel foi coordenado pela assessora da Coordenação de Cooperação Internacional da EPSJV, Ingrid Freire. Ahindris falou sobre os benefícios da internacionalização universitária, que fortalece as universidades, incrementa o conhecimento, além de melhorar e enriquecer a formação profissional. Xiomara falou a respeito da Escola Latino-Americana de Medicina (Elam), que existe desde 1999. Até 2016, já foram formados cinco mil estudantes, de 123 países. O programa é estendido a todos as faculdades de Medicina do país e os egressos atuam em vários países do mundo.