1. Especialistas destacam importância da fabricação de nova vacina no país

    Em artigo para o jornal Folha de S. Paulo, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde e pesquisador da ENSP/Fiocruz, Carlos Gadelha, em parceria com o presidente de saúde global da Fundação Bill & Melinda Gates, Trevor Mundel, fala da parceria firmada entre as instituições para o desenvolvimento de uma vacina de alta qualidade e de baixo custo para prevenir sarampo e rubéola em alguns dos países mais pobres do mundo. O texto foi publicado na edição de 12 de novembro.

  2. ENSP inicia curso de monitoramento e avaliação em Brasília

    Uma aula inaugural realizada na quarta-feira (6/11), em Brasília, deu início ao primeiro curso de especialização para o monitoramento e avaliação dos programas do Ministério da Saúde. A iniciativa, realizada pelo Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS (DEMAS) do Ministério da Saúde terá a participação de 300 servidores e é organizado em parceria com o Laboratório de Avaliação de Situações Endêmicas Regionais (Laser) da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz).

  3. Imprensa destaca descoberta de micobactéria

    O pesquisador Jesus Ramos, do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP), descobriu nova espécie de micobactéria não causadora de tuberculose (TB). A nova espécie isolada no Brasil recebeu o nome de Mycobacterium fragae. A descoberta foi destacada em matéria publicada pelo jornal O Globo, seção Saúde, em 25/10, e em outros veículos, como o Jornal da Ciência e o site Infecções.com. De acordo com Ramos, o micro-organismo é o primeiro do tipo descrito por um cientista brasileiro desde 1938, quando José da Costa Cruz, cientista do Instituto Oswaldo Cruz, registrou a existência da Mycobacterium fortuitum.

  4. Caso Paulo Bruno repercute na imprensa

    Vários veículos de comunicação repercutiram a prisão do professor e pesquisador Paulo Roberto de Abreu Bruno, da ENSP/Fiocruz, na noite de terça-feira (15/10), quando participava de manifestação popular, no Centro do Rio de Janeiro, em apoio aos professores.

  5. Pesquisadora fala à imprensa sobre consumo do tabaco

    De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Europa está na vanguarda do controle do tabaco. "A situação no Brasil também melhorou nos últimos anos", disse a coordenadora do Centro de Estudo sobre Tabaco e Saúde da ENSP, Vera Luiza da Costa e Silva, em entrevista à Rádio CBN de Foz do Iguaçu, em 8/10. "No Brasil, a gente sofreu uma queda imensa de consumo. A gente tinha 84% e, hoje, a gente tem menos de 15% de consumo no país. Isso foi graças a uma série de políticas que foram implementadas pelo governo. Isso mesmo levando em conta que o Brasil é o segundo maior produtor e o maior exportador de folha de tabaco do mundo." Vera informou que um estudo no Brasil mostra que gastos pelo Sistema Único de Saúde no tratamento de doenças relacionadas ao tabaco são maiores que a arrecadação de impostos pelo país.

  6. Imprensa destaca vídeo 'Paracoco: uma endemia brasileira'

    O lançamento do documentário Paracoco: uma endemia brasileira foi noticiado com destaque pela Rede Brasil Atual, em 6/10. Sobre uma das doenças mais negligenciadas no Brasil, a paracoccidioidomicose, o vídeo, que traz informações sobre sintomas, diagnóstico, formas de contágio e tratamento, com depoimentos de pessoas doentes, é destinado a entidades de saúde e educação. Em entrevista à rede, o pesquisador da ENSP Ziadir Coutinho disse que a doença não é contagiosa e tem cura, causando, porém, graves sequelas e podendo matar se não for diagnosticada e tratada a tempo. "É muito mais comum em homens em idade produtiva, entre 30 e 50 anos. Como o sintoma mais comum é a tosse persistente, geralmente é confundida com a tuberculose, ou com o câncer, por causa das feridas que causa na boca, garganta e nariz", disse. Outros sintomas são emagrecimento e fraqueza, rouquidão, falta de ar, perda dos dentes e caroços no pescoço ou na virilha.

  7. SUS gasta cerca de 27% com doenças associadas ao tabagismo

    A edição desta segunda-feira (30/9) do jornal Gazeta do Povo traz reportagem sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal de liberar ou não as substâncias aditivas em cigarros. O texto apresenta o estudo desenvolvido pela Escola Nacional de Saúde Pública, cujo resultado indica que mais de 27,6% dos gastos do SUS em 2005 foram direcionados para o tratamento de três grupos de doenças associadas ao tabagismo: câncer, doenças respiratórias e cardiovasculares.

  8. Pesquisadora comenta financiamento e gargalos do SUS

    Os gastos com ações e serviços públicos de saúde foram triplicados nos últimos dez anos, em valores nominais, e mais que dobraram em termos reais a partir de 2000, mas não foram suficientes para garantir a efetividade do Sistema Único de Saúde. A conclusão faz parte de uma das constatações da pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública, Maria Alicia Dominguez Ugá, na reportagem “Gargalos do SUS ainda impedem universalização”, publicada no jornal Valor Econômico. Ainda de acordo com a pesquisadora, o Programa Saúde da Família representa um grande avanço na saúde pública.

     

     

  9. Reportagem alerta para informações sobre saúde na internet

    A edição de domingo (22/9) do jornal Extra publicou a reportagem 'Cuidado com o que lê sobre saúde na internet', baseada no estudo desenvolvido pelo pesquisador da ENSP André Pereira Neto. A matéria apresenta a avaliação realizada por André, que também coordena o Laboratório Internet, Saúde e Sociedade (Laiss), de 18 páginas - entre portais do governo, da iniciativa privada e de notícias - com conteúdo educativo sobre dengue. As páginas avaliadas não obtiveram média superior a 70%, após a atribuição de notas em cinco critérios: qualidade técnica, interatividade, legibilidade, abrangência e precisão da informação.

     

  10. Confrontos nas favelas: população e policiais sofrem com a situação

    A coordenadora do Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves), Cecília Minayo, concedeu entrevista ao Observatório de Favelas sobre a influência da violência na saúde mental e física dos indivíduos que vivenciam os confrontos armados nas favelas e demais espaços populares da cidade. Também editora científica da revista Ciência & Saúde Coletiva, Cecília sugere que a polícia considere, em primeiro plano, seus deveres constitucionais: "prevenir o crime e proteger a população", da Polícia Militar; e "investigar o crime", da Polícia Civil, sobretudo com instrumento de inteligência.