1. Reportagem aponta efeitos da queimada na saúde humana

    A pesquisadora Sandra Hacon, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), concedeu entrevista ao jornal Bom dia Brasil sobre o impacto das queimadas na saúde humana. A reportagem apresentou dados do estudo realizado em parceria com a USP, UFRJ e UFRN, que analisou 4 mil crianças na Amazônia, e revelou aumento de 50% no número de bebês que nascem abaixo do peso em locais com queimada. Além disso, os resultados apontam que 24% das crianças com idade entre 6 e 8 anos sofrem de asma no período de queimadas. A pesquisa também foi divulgada no Portal G1

  2. Pesquisadora comenta novo tratamento para tuberculose em crianças

    O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandeta, anunciou a incorporação no SUS de uma nova formulação, simplificada e com mesma eficácia, para o tratamento da tuberculose em crianças menores de 10 anos. A medida, de acordo com a pesquisadora da ENSP e membro do Comitê Assessor em TB do Ministério da Saúde, Margareth Dalcolmo, responde a um longo anseio do Programa de Controle. Confira, no Podcast desta semana, por qual razão o novo tratamento é mais aceitável para as crianças e por qual motivo pode representar uma mudança de paradigma no tratamento da tuberculose.

  3. Pesquisadora da ENSP comenta a epidemia de cesáreas no Brasil

    A pesquisadora da ENSP, Silvana Granado – especialista em saúde da mulher e coordenadora adjunta da pesquisa Nascer no Brasil – comentou, em entrevista ao site de notícias DW Brasil, as políticas públicas do país e a aprovação do projeto proposto pela deputada Janaína Paschoal (PSL), o qual garante a possibilidade de gestantes optarem pelo parto cirúrgico através do SUS mesmo sem recomendação médica.

  4. Pesquisador da ENSP comenta decreto de internação involuntária

    Na segunda-feira (5/8), foi divulgado pelo prefeito Marcelo Crivella, um decreto, no qual foram estabelecidas regras referentes a internação involuntária de usuários de drogas em situação de rua. Segundo especialistas e dados do Sistema de Informação Hospitalar - disponíveis no painel de gestão do município e divulgados pelo Jornal O Globo - o município não possui estrutura para comportar a demanda, incluindo a que já existia, antes mesmo do decreto ser assinado. 

  5. Exploração ilegal de garimpo provoca contaminação em indígenas Ianomâmi

    O pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), Paulo Basta, responsável pelo estudo com os povos indígenas Ianomâmi - presentes entre os estados de Amazonas e Roraima -, destacou que 56% da população analisada exibiu um índice de contaminação por mercúrio acima do limite estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que seria de 2 microgramas de mercúrio. 

  6. Agrotóxicos: pesquisador da ENSP fala sobre alteração do Marco Regulatório

    O pesquisador do Cesteh/ENSP, Luiz Cláudio Meirelles, opinou sobre a alteração do Marco Regulatório anunciadas pela Anvisa. Para ele, fazer essa harmonização internacional acaba deixando de lado as características do agricultor brasileiro. "Temos no país tecnologia de ponta, mas também há uma grande parte do setor representado pela agricultura familiar onde o produtor que vai manusear o agrotóxico tem baixa escolaridade", explicou. 

  7. Pesquisadores da ENSP participam de especial sobre agrotóxicos

    O jornal mineiro O Tempo produziu a matéria especial "Agrotóxico causa rombo nos gastos com saúde e licenças médicas", que expõe o ritmo desenfreado com que as liberações de agrotóxicos têm ocorrido no governo Bolsonaro. Para entender os efeitos de uma quantidade nunca vista de produtos químicos disponíveis no mercado, na saúde dos trabalhadores rurais e dos consumidores em geral, a reportagem ouviu os pesquisadores da ENSP/Fiocruz, Marcelo Firpo e Luiz Claudio Meirelles,ambos integrantes do Grupo Temático Saúde e Ambiente, da Abrasco. 

  8. Pesquisadora da ENSP comenta sobre mortalidade materna

    Dentre os inúmeros problemas que compõem a precariedade do sistema de saúde pública do país, a negligência com gestantes se destaca. O Rio de Janeiro ocupa a sexta posição do país entre os estados com mais casos de displicência para com mulheres grávidas, segundo o Ministério da Saúde. Em entrevista ao jornal O Globo, a pesquisadora Maria do Carmo Leal abordou possíveis justificaticas para esta situação.

  9. Pesquisador da ENSP comenta liberação excessiva de novos agrotóxicos no país

    Neste primeiro semestre de 2019 o governo já liberou o uso de 239 novos pesticidas, sendo 42 deles autorizados na última semana de junho. Cerca de 2.173 substâncias são licenciadas para o uso em lavouras brasileiras. Segundo o último levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU) para Agricultura e Alimentação, o Brasil é o país que mais gastou com agrotóxicos no mundo – 10 bilhões de reais, em média, no ano de 2013 – superando países como Estados Unidos, China, Japão e França.