1. Pesquisadora da ENSP fala de novo surto de micobactéria no Brasil

    Dois anos após provocar um surto de infecção hospitalar no país, a micobactéria de crescimento rápido já conta com 78 novos casos suspeitos de contaminação, concentrados em pacientes atendidos em dois hospitais particulares: um em Manaus e outro em Carazinho (RS). A chefe do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz), Margareth Dalcolmo, revelou que, nos casos recentes, a micobactéria apresenta uma resistência maior aos remédios usados para tratamento. A notícia foi destaque na edição de 26 de agosto do jornal Estado de São Paulo.

  2. Dermatose ocupacional: falta de informação agrava casos

    A chefe do Serviço de Dermatologia Ocupacional do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da ENSP, Maria das Graças Mota Melo, concedeu entrevista à Agência Notisa, destacando os diversos casos de lesões de pele relacionadas ao trabalho. Graça observou a dificuldade de avaliar o número de trabalhadores afetados e a falta de serviços especializados em dermatoses profissionais; a falta de preparo dos profissionais da área de saúde para a suspeita do nexo entre a lesão cutânea e a atividade profissional; e a desinformação dos trabalhadores sobre os riscos decorrentes das atividades desenvolvidas.

  3. Atual política de saúde pode mudar situação do setor no Rio de Janeiro

    O diretor da ENSP, Antônio Ivo de Carvalho, em entrevista à ONG Rio Como Vamos, que todos os meses publica uma página temática no jornal O Globo , destacou que a atual política de saúde, baseada na ampliação da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e na abertura de unidades intermediárias (as UPAs), está prestes a mudar a situação do setor no Rio. Ele acredita que, em breve, os resultados das mudanças na rede começarão a se refletir nos indicadores, inclusive na redução ainda maior do tempo de espera nos hospitais.

  4. Agente Comunitário: elo importante na Estratégia Saúde da Família

    O papel do Agente Comunitário de Saúde (ACS) no Programa Estratégia Saúde da Família foi tema de mais uma reportagem no site da Rede Brasil Atual. Nela, a pesquisadora do Departamento de Ciências Socias da ENSP (DCS) Maria Alice Pessanha fala sobre o ACS e sua função de identificar as necessidades do paciente, além do trabalho de encaminhamento para os especialistas. O texto revela que o elo entre médico, pacientes e profissionais é um dos destaques do programa.

  5. Tuberculose: novo método possibilita diagnóstico mais rápido

    O teste rápido para tuberculose foi destaque na editoria de Ciência do Jornal O Globo nessa quarta-feira, 25/8. Na matéria, a chefe do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP), Margareth Dalcolmo, comentou que o GeneXpert, como também é chamado o teste rápido, é revolucionário porque dispensa certos materiais complexos, necessários ainda hoje.

  6. Brasil precisa dobrar gastos em saúde, diz pesquisadora da ENSP

    A pesquisadora Lígia Giovanella (Daps/ENSP) falou à Revista Veja on-line a respeito da gestão do SUS, na edição desta quinta-feira (26/8), sobre Desafios Brasileiros. A matéria indica que o Sistema Único de Saúde precisa de mais recursos. De acordo com Lígia, além disso, o SUS precisa de mais gestão: o Brasil precisaria ao menos dobrar os recursos destinados ao setor. Mas não é fácil, uma vez que boa parte do orçamento federal é comprometida com outras despesas.

  7. Pesquisa sobre impactos da política para Aids é destaque em telejornal

    A pesquisadora Monica Malta (DCS/ENSP) participou do programa Em Cima da Hora, do canal a cabo Globonews, falando sobre a pesquisa que analisou mais de 380 mil casos registrados de Aids no país entre 1998 e 2008. A pesquisa revela que mesmo o Brasil garantindo tratamento da Aids gratuito e universal desde meados dos anos 90, cerca de 20% dos diagnósticos da doença são feitos só depois que o paciente morre. Assista o vídeo do programa.