1. Reportagem destaca interferência das mudanças climáticas na saúde

    O jornal Correio Braziliense divulgou reportagem, nesta segunda-feira (18/8), que alerta para a forma como as mudanças climáticas no país geram um aumento de problemas respiratórios, de doenças relacionadas às condições hídricas, como a diarréia, e  ainda a proliferação de mosquitos transmissores de dengue, febre amarela e malária. O texto menciona uma pesquisa desenvolvida pela aluna de mestrado em Epidemiologia em Saúde Pública da ENSP, Adriana Fagundes Gomes, divulgado na revista Cadernos de Saúde Pública, cujo resultado apontou que no Rio de Janeiro, entre os anos de estudo (2001 e 2009), o acréscimo de 1ºC na temperatura mínima do mês pode aumentar em 45% o número de casos da doença no mês seguinte. A reportagem também ouviu o coordenador do Observatório Clima e Saúde da Fiocruz, Christovam Barcellos, e o pesquisador da Fiocruz Minas Gerais, Ulisses Confralonieri.

  2. População indígena carece de políticas públicas específicas

    O pesquisador da ENSP e coordenador do Grupo de Trabalho Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva ,Carlos Coimbra foi entrevistado na quarta-feira, 13 de agosto, pela afiliada da Rádio CBN, em Belém. Em pauta, a Mesa Redonda ‘Populações negligenciadas’, do 9º Congresso Brasileiro de Epidemiologia da Abrasco, o EpiVix, que será realizado em Vitória - Espírito Santo, de 7 a 10 de setembro. Na entrevista, Coimbra destacou a saúde da população indígena e da população quilombola, "O Brasil, que tem uma população indígena muito diversificada, teve tardiamente uma efetiva política pública diferenciada para esta população. O desafio é muito grande, o agravante é que nós ainda não conhecemos bem as especificidades dos indígenas, temos políticas, mas precisamos de mais ousadias nessas políticas",’ avaliou Coimbra.

  3. Margareth Dalcolmo fala sobre os riscos da tuberculose

    A pesquisadora do Centro de Referência Professor Hélio Fraga da ENSP (CRPHF), Margareth Dalcolmo, participou do programa Ligado em Saúde, exibido pelo Canal Saúde da Fiocruz, no início de agosto. Durante a entrevista, a pesquisadora falou sobre os grupos mais vulneráveis, os sintomas e as novidades a respeito do diagnóstico da tuberculose. Ainda segundo a médica pneumologista, a tuberculose é uma doença associada à exclusão social e às condições de vida e saneamento, mas possui fatores de risco como a idade e o tabagismo. Confira a entrevista completa no Canal Saúde.
     

  4. Presidente da Universidade de Yale fala sobre acordo com a Fundação

    O presidente da Universidade de Yale, Peter Salovey, falou em entrevista à Época Negócios sobre o acordo global de colaboração em saúde, assinado por ele e o presidente da Fundação, Paulo Gadelha, em sua visita a Fiocruz. O acordo de cooperação para a criação de uma Aliança para a Saúde Global tem como objetivo a promoção da saúde e da equidade nas Américas e em outras regiões por meio da educação. Durante sua visita a Fiocruz Salovey declarou estar orgulhoso pelo programa, que permitirá ações importantes como o intercâmbio entre professores das duas instituições, para que eles possam, juntos, ensinar, pesquisar e desenvolver programas acadêmicos prioritários para a saúde.  A Escola Nacional de Saúde Pública também se insere nessa parceria. Segundo o vice-diretor da Escola de Governo em Saúde e coordenador da Área de Cooperação Internacional da ENSP, Frederico Peres, o acordo prevê a possibilidade de intercâmbio entre alunos e pesquisadores das duas instituições. 

  5. Pesquisador discute comercialização de remédios de emagrecimento

    "A efetividade a longo prazo dos inibidores de apetite é, na melhor das hipóteses, questionável. Na maioria dos casos, o emagrecimento é revertido quando a droga é interrompida ", afirmou o pesquisador da ENSP Francisco Paumgartten, em reportagem divulgada pela Istoé Online no dia 2 de agosto. A publicação divide opiniões sobre a volta dos remédios de emagrecimento à base de anfetaminas ao mercado brasileiro, que tiveram sua fabricação e comercialização proibidas desde 2011 por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O Jornal GloboNews também discutiu a questão em entrevista com Paumgartten, divulgada no dia 5/8.

  6. Pesquisador critica indústria do fumo no país

    O pesquisador do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP) Marcelo Moreno, criticou a indústria tabagista em reportagem do jornal O Globo, divulgada no dia 3/8. "É um tipo de produção que gera abusos de direitos humanos, como trabalho infantil e condições desfavoráveis do trabalho", opinou. Segundo a publicação, um levantamento de 2008 com 1.128 fumicultores do Sul feito pelo Departamento de Estudos Socioeconômicos Rurais (Deser), mostra que 40% dos filhos homens e quase 20% das mulheres, além de 9% dos filhos abaixo de 12 anos, auxiliam no cultivo.

  7. Por um Sistema Único de Saúde para todos

    "É inadiável uma democratização do Estado brasileiro e a utilização plena de mecanismos de democracia participativa, como plebiscitos e projetos de iniciativa popular, para tomada de decisões sobre políticas sociais no campo da saúde, que deve se relacionar a um amplo projeto que promova uma reforma democrática do sitema político brasileiro", afirmou o PhD em Saúde Pública pela ENSP e professor de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Adauto Emmerich em artigo publicado no Jornal A Gazeta (ES), na terça-feira (28/7). 

  8. Canal Saúde alerta para artigo sobre o uso do sildenafil e mortes no RJ

    O Jornal da Saúde, programa que traz as principais notícias da área da saúde em todo o Brasil, produziu reportagem a respeito do artigo que associa a ocorrência de morte súbita ao uso de medicamentos para disfunção erétil nos motéis do Rio de Janeiro. O artigo é de autoria dos pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Álvaro Nascimento e Suely Rosenfeld. A reportagem destaca o consumo recreativo do medicamento por jovens na busca de uma melhor performance sexual. Assista a reportagem completa na página do Canal Saúde.

  9. Reportagem destaca complicações do nascimento prematuro

    Na quinta-feira (17/7), o Jornal do Commercio publicou reportagem sobre os riscos que o nascimento prematuro podem trazer para o bebê. De acordo com o texto, que se baseou nos dados da pesquisa Nascer no Brasil, o nascimento antes do tempo mínimo de 37 semanas está relacionado a doenças como hipertensão, diabetes e pode causar complicações neurológicas e visuais. Segundo a pesquisa da Fiocruz, a epidemia de nascidos com 37 ou 38 semanas é, em parte, explicada pelo elevado numero de cesarianas.

  10. Editorial alerta para falta de medicamentos contra TB

    No dia 14 de julho, o editorial do jornal Correio Brasiliense destacou a falta de remédios contra tuberculose distribuídos pela rede pública, alertada pelo coordenador técnico da área de tecnologia social do Observatório Tuberculose Brasil (OTB/ENSP/Fiocruz), Carlos Basília. De acordo com o texto, o Brasil alcançou uma posição de destaque no tratamento e controle da doença, mas interromper o tratamento por falta de remédio é inaceitável. “Um dos grandes desafios dos profissionais dos centros de saúde é evitar a evasão de pacientes”, diz o editorial.