1. Encontro debate impacto e regulação dos agrotóxicos

    "A questão do agrotóxico é complexa: não pela substância em si, mas sim por ser esse produto um componente relacionado à lógica internacional do capitalismo", esclareceu o pesquisador do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) Ary Miranda. A apresentação do pesquisador fez parte do seminário de encerramento, ocorrido em 19/12, das atividades de ensino e pesquisa do Cesteh neste ano. Abrindo a mesa Como anda o uso de agrotóxico no Brasil: os aspectos legais e os impactos na saúde e no meio ambiente, Ary Miranda, também coordenador do debate, disse que as consequências sofridas hoje no Brasil são provenientes de um deslocamento do processo de produção de commodities agrícolas do hemisfério norte para o hemisfério sul.

  2. Rede de Escolas finaliza encontro nacional na ENSP

    Perspectivas do Programa Quali Conselhos, pactuação da agenda de trabalho de 2013 e avaliação dos processos nacionais de formação na Rede foram os principais temas discutidos durante o 9º Encontro Nacional da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública. O último dia da reunião, 13/12, contou com a consolidação dos apontamentos para o próximo ano e o lançamento do manual Compartilhamento de recursos educacionais para a Rede de Escolas e Centros Formadores. Os representantes das instituições participaram de um treinamento para a utilização dessa nova ferramenta que compartilhará seus materiais educacionais com a Rede REA e o Campus Virtual em Saúde Pública.

  3. Lançado manual para padronização de compartilhamento de recursos educacionais

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/Fiocruz), em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e a Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública, realizou a Oficina de Gestão da Informação Digital em Rede. A atividade foi parte do 9º Encontro Nacional da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública, na manhã do dia 13/12. O objetivo da oficina foi apresentar os recursos e as ferramentas multimídias existentes no site da Rede e capacitar os participantes para a alimentação do sistema por meio do compartilhamento dos recursos educacionais.

  4. MS aponta desafios para educação em saúde

    "É preciso investir num processo de educação voltado para a necessidade do Sistema Único de Saúde (SUS) e formar os profissionais para atuação nas redes que foram lançadas ou estejam sendo implementadas por meio de um pacto tripartite. Também é preciso investir em educação permanente para o SUS e até na regulação profissional, definindo melhor quantas especialidades são necessárias para o sistema." Esses são alguns dos desafios apresentados por Mônica Sampaio, diretora do departamento de Gestão da Educação na Saúde do Ministério da Saúde. Ela proferiu uma palestra durante o 9° Encontro Nacional da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública, que termina no dia 12 de dezembro, no Rio de Janeiro.

  5. Curso forma profissionais para a saúde da família do RJ

    O Programa Teias-Escola Manguinhos, em parceria com a Subsecretaria de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde do Rio de Janeiro, acaba de realizar o curso Formadores em Medicina de Família e Comunidade Leonardo Euract. Fruto de uma cooperação técnica com a European Academy of Teachers in General Practice (Euract) e o mestrado profissional em Atenção Primária à Saúde, o curso formou 30 alunos, entre eles médicos e profissionais de equipes multiprofissionais. Seu objetivo foi qualificar e ampliar a atuação desses profissionais que atuam como preceptores na rede municipal de atenção primária de saúde do Rio de Janeiro.

  6. Qualificação de Conselhos: inscrições seguem até 8/2

    O Curso Nacional de Qualificação de Conselhos de Saúde está com inscrições de alunos abertas até o dia 8 de fevereiro de 2013. Para concorrer a uma das vagas, é necessário ser conselheiro municipal ou estadual de saúde, ser indicado pelo respectivo conselho de saúde, possuir conhecimentos básicos de informática, ter um e-mail e disponibilidade de dez horas semanais para desempenhar as atividades propostas. O curso é uma parceria entre a Vice-Direção de Cooperação e Escola de Governo da ENSP/Fiocruz, a Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública e a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde.

  7. Rede de Escolas lançará projeto de Acreditação Pedagógica

    Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública lançará o projeto Acreditação Pedagógica dos Cursos Lato Sensu. Segundo a coordenadora do grupo de trabalho de acreditação pedagógica da Rede de Escolas, Rosa Souza, a acreditação é um procedimento de verificação externa e uma forma pactuada de gerenciamento coletivo da qualidade. O lançamento acontecerá no dia 17 de novembro, durante a realização do 10º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, às 11h30, na sala 302 da Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre.

  8. Campanha sobre Aids mobiliza unidades de saúde

    O Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP) será uma das unidades básicas de saúde do município do Rio de Janeiro que participarão da campanha Fique por Dentro. A atividade tem por objetivo realizar coleta de sangue para testagem de sífilis e HIV, coleta de exame ginecológico (Papanicolau), vacinação, prevenção de câncer de boca, com auxílio da Equipe de Saúde Bucal, e realizar atividades educativas de prevenção. Além do Centro de Saúde, a Clínica Victor Valla e o CSE Manguinhos - unidades que também integram o Território Escola Manguinhos - participarão da campanha. As unidades ficarão abertas das 8 às 17 horas durante todo o sábado (9/11) e contarão com a presença de vários profissionais de saúde que atenderão os pacientes. A atividade será aberta a todos os interessados.

  9. Crack: seminário propõe estratégias de enfrentamento

    "Este seminário promove um casamento entre academia e gestão. A aliança que sacramenta este casamento é o viés metodológico, ou seja, a metodologia como reflexão sobre o método. Essa é uma das chaves para o entendimento desta problemática, englobando todos os aspectos clínicos e epidemiológicos existentes nela", destacou o mediador da terceira mesa do seminário Juventude, Crack e outras Drogas: Polêmicas, Alternativas e Políticas Públicas, Fernando Bessa, pesquisador do Departamento de Ciências Sociais da ENSP. Além da terceira mesa, intitulada Abordagens clínicas e epidemiológicas, a parte da tarde do seminário contou com mais um debate, Desafios para a saúde pública e para o SUS, que teve por objetivo discutir os principais problemas enfrentados pelo setor saúde na problemática das drogas.