1. Pesquisadora comenta relatório que aponta a TB como doença infecciosa que mais mata no mundo

    A pesquisadora Margareth Dalcolmo, do Centro de Referência Professor Hélio Fraga da ENSP, comentou, na terça-feira (3/11), na Globonews, o comunicado emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que aponta a tuberculose como a doença infecciosa mais mortal do planeta, superando a Aids. Consultora da OMS para assuntos de TB, Margareth afirmou que o Brasil está prestes a sair da lista dos 22 países com alta carga de casos. Segundo ela, apesar de a incidência ainda ser alta (70 mil casos novos a cada ano), está em decréscimo. “O que estão aumentando são os casos complexos. A TB mudou seu panorama social. Ela não é mais uma doença apenas relacionada à exclusão social”, afirmou. Confira a entrevista na íntegra.

  2. Reportagem destaca a redução do número de cesarianas no país

    O jornal O Globo de quarta-feira (28/10) destacou a redução do número de cesarianas no país após resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar. De acordo com os resultados parciais do programa Parto Adequado, a média anual de cesarianas caiu de 80% para 72% nos últimos sete meses. Para a pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca e coordenadora da pesquisa Nascer no Brasil, Maria do Carmo Leal, o Brasil pode diminuir ainda mais esse cenário e aumentar o número de partos normais. Confira a reportagem.

  3. ENSP treina profissionais para lidar com bioterrorismo nas Olimpíadas

    O Núcleo de Biossegurança da ENSP treinou profissionais de saúde para lidar com possíveis ataques bioterroristas durante as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. O treinamento, sigiloso, foi destaque nesta reportagem do jornal O Dia. Na última turma, foram formados 1200 trabalhadores, entre médicos, enfermeiros, laboratoristas e sanitaristas. A pesquisadora Telma Abdalla de Oliveira Cardoso, que coordena o Núcleo de Biossegurança, justificou a importância do curso uma vez que esses profissionais, provavelmente, serão os primeiros a identificar, controlar e tratar as situações emergências que possam ocorrer. 

  4. Pesquisadores da ENSP citados em reportagem sobre antigas populações humanas

    Reportagem publicada pelo jornal Estado de Minas, no dia 22 de outubro, apresenta uma série de estudos ressaltando que antigas populações humanas ingeriam plantas com propriedades terapêuticas, sugerindo a existência de uma medicina pré-histórica. Entre os citados na matéria estão os trabalhos de pesquisadores da ENSP/Fiocruz Isabel Teixeira Santos, Márcia Chame e Sérgio Chaves, realizados em Furna do Estrago, no estado de Pernambuco, e na Serra da Capivara, no Piauí. Confira a íntegra da reportagem.

  5. Tabaco: colunista divulga artigo publicado no Cadernos de Saúde Pública

    O colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, publicou em seu site o artigo divulgado pela revista Cadernos de Saúde Pública, da ENSP/Fiocruz, que aponta carga de tabagismo no país em 2011. O estudo, coordenado pela pesquisadora Márcia Teixeira Pinto, do Instituto Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), revela que o tabagismo é responsável por 147 mil mortes no Brasil, além de 157 mil infartos agudos do miocárdio, 75 mil AVCs e 63 mil diagnósticos de câncer. "O custo para o sistema de saúde é de R$ 23,4 bilhões por ano", diz o texto. O artigo completo pode ser acessado aqui.

  6. Estudo da ENSP sobre qualidade da areia de praças e creches ganha destaque na imprensa

    Um estudo coordenado pela pesquisadora Adriana Sotero, da Escola Nacional de Saúde Pública, da Fiocruz, alertou sobre a baixa qualidade das areias de parques, praças e creches, das zonas norte, sul e oeste do Rio de Janeiro. De acordo com as análises, de 13 pontos testados, apenas dois não apresentam ameaças à saúde das crianças que brincam nos espaços. Os resultados foram divulgados nas edições de sábado (29/8) do RJTV, dos jornais Extra e O Dia e nos sites da Revista Exame e da Agência Brasil. O estudo pretende subsidiar a criação de leis que avaliem a qualidade das areias. Confira.

  7. Ceensp de Greve sobre gastos da saúde é destaque no Canal Saúde da Fiocruz

    Os Comandos de Greve Geral da Fiocruz e da ENSP promoveram, no dia 19 de agosto, uma sessão especial do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da ENSP (Ceensp de Greve) para discutir questões que consideram urgentes para a garantia do direito à saúde pública. Entre os especialistas ouvidos pelo Jornal da Saúde, do Canal Saúde, exibido em 20/8, estava a vice-diretora de Ensino e pesquisadora da ENSP, Tatiana Wargas, que ressaltou a importância de se debater o tema para não haver maiores dificuldades de sustentar as políticas sociais.

  8. Pesquisa analisa relação entre dor de dente e desigualdade social

    Em entrevista para o jornal Diario de Pernambuco, publicada no dia 20 de agosto, a odontóloga e doutora em Saúde Pública pela ENSP/Fiocruz Bianca Santiago fala sobre sua pesquisa que trata, além da precariedade na higienização e da falta de uma alimentação saudável, do estresse gerado pela desassistência social que agrava os problemas odontológicos. A tese mostrou que a chance de relatar dor dentária foi 52% menor em pessoas que moravam em locais com alto capital social de vizinhança e que, entre os escolares, a chance de relatar dor foi 3,46 e 4,5 vezes maior entre aqueles que moravam, respectivamente, na segunda e na quarta áreas com maiores taxas de homicídio na capital João Pessoa, na Paraíba.

  9. Pesquisadora da ENSP fala sobre a proposta de cobrança por atendimento no SUS

    A vice-presidente do Cebes e pesquisadora da ENSP, Isabela Soares Santos, falou ao Canal Saúde sobre a possibilidade de cobrança por atendimento no Sistema Único de Saúde e seus significados. A reportagem, exibida em 14 de agosto no Jornal da Saúde, trata da proposta que vem causando muita polêmica no país, fazendo com que representantes do Movimento Sanitário e defensores da Saúde Pública se posicionem contra o projeto. Em uma de suas falas, Isabela Santos lembra que ao se cobrar por um serviço universal, integral e equitativo, você acaba aumentando as iniquidades e fazendo com que os mais pobres sejam injustiçados. Esta proposta faz parte da Agenda Brasil, apresentada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros e pela equipe econômica do Governo.

  10. Antibióticos: uso inadequado destes medicamentos é um problema para a saúde

    O uso inadequado de antibióticos - em excesso ou sem indicação -, pode prejudicar tratamentos futuros de doenças cujas causas necessitam de medicação específica, é o que afirmam diversos pesquisadores. Reportagens do jornal O Povo, do Ceará, de 12/7, mostram que estes medicamentos são essenciais, mas precisam ser usados com responsabilidade. Na primeira matéria, o pesquisador da ENSP/Fiocruz Caetano Antunes informa que descobriu que moléculas no organismo, que têm atividade protetora até então desconhecidas, podem combater uma série de infecções. Em sua segunda participação, ressalta que para combater algumas bactérias que não têm antibiótico específico, outras opções do medicamento estão sendo utilizadas, mas de forma intravenosa e com efeitos colaterais severos. Confira a íntegra das matérias nos arquivos em anexo.