1. NAF/ENSP participa de workshop internacional sobre acesso a tecnologias sanitárias, patentes e preço

    De 5 a 7 de dezembro, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Departamento de Políticas de Medicamentos e Assistência Farmacêutica da Escola Nacional de Saúde Pública (NAF/ENSP/Fiocruz) e o Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags/Unasul) promovem o workshop Acesso a tecnologias sanitárias, patentes e preços: consulta para o fortalecimento de capacidades no uso do direito da concorrência para promover o acesso a medicamentos. O evento internacional conta com a participação de representantes do Ministério da Saúde, do Escritório de Patentes e dos setores de Defesa da Concorrência de 12 países da América do Sul. A abertura foi realizada pelo chefe do NAF/ENSP/Fiocruz, Jorge Bermudez, com participação de representantes do PNUD e Isags. 

  2. ENSP promove debate sobre crise da saúde no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (23/11)

    Dedicada há mais de seis décadas à formação profissional em saúde, pesquisa, desenvolvimento tecnológico, formulação de políticas públicas e prestação de serviços de referência em saúde, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz não poderia ficar imune à crise da saúde no Rio de Janeiro. Demissões, salários atrasados, falta de insumos, medicamentos, exames complementares e a ausência de contratos de manutenção e limpeza são alguns dos exemplos que expõem a situação vivida pelos cariocas. Diante disso, nesta quinta-feira, 23 de novembro, a ENSP/Fiocruz promoverá o debate A crise na Saúde no Município do Rio de Janeiro, às 9 horas, no salão internacional. O debate será coordenado pelo médico, vereador da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e professor colaborador da ENSP, Paulo Pinheiro, e contará com a participação do Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Ronaldo Moreira Paes, do Presidente da Associação dos Médicos de Família e Comunidade, Moisés Vieira Nunes, da Subsecretária Geral Executiva da Secretaria Municipal em Saúde, Ana Beatriz Busch Araújo, e do Representante do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Ricardo Levorato. A atividade, organizada com o apoio da Direção e da Vice-Direção de Escola de Governo em Saúde da ENSP, é aberta a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  3. ENSP promove debate sobre crise da saúde no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (23/11)

    Dedicada há mais de seis décadas à formação profissional em saúde, pesquisa, desenvolvimento tecnológico, formulação de políticas públicas e prestação de serviços de referência em saúde, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz não poderia ficar imune à crise da saúde no Rio de Janeiro. Demissões, salários atrasados, falta de insumos, medicamentos, exames complementares e a ausência de contratos de manutenção e limpeza são alguns dos exemplos que expõem a situação vivida pelos cariocas. Diante disso, nesta quinta-feira, 23 de novembro, a ENSP/Fiocruz promoverá o debate A crise na Saúde no Município do Rio de Janeiro, às 9 horas, no salão internacional. O debate será coordenado pelo médico, vereador da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e professor colaborador da ENSP, Paulo Pinheiro, e contará com a participação do Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Ronaldo Moreira Paes, do Presidente da Associação dos Médicos de Família e Comunidade, Moisés Vieira Nunes, da Subsecretária Geral Executiva da Secretaria Municipal em Saúde, Ana Beatriz Busch Araújo, e do Representante do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Ricardo Levorato. A atividade, organizada com o apoio da Direção e da Vice-Direção de Escola de Governo em Saúde da ENSP, é aberta a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  4. ENSP promove debate sobre crise da saúde no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (23/11)

    Dedicada há mais de seis décadas à formação profissional em saúde, pesquisa, desenvolvimento tecnológico, formulação de políticas públicas e prestação de serviços de referência em saúde, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz não poderia ficar imune à crise da saúde no Rio de Janeiro. Demissões, salários atrasados, falta de insumos, medicamentos, exames complementares e a ausência de contratos de manutenção e limpeza são alguns dos exemplos que expõem a situação vivida pelos cariocas. Diante disso, nesta quinta-feira, 23 de novembro, a ENSP/Fiocruz promoverá o debate A crise na Saúde no Município do Rio de Janeiro, às 9 horas, no salão internacional. O debate será coordenado pelo médico, vereador da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e professor colaborador da ENSP, Paulo Pinheiro, e contará com a participação do Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Ronaldo Moreira Paes, do Presidente da Associação dos Médicos de Família e Comunidade, Moisés Vieira Nunes, da Subsecretária Geral Executiva da Secretaria Municipal em Saúde, Ana Beatriz Busch Araújo, e do Representante do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Ricardo Levorato. A atividade, organizada com o apoio da Direção e da Vice-Direção de Escola de Governo em Saúde da ENSP, é aberta a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  5. Seminário Internacional encerra atividades debatendo experiências viáveis de desmedicalização

    Experiências viáveis e seguras de desmedicalização psiquiátricas foi o tema em debate no último dia de atividades do seminário Internacional A Epidemia das Drogas Psiquiátricas: Causas, Consequências e Alternativas, realizado, na ENSP/Fiocruz, durante três dias (30 e 31/10 e 1º/11), e que contou com a participação de diversos palestrantes nacionais e internacionais detentores de experiências e evidências científicas concretas de alternativas viáveis e seguras à desmedicalização. Coordenada por Francisco Netto, coordenador executivo do Programa Álcool, Crack e outras Drogas (PACD) da Fiocruz, a mesa contou com a participação de três grandes nomes: Robert Whitaker, Laura Delano e Jaakko Seikkula. O evento internacional teve coordenação do pesquisador Paulo Amarante, do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da ENSP/Fiocruz.

  6. Diabetes aumenta no país e já atinge 9% dos brasileiros

    Em alusão ao Dia Mundial do Diabetes, o Ministério da Saúde reforça o alerta à população sobre o crescimento da doença no país. O diagnóstico da enfermidade aumentou 61,8% em 10 anos, segundo dados da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) do Ministério da Saúde.  Entre 2006 e 2016, o número de pessoas que dizem saber do diagnóstico de diabetes passou de 5,5% para 8,9%. As mulheres lideram o ranking: 9,9% da população feminina declarou possuir a doença contra 7,8% dos homens. O crescimento do diabetes é uma tendência mundial, devido ao envelhecimento da população, mudanças dos hábitos alimentares e prática de atividade física. De acordo com a Pesquisa Vigitel, 18% da população das capitais brasileiras consomem alimentos doces em cinco ou mais dias da semana, sendo maior entre mulheres (19,7%) do que entre homens (16,0%). O comportamento é mais comum entre jovens de 18 a 24 (26,2%) seguido pela faixa etária de 25 a 34 (20,6%). O levantamento foi feito, a partir de perguntas que indagavam sobre a frequência semanal do consumo de sorvetes, chocolates, bolos, biscoitos ou doces.

  7. Método que aposta no diálogo com pacientes psiquiátricos reduz uso de medicamentos

    O diálogo, a escuta compreensiva e a valorização das experiências sócio-interacionais podem ser grandes aliadas do tratamento de pessoas que apresentam comportamentos psicóticos, favorecendo a redução do uso de medicamentos e a compreensão das causas do problema. Este é o fundamento do Diálogo Aberto, abordagem apresentada pelo psicólogo finlandês Jaakko Seikkula, no segundo dia do seminário internacional A Epidemia das Drogas Psiquiátricas: Causas, Danos e Alternativas, realizado entre os dias 30 de outubro e 1 de novembro de 2017, na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). O pesquisador abordou o comportamento psicótico e os atuais desafios para o tratamento, dizendo que o comportamento psicótico é mais comum do que se pensa. "Não acredito na existência da psicose enquanto categoria clínica. Não há nada que defina que essas pessoas que apresentam comportamentos psicóticos sejam qualitativamente diferentes das pessoas que não apresentam", afirmou Jaakko. 

  8. Benzeno: evento na ENSP discute avaliação de trabalhadores expostos

    O benzeno, substância cancerígena existente nos combustíveis, está presente em diversos ambientes e processos de trabalho. Desde os anos 2000 vem ganhando força a discussão sobre a exposição ao benzeno dos trabalhadores de postos de combustíveis, decorrente da presença dessa substância na gasolina. O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) há algumas décadas, vem implementando esforços com várias instâncias de governo no sentido de aprimorar as ações na luta contra o benzeno. Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno - lembrado em 5 de outubro - o Cesteh/ENSP promoverá mais uma atividade da série Encontros do Cesteh, que debaterá a pesquisa Avaliação ambiental e indicadores de genotoxicidade em trabalhadores expostos a benzeno em postos de combustíveis. O encontro é aberto a todos os interessados e está marcado para quarta-feira, 8 de novembro, na sala 32 do Cesteh, a partir das 12 horas.

  9. Benzeno: evento na ENSP discute avaliação de trabalhadores expostos

    O benzeno, substância cancerígena existente nos combustíveis, está presente em diversos ambientes e processos de trabalho. Desde os anos 2000 vem ganhando força a discussão sobre a exposição ao benzeno dos trabalhadores de postos de combustíveis, decorrente da presença dessa substância na gasolina. O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) há algumas décadas, vem implementando esforços com várias instâncias de governo no sentido de aprimorar as ações na luta contra o benzeno. Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno - lembrado em 5 de outubro - o Cesteh/ENSP promoverá mais uma atividade da série Encontros do Cesteh, que debaterá a pesquisa Avaliação ambiental e indicadores de genotoxicidade em trabalhadores expostos a benzeno em postos de combustíveis. O encontro é aberto a todos os interessados e está marcado para quarta-feira, 8 de novembro, na sala 32 do Cesteh, a partir das 12 horas.

  10. Benzeno: evento na ENSP discute avaliação de trabalhadores expostos

    O benzeno, substância cancerígena existente nos combustíveis, está presente em diversos ambientes e processos de trabalho. Desde os anos 2000 vem ganhando força a discussão sobre a exposição ao benzeno dos trabalhadores de postos de combustíveis, decorrente da presença dessa substância na gasolina. O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) há algumas décadas, vem implementando esforços com várias instâncias de governo no sentido de aprimorar as ações na luta contra o benzeno. Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno - lembrado em 5 de outubro - o Cesteh/ENSP promoverá mais uma atividade da série Encontros do Cesteh, que debaterá a pesquisa Avaliação ambiental e indicadores de genotoxicidade em trabalhadores expostos a benzeno em postos de combustíveis. O encontro é aberto a todos os interessados e está marcado para quarta-feira, 8 de novembro, na sala 32 do Cesteh, a partir das 12 horas.