1. ENSP/Fiocruz se posiciona contrária à exportação do amianto

    A ENSP/Fiocruz se une a outras entidades para reforçar sua posição contrária à exportação do amianto. A Eternit, ex-gigante do amianto no Brasil, informou que deixou de usar a fibra cancerígena na produção de telhas. Porém, comunicou que continuará exportando as fibras de amianto para dezenas de países em desenvolvimento. O diretor da ENSP, Hermano Castro, reforça ser inaceitável que o Brasil mantenha a produção de um produto comprovadamente carcinogênico apenas para a exportação, sem se incomodar com a saúde das populações.

  2. Atenção Primária e os efeitos do mercúrio na saúde pautaram seminário na ENSP

    O Centro de Saúde Escola, da ENSP promoveu, ao final de 2018, o seminário A Atenção Primária à Saúde e os efeitos do mercúrio na saúde. Na ocasião, estiveram em debate a Convenção de Minamata, a vigilância de populações expostas, a gestão de resíduos odontológicos em unidades de saúde, o uso da restauração de amálgama em consultórios do Rio de Janeiro, entre outros assuntos. A atividade contou com a participação de pesquisadores da ENSP, do Ministério da Saúde e da UFRJ. As apresentações estão disponíveis no Canal da ENSP, no Youtube.

  3. ENSP/Fiocruz se posiciona contrária à exportação do amianto

    A ENSP/Fiocruz se une a outras entidades para reforçar sua posição contrária à exportação do amianto. A Eternit, ex-gigante do amianto no Brasil, informou que deixou de usar a fibra cancerígena na produção de telhas. Porém, comunicou que continuará exportando as fibras de amianto para dezenas de países em desenvolvimento. O diretor da ENSP, Hermano Castro, reforça ser inaceitável que o Brasil mantenha a produção de um produto comprovadamente carcinogênico apenas para a exportação, sem se incomodar com a saúde das populações.

  4. Inscrições abertas para curso de Antropometria aplicada à avaliação nutricional em serviços de saúde

    A ENSP/Fiocruz está com inscrições abertas para o Curso de Qualificação Profissional em Antropometria aplicada à avaliação nutricional em serviços de saúde. Oferecido em nível de aperfeiçoamento, na modalidade presencial, o curso tem o objetivo de capacitar e treinar profissionais de saúde para aferir medidas antropométricas com qualidade em indivíduos das diversas etapas da vida. As inscrições devem ser feitas até o dia 15 de fevereiro, na Plataforma SigaLS. Acesse o edital. 

  5. Atenção Primária e os efeitos do mercúrio na saúde pautaram seminário na ENSP

    O Centro de Saúde Escola, da ENSP promoveu, ao final de 2018, o seminário A Atenção Primária à Saúde e os efeitos do mercúrio na saúde. Na ocasião, estiveram em debate a Convenção de Minamata, a vigilância de populações expostas, a gestão de resíduos odontológicos em unidades de saúde, o uso da restauração de amálgama em consultórios do Rio de Janeiro, entre outros assuntos. A atividade contou com a participação de pesquisadores da ENSP, do Ministério da Saúde e da UFRJ. As apresentações estão disponíveis no Canal da ENSP, no Youtube.

  6. Plataforma de Conhecimento em Saúde do Isags reúne dados de toda a América do Sul

    O Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (ISAGS), lançou, em dezembro de 2018, sua Plataforma de Conhecimento em Saúde, espaço virtual em três idiomas, com relatórios, livros, estudos, cursos, materiais e referências de especialistas jornalísticos, entre outras ferramentas sobre temas como a Atenção Primaria, Vigilância Sanitária, Compras Públicas e Escassez de Drogas, Programas de Transferência de Renda, além de uma ação inédita na região no campo da Diplomacia em Saúde.

  7. Dez ameaças à saúde que a OMS combaterá em 2019

    O mundo está enfrentando vários desafios na área da saúde. Estes variam de surtos de doenças evitáveis por vacinação, como é o caso do sarampo e da difteria; das crescentes notificações de patógenos resistentes a medicamentos; e das altas taxas de obesidade e inatividade física, além dos impactos à saúde causados pela poluição ambiental, mudança climática e múltiplas crises humanitárias.

  8. Em busca de novas estratégias de vigilância para dengue, Zika e chikungunya

    Desafios para a saúde pública, o controle e a vigilância das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti são prioridades do Projeto ArboAlvo, liderado pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e pelo Programa de Computação Científica da Fiocruz (PROCC). A iniciativa busca o desenvolvimento de uma metodologia para estratificação do território em áreas de risco de transmissão dos vírus dengue, Zika e chikungunya, com base em parâmetros epidemiológicos, entomológicos, ambientais e sociodemográficos em cidades endêmicas para essas arboviroses. 
     

  9. Ministério da Saúde atualiza casos de sarampo

    O Ministério da Saúde atualizou, na quarta-feira (9/1), as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação do sarampo no país. Desde o início de 2018, até 8 de janeiro deste ano, foram confirmados 10.274 casos no Brasil. Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo: no Amazonas com 9.778 casos confirmados e, em Roraima, com 355 casos. Três estados apresentaram óbitos pela doença: quatro em Roraima, seis no Amazonas e dois no Pará.

  10. Saúde é Meu Lugar: mostra de vivências nos territórios encerra mais um ciclo

    Os números falam por si só e definem o nível de qualidade de um projeto tão inspirador: 1.485 histórias publicadas; 700 narradores inscritos; 1.500 pessoas cadastradas; e 55 mil visualizações do site na mostra on-line. 24 mostras presenciais realizadas; 22 estados contemplados e 2.115 participantes. Nas redes sociais, 2.500 seguidores, mais de 1 milhão de visualizações e 5 mil compartilhamentos.