1. Reportagem destaca complicações do nascimento prematuro

    Na quinta-feira (17/7), o Jornal do Commercio publicou reportagem sobre os riscos que o nascimento prematuro podem trazer para o bebê. De acordo com o texto, que se baseou nos dados da pesquisa Nascer no Brasil, o nascimento antes do tempo mínimo de 37 semanas está relacionado a doenças como hipertensão, diabetes e pode causar complicações neurológicas e visuais. Segundo a pesquisa da Fiocruz, a epidemia de nascidos com 37 ou 38 semanas é, em parte, explicada pelo elevado numero de cesarianas.

  2. Editorial alerta para falta de medicamentos contra TB

    No dia 14 de julho, o editorial do jornal Correio Brasiliense destacou a falta de remédios contra tuberculose distribuídos pela rede pública, alertada pelo coordenador técnico da área de tecnologia social do Observatório Tuberculose Brasil (OTB/ENSP/Fiocruz), Carlos Basília. De acordo com o texto, o Brasil alcançou uma posição de destaque no tratamento e controle da doença, mas interromper o tratamento por falta de remédio é inaceitável. “Um dos grandes desafios dos profissionais dos centros de saúde é evitar a evasão de pacientes”, diz o editorial. 

     

  3. 'Nascer no Brasil' repercute na imprensa

    A pesquisa Nascer no Brasil, realizada pela Fiocruz e coordenada pela pesquisadora da ENSP Maria do Carmo Leal, foi destaque em mais reportagens divulgadas pela imprensa. No estudo foram entrevistadas 23.894 mulheres atendidas em maternidades públicas, privadas ou conveniadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), entre fevereiro de 2011 e outubro de 2012. Foram coletados dados em 266 hospitais de 191 municípios, incluindo todas as capitais e cidades do interior de todos os estados. Os resultados comprovaram que não há recuo nas cesáreas. Na contramão desses dados, o Diário do Litoral, em matéria publicada no dia 13 de julho, ouviu mães que optaram por fazer o parto em casa sem intervenções cirúrgicas. No mesmo dia, a Folha de São Paulo também se baseou nos dados da pesquisa para reportagem que abordou os riscos à saúde da mãe e do bebê provocados pela cesariana.

  4. Fórum do Estadão sobre saúde terá participação da ENSP

    A pesquisadora da ENSP Joyce Mendes de Andrade Schramm participará da terceira edição dos Fóruns Estadão Brasil 2018, que acontecerá no dia 16 de julho, com apoio educacional do Insper. O evento colocará em discussão a saúde, debatendo os temas: "Avanços no sistema público e os desafios dos próximos anos"; "Cenário da saúde privada no Brasil e desafios de regulamentação dos Planos de Saúde" e "Desafios demográficos e o novo contexto de saúde no Brasil".

  5. Alerta sobre falta de medicamentos repercute na imprensa

    Na quarta-feira (9/7), em matéria publicada pelo Informe ENSP, o coordenador técnico da área de tecnologia social do Observatório Tuberculose Brasil (OTB/ENSP/Fiocruz), Carlos Basília, alertou para a falta de remédios contra tuberculose distribuídos pela rede pública. A discussão pautou reportagens nos jornais Correio Brasiliense e Estado de Minas, que reforçaram a importância da produção nacional do medicamento. Leia os textos abaixo.

  6. Artigo associa mortes súbitas ao uso do sildenafil

    "Será que estamos assistindo a um surto silencioso de morte súbita de homens associada ao uso de sildenafil, medicamento usado para disfunção erétil?" O questionamento foi tema de um artigo, intitulado Risco de alta potência, publicado na edição desta segunda-feira (30/6), do jornal O Globo. Assinado pelos pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), Suely Rosenfeld e Álvaro Nascimento, o texto alerta para os relatos de morte súbita em motéis, cujas vítimas possuíam, entre seus pertences, medicamentos com a substância sildenafil. "A aparente ocorrência de aumento de casos de morte súbita de homens em uso do sildenafil - paralelo ao extraordinário crescimento das vendas no país, de dois milhões de unidades/ano para 30 milhões, com o fim da vigência de sua patente - merece investigação de caráter público", advertem os pesquisadores.

  7. Estudo da ENSP sobre violência no namoro é destaque no Globo

    O artigo Namoro na adolescência no Brasil foi destaque em reportagem divulgada pelo Globo online, no dia 23 de junho. O estudo, realizado pelos pesquisadores do Centro Latino Americano de Estudos de Violência e Saúde da ENSP (Claves) Thiago de Oliveira Pires, Queiti Batista Moreira, Simone Gonçalves de Assis e Kathie Njaine, indica que a maior parte dos adolescentes que relatam viver situações de agressões nos relacionamentos declaram também ter vivido ou assistido atos de violência na família, seja entre os pais, dos pais com os filhos, entre irmãos, outros familiares ou até amigos próximos. Os resultados da pesquisa mostram que a prática da violência nas relações afetivas tende a ser um comportamento repetido e até justificado pelas referências vividas pelo indivíduo; isto é, ver ou conviver com violência afetiva influencia na formação de pessoas mais agressivas.

  8. Autor de proposta de regulação da maconha defende avanços na ciência

    André Kiepper, aluno de mestrado em Saúde Pública da ENSP e autor da proposta de regulação da maconha no Brasil explicou, em entrevista ao Portal Último Segundo, que "maconha não é para todo mundo, e um dos maiores obstáculos para o uso medicinal é a resistência aos efeitos psicoativos dessa droga". Na reportagem, o mestrando defende avanços da ciência para redução de efeitos psicoativos da droga no uso medicinal.

  9. Jornal repercute debate sobre a regulação da maconha no Senado

    O jornal Folha de Londrina noticiou, no último domingo (15/6), que o debate sobre a regulação da maconha no Brasil está no Senado. A reportagem destaca que a proposta, de autoria do aluno de mestrado em Saúde Pública da ENSP, André Kiepper, já teve primeira audiência na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal. O texto ainda destaca que a sugestão do aluno pode virar um projeto de lei. Leia a reportagem completa aqui.

  10. Fiocruz é destaque em conferência internacional

    O jornal O Globo divulgou uma reportagem sobre a Rio Conferences, aberta no dia 13 de junho no Museu de Arte do Rio (MAR), na qual debateu os rumos do setor de saúde. O evento abordou os temas biotecnologia, indústria farmacêutica e serviços/equipamentos da área de saúde, e contou com a presença do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, e do pesquisador do Departamento de Administração e Planejamento em Saúde da ENSP e secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha. "Temos que avançar em tecnologia e inovação. É hora de o Brasil competir cabeça a cabeça nesse setor", disse o pesquisador.