1. Reportagem analisa gastos públicos em saúde

    Em reportagem publicada no site do jornal Gazeta do Povo, que analisa os gastos públicos em saúde nas últimas décadas e debate soluções para o financiamento da área, a pesquisadora da ENSP e uma das diretoras executivas do Centro Brasileiro de Estudos em Saúde (Cebes), Isabela Santos, defende que "discutir em termos de 'mais recursos' ou 'melhor gestão' não é adequado, porque os dois aspectos são problemáticos". Ela afirma ainda que sem recurso não adianta nem discutir gestão. Para Isabela, "a saúde é cara: a capacidade clínica é constantemente aprimorada, as pessoas estão vivendo mais e as demandas de saúde mudaram, se tornaram mais complexas e mais custosas". 

  2. Em Pauta na Saúde traz entrevistas de pesquisadores da ENSP

    No programa Em Pauta na Saúde de 17 de maio, exibido pelo Canal Saúde da Fiocruz, os pesquisadores da ENSP Paulo Amarante, Francisco Paumgartten e Mariza Theme concederam entrevistas sobre importantes temas da atual conjuntura da saúde no país. A edição abordou os 15 anos da Lei da Reforma Psiquiátrica, o Projeto de Lei em tramitação na Câmara que libera produção, venda e uso de substâncias inibidoras de apetite; e o estudo que aponta depressão perinatal em cerca de 26% das mulheres que se tornam mães no país. Confira as reportagens com participação dos pesquisadores da Escola. 
     

  3. Reportagem destaca gastos do SUS com atendimentos feitos a clientes de planos de saúde

    Pesquisadora da ENSP e diretora do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), Isabela Santos concedeu entrevista ao Portal UOL, na quinta-feira (19/5), na qual comentou o relatório da Agência Nacional de Saúde Suplementar(ANS) que detalha o modo como é feito o reembolso pelos atendimentos a clientes dos planos de saúde ao SUS. O documento registrou, entre 2000 e 2016, mais de 3 milhões de atendimentos feitos a clientes das operadoras de saúde suplementar que faziam parte do plano dos beneficiários, mas foram pagos pelo sistema público. 

  4. Reportagem associa elevados índices de tuberculose à pobreza no Rio de Janeiro

    Pública - agência de reportagem e jornalismo investigativo - alertou, em reportagem divulgada no dia 12 de maio, para a elevada incidência de tuberculose na cidade do Rio de Janeiro a poucos meses da realização dos Jogos Olímpicos 2016. Em detalhada reportagem sobre o histórico da doença e sua relação com as favelas da cidade, a jornalista Anne Vigna ouviu duas especialistas da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, a pesquisadora Margareth Dalcolmo, do Centro de Referência Professor Hélio Fraga, e a médica Celina Boga, do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria. Leia.

  5. Pesquisa da ENSP motiva ação do poder público contra o garimpo ilegal

    O estudo coordenado pelo pesquisador Paulo Basta, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, que revelou elevados índices de contaminação por mercúrio na população da Terra Indígena Yanomami, motivou uma série de ações da Polícia Federal, do Ministério Público Federal de Roraima, do Ibama e da Funai contra o garimpo ilegal de ouro na reserva. O Bom Dia Brasil e o Projeto Colabora acompanharam as ações e repercutiram os danos provocados à saúde daquela população. Confira.

  6. Pesquisadora esclarece ações da vigilância sanitária durante grandes eventos

    Às vesperas do Centro de Estudos que abordou a atuação das vigilâncias do campo da saúde nas Olimpíadas de 2016, a pesquisadora Vera Pepe, da Escola Nacional de Saúde Pública, concedeu entrevista à Radio CBN e falou sobre a intensificação das ações na fiscalização de alimentos, na saúde dos viajantes, a preocupação com a circulação de novos vírus e bactérias, além de outras ações preventivas. Ainda de acordo com a pesquisadora, a realização de grandes eventos confere experiência ao Brasil para evitar grandes danos.

  7. Jornais destacam estudo que revela alta prevalência da depressão pós-parto

    BBC Brasil e o jornal Bom dia Brasil repercutiram o estudo desenvolvido pela pesquisadora Mariza Theme, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, que analisou a prevalência da depressão pós-parto nas mães brasileiras. O resultado da pesquisa revela que a depressão pós-parto acomete mais de 25% das mães no Brasil. “A mulher depressiva, normalmente, amamenta pouco e não cumpre o calendário vacinal dos bebês. As crianças, por sua vez, têm maior risco de apresentar baixo peso e transtornos psicomotores”, afirmou a coordenadora. Veja as reportagens.

  8. Observatório que analisará estratégias da indústria do tabaco no Brasil ganha destaque internacional

    Lançado recentemente pelo Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP/Fiocruz), o Observatório sobre as Estratégias da Indústria do Tabaco ganhou repercussão internacional. A plataforma digital que objetiva demonstrar a interferência da indústria do fumo nas políticas públicas de controle do tabaco ganhou destaque no site da Convenção Quadro para o Contrelo do Tabaco, da Organização Mundial da Saúde (WHO FCTC), e no site da Framework Convention Alliance, organização da sociedade civil na luta contra o tabagismo. A ferramenta, que permitirá colaborações externas, armazenará documentos que demonstram a influência da indústria nos processos políticos e legislativos, promovendo parcerias com lobistas para obter decisões que contemplem seus interesses. 

  9. Sites reproduzem estudo que observou elevados níveis de contaminação por mercúrio nos Yanomami

    A pesquisa desenvolvida pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca que analisou a exposição de grupos indígenas ao mercúrio proveniente de atividade garimpeira de ouro na Terra Indígena Yanomami, Roraima, ganhou repercussão internacional em decorrência dos elevados índices de contaminação naquela população. O Portal G1, a página eletrônica do Ministério Público Federal, o site Iflscience e muitos outros veículos de comunicação destacaram os resultados da pesquisa, coordenada por Paulo Basta, e com apoio do Instituto Socioambiental (ISA), do Laboratório de Química da PUC e da Hutukara Associação Yanomami (HAY). Confira  as reportagens.

  10. Vulnerabilidade social dificulta o combate à tuberculose

    Médica pneumologista e pesquisadora do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP) Margareth Dalcolmo concedeu entrevista à Agência Rádio Web, no final de março, na qual alertou para a importância do diagnóstico precoce da tuberculose. Dalcolmo ainda afirmou que a doença está extremamente ligada à exclusão. "A doença é coletivamente ligada à exclusão social, às condiçoes de moradia. A TB é hoje um indicador social. Taxas altas estão ligadas a outros indicadores e marcadores sociais, entre eles o saneamento básico". A entrevista foi republicada em 291 Rádios, de 268 municípios brasileiros, e também nos Estados Unidos e Paraguai. Confira a entrevista.