1. Dez anos sem Sergio Arouca

    Nesta sexta-feira (2/8), faz dez anos que a saúde pública brasileira e mundial perdeu um de seus maiores nomes: Sergio Arouca. O sanitarista, morto aos 61 anos em decorrência de um câncer, é reconhecido por sua produção científica e a liderança conquistada na construção do Sistema Único de Saúde (SUS). Foi presidente da Fiocruz em 1985, momento marcado pela democratização da Fundação, professor concursado da Escola Nacional de Saúde Pública, além de chefe do Departamento de Planejamento da ENSP. A tese de doutorado de Arouca, intitulada O dilema preventivista: contribuição para a compreensão e crítica da medicina preventiva, forneceu fundamentos teóricos estruturantes para a constituição da base conceitual da saúde coletiva. Em seu aniversário de 49 anos (2003), a ENSP agregou o nome de Arouca ao seu, tornando-se Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Confira os depoimentos de profissionais e amigos que compartilharam suas trajetórias com Sergio Arouca.

  2. Blog debate se a falta de médicos é o principal problema do SUS

    Recordista de comentários no blog Saúde em Pauta da ENSP, a questão apresentada pela presidente da República, Dilma Rousseff, a respeito de trazer médicos estrangeiros para atuarem no país fomentou uma série de posicionamentos a favor e contra a medida entre os participantes desse espaço democrático da Escola. O debate Médicos estrangeiros: solução ou paliativo para o SUS? segue aberto e, agora, é ampliado com as novas medidas adotadas pelo governo federal com o lançamento do Programa Mais Médicos para o Brasil. O programa pretende fazer com que estudantes de medicina que começarem o curso em 2015 trabalhem dois anos no SUS, o que seria um requisito necessário para ter o diploma, além de ampliar a presença desses profissionais em regiões carentes como os municípios do interior e as periferias das grandes cidades. Você gostou das novas medidas? O problema do SUS realmente é a falta de médicos para atender a população? Participe desse debate no blog Saúde em Pauta!

  3. Blog debate se a falta de médicos é o principal problema do SUS

    Recordista de comentários no blog Saúde em Pauta da ENSP, a questão apresentada pela presidente da República, Dilma Rousseff, a respeito de trazer médicos estrangeiros para atuarem no país fomentou uma série de posicionamentos a favor e contra a medida entre os participantes desse espaço democrático da Escola. O debate Médicos estrangeiros: solução ou paliativo para o SUS? segue aberto e, agora, é ampliado com as novas medidas adotadas pelo governo federal com o lançamento do Programa Mais Médicos para o Brasil. O programa pretende fazer com que estudantes de medicina que começarem o curso em 2015 trabalhem dois anos no SUS, o que seria um requisito necessário para ter o diploma, além de ampliar a presença desses profissionais em regiões carentes como os municípios do interior e as periferias das grandes cidades. Você gostou das novas medidas? O problema do SUS realmente é a falta de médicos para atender a população? Participe desse debate no blog Saúde em Pauta!

  4. Abrasco e Saúde+10 juntos pela ampliação de recursos da saúde

    Termina no dia 20/7 o prazo para envio das assinaturas coletadas pelo Movimento Nacional em Defesa da Saúde (Saúde+10) ao Conselho Nacional de Saúde (CNS). O objetivo da mobilização é conseguir 1,5 milhão de assinaturas para apresentar ao Congresso Nacional o Projeto de Lei de Iniciativa Popular que assegura o repasse efetivo e integral de 10% da receita bruta corrente da União para os investimentos na saúde pública brasileira.

  5. Movimentos Sociais: fórum publica manifesto sobre protestos

    O Fórum de Articulação com os Movimentos Sociais da ENSP acaba de publicar um manifesto sobre os protestos populares que vêm sendo realizados no país. No documento, os membros integrantes do Fórum defendem ser difícil avaliar um processo histórico em curso, cujos desdobramentos, a partir das respostas governamentais e das iniciativas do poder do Estado, ainda não estão claros. Eles destacam, ainda, ser indispensável um posicionamento inicial até mesmo para acompanhamentos dos fatos e reavaliação posterior, se for o caso.

  6. Médicos estrangeiros: solução ou paliativo para o SUS?

    Você é a favor de que o governo brasileiro traga médicos do exterior para trabalharem no Sistema Único de Saúde? Essa foi uma das propostas apresentadas pela presidente da República, Dilma Rousseff, à população brasileira durante seu discurso, no dia 21 de junho, em resposta à série de manifestações que vêm ocorrendo pelo país. O blog Saúde em Pauta da ENSP quer ouvir as comunidades científica, acadêmica e a sociedade civil sobre essa questão e ampliar o debate a respeito de quais são, atualmente, as reais necessidades enfrentadas pelo SUS. Acesse o blog, participe, deixe sua opinião e ajude a construir um SUS para todos!

  7. Ouvidoria da Saúde faz escuta sobre acesso do campo ao SUS

    Parceria entre a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e a Ouvidoria Geral do Sistema Único de Saúde (SUS) é pioneira em desenvolver ouvidoria itinerante sobre o acesso e a satisfação dos povos do campo no SUS. A ouvidora ativa é uma modalidade de escuta direta com os usuários do sistema, todavia até então tem sido feita mediante consulta telefônica. Para os povos do campo, a escuta foi in locus.

  8. Direito à saúde como parte da transformação social

    Durante o Seminário sobre Direitos Humanos, Saúde e Movimentos Sociais, promovido pelo Grupo de Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman (Dihs/ENSP), no dia 23 de outubro, o coordenador do Núcleo de Humanidades, Migrações e Estudos da Universidade de Coimbra, Portugal, José Manuel Pureza, fez três afirmações importantes: direito à saúde só vale se for compreendido como parte da transformação social; os movimentos sociais são imprescindíveis; e a luta participativa pelo direito à saúde é hoje um campo privilegiado de combate ao entendimento neoliberal de saúde.

  9. Pesquisadora da ENSP participa de pesquisa sobre o SUS em Macaé

    A implantação do Sistema Único de Saúde (SUS) em Macaé, no Norte Fluminense, entrará para a história. As enfermeiras Luciene Aguiar, do Núcleo de Pesquisa de Direitos Humanos e Saúde (DHS)/ENSP, e Lenise Lobo, do Instituto Federal Fluminense (IFF), realizam, há um ano, um trabalho inédito: pesquisam jornais, sites, revistas, atas de reuniões, atos e documentos oficiais em busca de como iniciou o SUS no município. A matéria foi publicada na edição de 15 de setembro do jornal O Dia.