1. Jornais destacam estudo que revela alta prevalência da depressão pós-parto

    BBC Brasil e o jornal Bom dia Brasil repercutiram o estudo desenvolvido pela pesquisadora Mariza Theme, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, que analisou a prevalência da depressão pós-parto nas mães brasileiras. O resultado da pesquisa revela que a depressão pós-parto acomete mais de 25% das mães no Brasil. “A mulher depressiva, normalmente, amamenta pouco e não cumpre o calendário vacinal dos bebês. As crianças, por sua vez, têm maior risco de apresentar baixo peso e transtornos psicomotores”, afirmou a coordenadora. Veja as reportagens.

  2. Observatório que analisará estratégias da indústria do tabaco no Brasil ganha destaque internacional

    Lançado recentemente pelo Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP/Fiocruz), o Observatório sobre as Estratégias da Indústria do Tabaco ganhou repercussão internacional. A plataforma digital que objetiva demonstrar a interferência da indústria do fumo nas políticas públicas de controle do tabaco ganhou destaque no site da Convenção Quadro para o Contrelo do Tabaco, da Organização Mundial da Saúde (WHO FCTC), e no site da Framework Convention Alliance, organização da sociedade civil na luta contra o tabagismo. A ferramenta, que permitirá colaborações externas, armazenará documentos que demonstram a influência da indústria nos processos políticos e legislativos, promovendo parcerias com lobistas para obter decisões que contemplem seus interesses. 

  3. Sites reproduzem estudo que observou elevados níveis de contaminação por mercúrio nos Yanomami

    A pesquisa desenvolvida pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca que analisou a exposição de grupos indígenas ao mercúrio proveniente de atividade garimpeira de ouro na Terra Indígena Yanomami, Roraima, ganhou repercussão internacional em decorrência dos elevados índices de contaminação naquela população. O Portal G1, a página eletrônica do Ministério Público Federal, o site Iflscience e muitos outros veículos de comunicação destacaram os resultados da pesquisa, coordenada por Paulo Basta, e com apoio do Instituto Socioambiental (ISA), do Laboratório de Química da PUC e da Hutukara Associação Yanomami (HAY). Confira  as reportagens.

  4. Vulnerabilidade social dificulta o combate à tuberculose

    Médica pneumologista e pesquisadora do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP) Margareth Dalcolmo concedeu entrevista à Agência Rádio Web, no final de março, na qual alertou para a importância do diagnóstico precoce da tuberculose. Dalcolmo ainda afirmou que a doença está extremamente ligada à exclusão. "A doença é coletivamente ligada à exclusão social, às condiçoes de moradia. A TB é hoje um indicador social. Taxas altas estão ligadas a outros indicadores e marcadores sociais, entre eles o saneamento básico". A entrevista foi republicada em 291 Rádios, de 268 municípios brasileiros, e também nos Estados Unidos e Paraguai. Confira a entrevista.

  5. Violência obstétrica: pesquisadora aborda tema em programa no Canal Saúde

    Muitas mulheres passam por experiências traumáticas com o nascimento dos filhos, preferindo até esquecer esse momento único, que deveria ficar eternizado na memória. Algumas delas nem sabem, mas tal situação tem nome: violência obstétrica. O programa Ligado em Saúde, do Canal Saúde, conversou com a pesquisadora da ENSP Maria do Carmo Leal sobre essa importante questão. Compreende-se por violência obstétrica um conjunto de atitudes, consideradas abusivas e desrespeitosas, praticadas contra as mulheres ou bebês no decorrer do parto.

  6. Pesquisadora analisa a presença das babás na intimidade das famílias brasileiras

    Autora do livro Como se fosse da família, cuja análise recai sobre a convivência das babás dentro das famílias para as quais prestam serviços, a pesquisadora Liane Maria Braga da Silveira, do Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde da ENSP, concedeu entrevista à Folha de S. Paulo acerca da polêmica foto de uma babá empurrando o carrinho dos filhos dos empregadores durante manifestação no Rio de Janeiro. Na opinião da pesquisadora, que também defendeu tese de doutorado sobre o tema, em alguns casos, a babá perfeita era aquela que conseguia se tornar invisível. Confira a reportagem.

     

  7. Reportagem apresenta pesquisa que analisa o óbito de jovens

    O Jornal do Rio, exibido pela Tv Bandeirantes, apresentou, na edição de segunda-feira (14/3), os resultados da pesquisa Mortes violentas de jovens: um olhar compreensivo para uma tragédia humana e social, realizada pelo Departamento de Violência e Saúde Jorge Carelli (Claves/ENSP). A reportagem destaca o aumento do número de mortes violentas entre jovens de 15 a 29 anos, sobretudo nas Américas. Na opinião da coordenadora do estudo, a pesquisadora Edinilsa Ramos, o levantamento pôde demonstrar que "as mortes não estão ligadas somente aos fatores da criminalidade, mas a questões de gênero, machismo e discriminação". Confira a reportagem.

  8. 'Condições ambientais e sociais da Baixada favorecem proliferação do Aedes'

    O pesquisador Eduardo Maranhão, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, concedeu entrevista ao jornal Conecta Baixada, em reportagem que alertou o grande número de casos de zika na Baixada Fluminense. O pesquisador informou que os meses de março e abril - por serem mais úmidos - e as condições ambientais e sociais da região favorecem a proliferação do Aedes aegypti. Confira.
     

  9. Enchentes no Rio: pesquisadores comentam possíveis riscos à saúde

    O Jornal de Bairro Zonal Sul, do O Globo, publicou reportagem sobre os alagamentos na cidade do Rio de Janeiro alertando sobre os principais riscos à saúde da população e os prejuízos à cidade. Para os pesquisadores do Departamento de Ciência Biológicas da ENSP Valmir Laurentino e Antonio Nascimento Duarte, ouvidos na reportagem, a leptospirose e a ingestão de água contaminada são os principais riscos àqueles que convivem com enchentes. Leia a reportagem.
     

  10. Paciente informado: pesquisa ganha visibilidade na mídia

    Mais uma vez, a pesquisa sobre Paciente Informado, do pesquisador da ENSP e coordenador do Laboratório Internet, Saúde e Sociedade (Laiss), do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP), André Pereira Neto ganha espaço na mídia. Desta vez, o Blog do Noblat, coluna da Globo.com, sob a responsabilidade do jornalista Ricardo Noblat, foi quem abordou o tema. Com o título Internet: o bom, o ruim e o apavorante, a nota fala sobre o desafio de filtrar e ordenar o turbilhão de informações ao qual temos acesso todos os dias. E citou a pesquisa liderada por André Pereira para ilustrar o tema.