1. Museu Nacional digitaliza acervo

    O Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista (RJ) está digitalização, através de modernas técnicas de modelagem tridimensional, o seu acervo que reúne mais de 20 milhões de peças e representa a maior coleção de história natural, antropologia e paleontologia da América do Sul. A notícia foi destaque na edição de 6 de julho do Jornal do Brasil. O trabalho resultou no livro Paleontologia. Arqueologia. Fetologia. Tecnologias 3D, que conta, entre seus autores, a pesquisadora da ENSP, Sheila Mendonça, do Departamento de Endemias Samuel Pessoa.

  2. Proibição da propaganda de medicamentos em destaque na imprensa

    O jornal Folha de S. Paulo publicou matéria em 18 de junho e um artigo em 5 de julho sobre as normas para regulamentação para a publicidade de medicamentos no país. Em ambos os textos o pesquisador da ENSP Álvaro Nascimento é citado, em razão do seu trabalho nesse campo, cuja dissertação de mestrado resultou no livro Ao Persistirem os Sintomas, o Médico Deverá Ser Consultado - Isto É Regulação?.

  3. Intoxicação: alerta na cozinha

    O projeto da Escola Nacional de Saúde Pública que analisa o risco de transmissão de doenças por alimentos foi tema de uma reportagem no O Dia Online, no último sábado (4/7). A matéria jornalística alerta para a falta de cuidados com manuseio e conservação da comida, que afeta pessoas com baixa imunidade, crianças, idosos e grávidas.

  4. Rio ganha mapa de áreas vulneráveis a aquecimento

    A parceria entre a Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro com a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) e o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) traçará um mapa dos impactos socioeconômicos, de saúde e ao meio ambiente sobre a população do Rio de Janeiro a partir das mudanças climáticas foi notícia na edição desta quinta-feira (2/07) do jornal O Globo.

  5. Pesquisa sobre botos e poluição do oceano é destaque na imprensa

    A dissertação de mestrado em Saúde Pública e Meio Ambiente na ENSP/Fiocruz, do biólogo Jailson Fulgêncio de Moura, mostrou que os botos-cinza (Sotalia guianensis) que frequentam a Baía de Guanabara apresentam altos índices de contaminação por mercúrio em seus tecidos musculares. O trabalho foi destaque na edição de 26/06 do Jornal do Brasil, que publicou ainda um artigo dos pesquisadores Salvatore Siciliano e Jailson Fulgêncio de Moura sobre a relação entre a saúde pública e as regiões costeiras.

  6. Hábitos dos brasileiros podem ajudar na prevenção de doenças

    O Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil) está sendo conduzido em seis instituições públicas federais, com 15 mil voluntários entre 35 e 74 anos, foi destaque na edição de 23 de junho do jornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo. A matéria explica que o hospital universitário da USP construiu uma bioteca, que funciona com tecnologia criogênica, para armazenar as amostras colhidas dos voluntários no estudo.

  7. Portal da Secretaria do Ambiente divulga mapa de vulnerabilidade

    A Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro divulgou em sua página eletrônica a parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) que irá traçar o mapa dos impactos socioeconômicos, de saúde e ao meio ambiente sobre a população do Rio de Janeiro a partir das mudanças climáticas. A execução do projeto será realizada pelo Programa de Mudanças Ambientais Globais e Saúde da ENSP (PMAGS/DCB/ENSP), sob a coordenação do pesquisador Ulisses Confalonieri.

  8. Em busca da pré-história do Brasil

    O Jornal do Brasil e o Diário Catarinense publicaram informações sobre a pesquisa realizada por cinco instituições científicas do Brasil e do exterior, que está traçando o perfil cultural, social e de saúde de populações que habitaram o litoral catarinense há cerca de 2.900 anos. Trata-se da maior pesquisa do gênero já realizada no Brasil. Uma das pesquisadoras envolvidas no estudo é Sheila Mendonça, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca.

  9. Vírus atinge 50% das jovens do Rio

    A edição de 23 de junho do jornal O Dia traz matéria sobre a pesquisa realizada pela ENSP, mostrando que 50% das adolescentes cariocas entre 10 e 19 anos têm o vírus HPV e 12% delas desenvolveram a doença e têm lesões causadas por ele. O estudo, é assinado pela pesquisadora Micheli Lopes Pedrosa, ginecologista da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e teve como base 1,5 milhão de prontuários médicos do Rio de Janeiro.

  10. Prevenção - uso de preservativos ainda é modesto no Brasil

    A edição de sexta-feira (19/06) do Jornal do Brasil trouxe uma extensa matéria sobre a pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde sobre a sexualidade da população brasileira. Entre os resultados obtidos, a pesquisa revela que apenas 45,7% usa preservativo, embora saibam do risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis. A médica Celina Boga, do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP) foi entrevistada para a reportagem.