1. Diretor comenta os riscos do amianto à saúde

    O diretor da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Hermano Castro, concedeu entrevista ao canal Globonews, na qual comentou a decisão da Justiça, que pediu indenização de R$ 1 bilhão a uma empresa produtora da fibra para ressarcir os trabalhadores expostos ao amianto. A fribra é proibida em diversos países por estar associado a doenças pulmonares. De acordo com Hermano, que também é médico pneumologista, o risco mais assustador para as vítimas está relacionado ao câncer, que pode ser de pulmão ou o mesotelioma, cujo tratamento é muito difícil.

  2. Pesquisador da ENSP critica volta de emagrecedores

    O pesquisador Francisco Paumgartten foi a única voz dissonante em reportagem do Correio Braziliense, publicada em 4/9, sobre possível volta dos inimidores de apetite. O Senado Federal derrubou resolução da Anvisa que em 2011 vetou os inibidores de apetite. Além de criticar a competência técnica do senadores para fazer esse tipo de julgamento, Paumgarttem citou dados que mostram que os indices de obesidade estão estáveis desde a proibição deste tipo de medicamento.
     

  3. Estudo pode revolucionar o tratamento de doenças

    O pesquisador do Centro de Referência Professor Hélio Fraga da ENSP Luis Caetano Martha Antunes concedeu entrevista ao site da Revista Veja, no dia 24/8. Na reportagem, que abordou a forma como o estudo do microbioma humano pode revolucionar o diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças como obesidade, câncer e diabetes, Antunes demonstrou como uma substância produzida por um dos grupos de bactérias presentes no intestino é capaz de barrar a infecção causada por Salmonella. "São trilhões de bactérias, milhares de espécies que podem gerar centenas de novos produtos interessantes para nossa saúde", destacou.

  4. Imprensa aborda produção nacional de medicamentos

    Valor Econômico divulgou no dia 28 de agosto uma reportagem sobre a produção de medicamentos no país. No total, são 104 Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre instituições públicas e privadas. Essas parcerias, conforme mostra a matéria, podem gerar uma economia anual de R$ 4,1 bilhões para o SUS. De acordo com o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde e pesquisador da ENSP, Carlos Gadelha, com isso, o SUS se toma uma importante ferramenta para induzir a inovação no Brasil, além de significar economia para o governo.
     

     

  5. Pesquisador fala sobre a poluição da Baía de Guanabara

    O Jornal O Globo divulgou uma série de reportagens acerca da poluição da Baía de Guanabara e seus riscos à saúde. Na matéria desta terça-feira (26/8), o pesquisador do Departamento de Ciências Biológicas (DCB/ENSP) Antônio Nascimento Duarte afirmou que nenhuma praia da Baía pode ser considerada apta à recreação. "Em monitoramentos feitos nos últimos quatro anos em Paquetá e Ilha do Governador, o Departamento encontrou altos índices de concentração de ovos e larvas de helmintos (vermes), tanto nas areias como no espelho d’água", diz o texto.

  6. Pesquisador comenta sobre as residências terapêuticas

    Globo online divulgou, no dia 17/8, uma reportagem sobre as residências terapêuticas e seus benefícios, não só para os usuários do programa mas também para a economia do município de Carmo, onde estão localizadas 21 casas com 117 portadores de distúrbios mentais.  A experiência do programa, segundo a publicação, é importante para o processo conhecido como desinstitucionalização dos pacientes. O coordenador do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da ENSP e presidente da Associação Brasileira de Saúde Mental, Paulo Amarante, explicou na matéria que o projeto começou na Itália, na década de 1970, e se difundiu por vários países da Europa. "Lá, eles nem gostam do nome 'terapêutica'. É um local de moradia, que precisa ser visto dessa forma para que não acabe tendo regras muito rígidas, o que tornaria as casas semelhantes às clínicas." 

  7. Pesquisador comenta os riscos da remoção de lobo-marinho em Cabo Frio

    Biólogo e pesquisador do departamento de Endemias Samuel Pessoa da ENSP, Salvatore Siciliano concedeu entrevista ao Jornal O Globo, na segunda-feira (18/8), na qual comentou os riscos que a possível retirada do lobo-marinho encontrado na Praia das Conchas, em Cabo Frio, poderia trazer para a vida do animal. De acordo com o pesquisador, o estresse ocasionado pela captura pode levar o animal a óbito. Leia a reportagem.

  8. Reportagem destaca interferência das mudanças climáticas na saúde

    O jornal Correio Braziliense divulgou reportagem, nesta segunda-feira (18/8), que alerta para a forma como as mudanças climáticas no país geram um aumento de problemas respiratórios, de doenças relacionadas às condições hídricas, como a diarréia, e  ainda a proliferação de mosquitos transmissores de dengue, febre amarela e malária. O texto menciona uma pesquisa desenvolvida pela aluna de mestrado em Epidemiologia em Saúde Pública da ENSP, Adriana Fagundes Gomes, divulgado na revista Cadernos de Saúde Pública, cujo resultado apontou que no Rio de Janeiro, entre os anos de estudo (2001 e 2009), o acréscimo de 1ºC na temperatura mínima do mês pode aumentar em 45% o número de casos da doença no mês seguinte. A reportagem também ouviu o coordenador do Observatório Clima e Saúde da Fiocruz, Christovam Barcellos, e o pesquisador da Fiocruz Minas Gerais, Ulisses Confralonieri.

  9. População indígena carece de políticas públicas específicas

    O pesquisador da ENSP e coordenador do Grupo de Trabalho Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva ,Carlos Coimbra foi entrevistado na quarta-feira, 13 de agosto, pela afiliada da Rádio CBN, em Belém. Em pauta, a Mesa Redonda ‘Populações negligenciadas’, do 9º Congresso Brasileiro de Epidemiologia da Abrasco, o EpiVix, que será realizado em Vitória - Espírito Santo, de 7 a 10 de setembro. Na entrevista, Coimbra destacou a saúde da população indígena e da população quilombola, "O Brasil, que tem uma população indígena muito diversificada, teve tardiamente uma efetiva política pública diferenciada para esta população. O desafio é muito grande, o agravante é que nós ainda não conhecemos bem as especificidades dos indígenas, temos políticas, mas precisamos de mais ousadias nessas políticas",’ avaliou Coimbra.

  10. Margareth Dalcolmo fala sobre os riscos da tuberculose

    A pesquisadora do Centro de Referência Professor Hélio Fraga da ENSP (CRPHF), Margareth Dalcolmo, participou do programa Ligado em Saúde, exibido pelo Canal Saúde da Fiocruz, no início de agosto. Durante a entrevista, a pesquisadora falou sobre os grupos mais vulneráveis, os sintomas e as novidades a respeito do diagnóstico da tuberculose. Ainda segundo a médica pneumologista, a tuberculose é uma doença associada à exclusão social e às condições de vida e saneamento, mas possui fatores de risco como a idade e o tabagismo. Confira a entrevista completa no Canal Saúde.