1. Diretor da ENSP comenta mortes e internações em decorrência da má qualidade do ar

    A poluição do ar mata 14 pessoas por dia no estado do Rio de Janeiro. A área mais crítica é a Região Metropolitana. Em Nova Iguaçu e Duque de Caxias, a concentração de poluentes no ar chega a ser três vezes maior que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Em entrevista ao jornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo, o diretor da ENSP, Hermano Castro, falou sobre a preocupação com os impactos da poluição na saúde de moradores das duas maiores cidades do país, Rio e São Paulo.

  2. OMS estabelece diretrizes mais rígidas para redução do fumo

    A reunião da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, da Organização Mundial da Saúde, aprovou diretrizes mais rígidas para redução do tabagismo. As recomendações orientam maior taxação e restrição à venda, responsabilização da indústria, no caso de litígios, sobre os malefícios e mortes causadas pelo cigarro, além de controle redobrado sobre as propagandas nos pontos de venda. As medidas foram comentadas pela chefe do Secretariado da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde (OMS), Vera Luiza da Costa e Silva, em entrevista ao jornal O Globo, na edição de terça-feira (21/10). A representante brasileira na OMS, que também é pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), falou ainda sobre a proibição dos cigarros eletrônicos e a situação do Brasil no que diz respeito ao fumo.
     
     
     

  3. Congresso internacional sobre parto normal tem grande exposição na mídia

    De 14 a 16 de outubro, a Fundação Oswaldo Cruz, a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (ABENFO) e o Comitê Diretor da University of Central Lancarshire, no Reino Unido, realizaram o congresso internacional Ecos da 9th International Research Conference - Normal é Natural: da pesquisa à ação, no Rio de Janeiro. A atividade, que reuniu diversos palestrantes internacionais com o objetivo de trocar conhecimentos, estabelecer contatos e conhecer novos avanços na atual ciência, com base em evidências acerca da natureza e das culturas ao redor do parto, teve grande repercussão na mídia. No dia da abertura do evento, o Ministério da Saúde anunciou uma série de medidas para para incentivar a redução de cesarianas para pacientes com planos de saúde. Confira a repercussão do evento internacional.

  4. Reportagens destacam evolução do parto natural e congresso internacional sobre o tema

    A edição de quarta-feira (8/10) da Revista O Globo A Mais trouxe na matéria de capa uma reportagem sobre o aumento da busca por partos humanizados. A prática, recomendada pela Organização Mundial da Saúde e pelo Ministério da Saúde, ainda está distante da realidade brasileira, segundo os dados da pesquisa Nascer no Brasil, coordenada pela Fiocruz. De acordo com a pesquisadora da ENSP Maria do Carmo Leal, que concedeu entrevista à revista, “o parto humanizado é aquele que respeita a mulher e atribui a ela o direito de conduzir seu parto. A não ser que aconteça alguma complicação”, ponderou. 

  5. Escola capacita profissionais para prevenção de desastres naturais

    A capacitação de 110 agentes de saúde e de endemias em Petrópolis visando a prevenção de destastres na região ganhou destaque no Portal de Notícias G1, na segunda-feira, 6 de outubro. Com objetivo de fomentar, articular e mobilizar práticas educativas, além de executar ações de prevenção e primeiras respostas a desastres naturais, o curso de capacitação para Agentes Locais em Desastres Naturais: Defesa Civil e Saúde na Redução de Riscos é uma parceria entre a Fiocruz (ENSP, EPSJV e IOC), a UFF, a UFRJ e a Defesa Civil do Rio de Janeiro. A iniciativa é fruto do trabalho do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde (Cepedes/Fiocruz), coordenado pelo pesquisador da ENSP Carlos Machado de Freitas.

  6. Imprensa repercute conferência internacional sobre parto normal

    Agência Brasil destacou, em matéria publicada no dia 6/10, a conferência internacional sobre parto normal que ocorrerá entre os dias 14 e 16 de outubro, no Centro de Convenções SulAmérica no Rio de Janeiro. Promovida pela Fundação Oswaldo Cruz, pela Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (ABENFO) e pelo Comitê Diretor desta série formado na University of Central Lancarshire no Reino Unido, a conferência intitulada Normal Labour and Birth Research Conference receberá convidados do Reino Unido, França, Austrália, Canadá, Estados Unidos, Dinamarca e Argentina a fim de possibilitar a troca de conhecimentos, estabelecer contatos e conhecer novos avanços na atual ciência com base em evidências acerca da natureza e das culturas ao redor do parto.

  7. Núcleo da Fiocruz da CVRS é destaque na imprensa

    A criação do Núcleo da Fiocruz da Comissão da Verdade da Reforma Sanitária (CVRS) e o depoimento de Antônio Ivo, ex-diretor da ENSP, no evento de lançamento do núcleo foram notícia nos jornais Correio Brasiliense, Diário de Pernambuco entre outros. O Núcleo pretende auxiliar a comissão em sua busca por documentos históricos que revelem a atuação de profissionais de saúde durante a ditadura militar. Os relatos dão conta tanto de profissionais que ajudaram presos políticos vítima de violência quanto daqueles que atuaram ao lado dos carrascos nas práticas de tortura.

  8. Pesquisador da ENSP debate estratégias contra o tabagismo

    Nos últimos 25 anos, o Brasil reduziu pela metade seu número de fumantes. Uma vitória imensa dos que lutam contra o tabaco. Mas a indústria do cigarro segue forte no mundo todo e reage com novas estratégias toda vez que surge uma política pública de combate ao fumo. Essa disputa e outros temas referentes ao tabagismo estiveram em debate no pograma Sala de Convidados, do Canal Saúde, da Fiocruz, que contou com a presença de Marcelo Moreno, pesquisador do Centro de Estudos Sobre o Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP). 

  9. Pesquisadores analisam liberação de inibidores de apetite

    Em 2011, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retirou do mercado três inibidores de apetite (femproporex, mazindol e anfepramona ou dietilpropiona) e impôs restrições a um quarto (sibutramina), porém, a Câmara e o Senado aprovaram, em 2 de setembro deste ano, um projeto de decreto legislativo (PDL) para revogar a decisão, apresentado pelo deputado Beto Albuquerque (PSB/RS). Os pesquisadores da ENSP Suely Rozenfeld e Francisco Paumgartten argumentaram sobre os benefícios e riscos destes medicamentos na seção Opinião da Folha.com, divulgada no dia 19/9. Confira o artigo.