1. Antibióticos: uso inadequado destes medicamentos é um problema para a saúde

    O uso inadequado de antibióticos - em excesso ou sem indicação -, pode prejudicar tratamentos futuros de doenças cujas causas necessitam de medicação específica, é o que afirmam diversos pesquisadores. Reportagens do jornal O Povo, do Ceará, de 12/7, mostram que estes medicamentos são essenciais, mas precisam ser usados com responsabilidade. Na primeira matéria, o pesquisador da ENSP/Fiocruz Caetano Antunes informa que descobriu que moléculas no organismo, que têm atividade protetora até então desconhecidas, podem combater uma série de infecções. Em sua segunda participação, ressalta que para combater algumas bactérias que não têm antibiótico específico, outras opções do medicamento estão sendo utilizadas, mas de forma intravenosa e com efeitos colaterais severos. Confira a íntegra das matérias nos arquivos em anexo.

  2. Imprensa do Amapá repercute lançamento do Perfil da Enfermagem no Brasil no estado

    Na quinta-feira, 9 de julho, foram apresentados, no Amapá, os resultados do Perfil da Enfermagem no Brasil para o referido estado, pela pesquisadora da ENSP e coordenadora geral da pesquisa, Maria Helena Machado. A notícia foi repercutida pela rádio DiárioFM e pelo jornal Diário do Amapá Online. O estudo mostra que o Amapá tem o mesmo índice nacional no que diz respeito ao quantitativo de funções: 80% dos profissionais que trabalham no estado são técnicos de enfermagem, enquanto que 20% são enfermeiros. Confira a íntegra da reportagem.

  3. Perfil da Enfermagem no Brasil é lançado em Mato Grosso

    Na sexta-feira, 3 de julho, foi lançado em Mato Grosso o Perfil da Enfermagem no Brasil. O estudo inédito, que foi destaque na edição de 6/7 do jornal A Gazeta, aponta que cerca de 55% dos profissionais de enfermagem do estado dizem não se sentir seguros durante a prestação de serviço à população. Além disso, 69,7% desses profissionais afirmaram sofrer violência psicológica no ambiente de trabalho e 23,1% disseram já ter sidos agredidos fisicamente. Confira a íntegra da reportagem.

  4. Propaganda de medicamentos: modelo brasileiro de regulamentação é ineficaz, diz pesquisadora

    A pesquisadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica da ENSP Vera Lucia Luiza comentou, em entrevista ao programa Ver TV, da TV Brasil, que o modelo brasileiro de regulamentação da publicidade de medicamentos é ineficaz. Segundo ela, apesar da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ser responsável por fiscalizar se as propagandas seguem as limitações estabelecidas pela legislação brasileira, na prática este controle não acontece. Confira a entrevista na íntegra.

  5. Inseticidas domésticos podem afetar saúde infantil

    Reportagem publicada pelo site Hoje em dia alerta para o fato de que inseticidas spray ou elétrico usandos em casa podem causar danos à saúde, principalmente das crianças. Entre os especialistas ouvidos para a matéria está a pesquisadora da ENSP Paula de Novaes Sarcinelli, que considera preocupante o uso crescente destes produtos. Segundo Paula, o hábito das crianças de levar a mão à boca aumenta os riscos, sem contar que estes produtos tóxicos são absorvidos pela pele, sistemas respiratório e digestivo e excretados em 48 horas pela urina. "Os danos ao organismo estão relacionados à quantidade e ao tempo de exposição", explica.

  6. Rádio destaca estudo da ENSP sobre tuberculose

    Um estudo da ENSP sobre tuberculose, que aponta uma maior incidência da doença entre negros e índios, serviu de base para uma reportagem da rádio carioca CBN.O estudo Tuberculose no Brasil: uma análise segundo raça/cor, desenvolvido pelo pesquisador Paulo Victor de Sousa Viana, mostrou que na comparação com a população branca, o número de casos de tuberculose é três vezes maior entre índios e duas vezes maior entre negros.

  7. Jornais do Rio repercutem pesquisa da Fiocruz sobre desempenho das UPAs

    A pesquisa realizada pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) que analisou o desempenho das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) no Rio de Janeiro foi divulgada nos jornais O Dia, Extra online, O Globo online e na coluna do jornalista Ancelmo Gois, do O Globo. O estudo, coordenado pela pesquisadora Luciana Dias Lima, revela que a permanência dos pacientes por mais de 24 horas nas UPA é um problema frequente. Além disso, observou-se que a demanda é maior que a capacidade de atendimento das unidades.

  8. Parto na água é uma importante ferramenta no alívio da dor

    Neste domingo, o jornal Estado de Minas publicou reportagem na qual destacou a importância da realização de boas práticas de assistência obstétrica, e mencionou o parto na água como uma experiência que alivia a dor e agiliza o nascimento do bebê. A reportagem citou o estudo Nascer no Brasil, desenvolvido pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), que aponta o medo da dor como principal motivo para escolha da cesariana. Leia.

  9. Pesquisador comenta aumento da presença de coliformes fecais na água do Rio de Janeiro

    O número de amostras com coliformes fecais coletadas na rede da Cedae aumentou 50% este ano. A denúncia foi tema da reportagem de capa do jornal O Globo desta sexta-feira (19/6), que alerta para os riscos à saúde da população e para a falta de fiscalização adequada. O pesquisador do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental (DSSA/ENSP) Jaime Lopes comentou a possibilidade de ligações clandestinas e infiltrações na rede terem algum tipo de influencia na contaminação. 
     

  10. Aplicativo produzido pela Fiocruz é notícia no Globo

    O aplicativo de monitoramento da fauna silvestre, SISS-GEO, desenvolvido pela Fiocruz e, recentemente, finalista do Prêmio Nacional da Biodiversidade, foi notícia no jornal O Globo de hoje. Lançada no ano passado, a  ferramenta é interativa e de livre acesso ao público. A partir de informações geradas pelos usuários, são feitas analises que buscam identificar problemas com a fauna silvestre, especialmente aqueles com potencial para afetar a saúde humana. A pesquisadora Márcia Chame, da ENSP, que coordena o centro de Informação em Saúde Silvestre, responsável pelo aplicativo, explicou detalhes de seu funcionamento, na reportagem de O Globo. Veja o texto completo neste link.