1. Anvisa manifesta preocupação pelos possíveis resultados da aprovação do PLC 61/15

    A Anvisa vem externar preocupação quanto aos efeitos que poderão ser provocados com a aprovação do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 61/2015, pelo Senado, que libera a produção, a venda e o uso de substâncias inibidoras de apetite – anorexígenos – sobre a saúde da população brasileira. Com a liberação de produtos que contenham substâncias como sibutramina, anfepramona, femproporex e mazindol, o controle e a fiscalização desses medicamentos ficarão praticamente inexistentes. Além disso, aumentam os riscos de efeitos adversos que tais produtos possam provocar a quem os toma, uma vez que não têm comprovada cientificamente a satisfatória relação risco x benefício.

  2. Oficina apresentará projetos voltados para o território de Manguinhos

    Na quinta-feira, 19 de maio, a Vice-Direção de Pesquisa e Inovação e o Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP) realizarão a primeira Oficina do Teias - Escola Manguinhos. Na ocasião, serão apresentados projetos desenvolvidos por pesquisadores da ENSP que possuem aplicação direta no território de Manguinhos por meio da Estratégia de Saúde da Família (ESF). Ao todo dez projetos serão expostos por seus respectivos coordenadores e acontecerá também uma breve contextualização do que é o Teias, seguida de uma apresentação sobre a Estratégia de Saúde da Família  no território de Manguinhos enquanto lugar da pesquisa e uma videoconferência sobre Gestão do Conhecimento e Translação na Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde. A oficina é o primeiro de três encontros que ocorrerão ao longo do ano. Neste primeiro momento a atividade é voltada apenas para profissionais e coordenadores. Posteriormente será realizada uma oficina aberta a todos os interessados para apresentação dos projetos contemplados.

  3. Saúde da Família: modelo avança, mas ainda é permeado de contradições

    Contrastes, divergências e paradoxos marcaram as apresentações do XI Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família, que abordou o tema Contradições entre a expansão da Estratégia de Saúde da Família e o modelo assistencial. Para tanto, recebeu o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, e o pesquisador do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal Fluminense Aluísio Gomes. Segundo ressaltou Daniel, vivemos um tempo de debate bem menos intenso no que se refere ao modelo assistencial adotado. Conforme apontado por Aluísio, o fortalecimento da Atenção Primária como solução para a reordenação dos sistemas de saúde apresenta contradições na medida em que os discursos de universalização são, na realidade, dirigidos a uma atenção primária pouco resolutiva, voltada para pobres e fragmentada, ou seja, “a manifestação prática desse discurso é um contrassenso. Por isso, deve-se pensar sempre sobre qual atenção primária se está falando”, comentou.

  4. XI Ciclo de Debates reflete sobre a atual conjuntura brasileira

     A Residência Multiprofissional em Saúde da Família realizou, de 2 a 6 de maio, a 11ª edição do Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família. Ao longo de uma semana de intensas discussões, estiveram em pauta a atual conjuntura do país, a Política de Saneamento no Brasil, as contradições entre a expansão da Estratégia de Saúde da Família e o modelo assistencial, a Política de Saúde Mental e a Política Nacional de Residência, além da tradicional formatura do curso. No primeiro dia de atividades, o debate contou com a participação do deputado federal Chico Alencar e da historiadora Virginia Fontes. Sob a coordenação da pesquisadora da ENSP Sandra Venâncio, os palestrantes refletiram acerca do momento pelo qual passa o país. Segundo "Chico", estamos vivendo uma crise de destino na sociedade, uma crise civilizatória. Sobre o dia de votação na Câmara dos Deputados, em 17 abril, na opinião do deputado, aquele momento expressou a política dominante no Brasil, que, infelizmente, é a política da família como elemento de amálgama para a reprodução de mandatos, e não das Estratégias de Saúde da Família.

  5. Política Nacional de Residência e formatura encerram XI Ciclo de Debates

    Ao longo de uma semana temas como ameaça à democracia, política de saneamento, expansão da Estratégia de Saúde da Família, e a Política de Saúde Mental foram discutidas no XI Ciclo de Detabes - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família. Encerrando a atividade, na sexta-feira, 6 de maio, será realizada a mesa Política Nacional de Residência: como garantir a formação de propostas substitutivas de mão de obra, tendo como conferencista convidada a pesquisadora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP) Laura Feuerwerker. O encontro contará com Alice Mariz, da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS/RJ), como debatedora e será coordenado pela pesquisadora da ENSP Maria Alice Pessanha. Marcada para 9 horas, a última mesa acontecerá no auditório térreo da Escola. Encerrando a semana, será realizada também a tradicional formatura da turma 2014-2016 da Residência Multiprofissional em Saúde da Família. A solenidade está marcada para às 14 horas.

  6. ENSP adota campanha de higienização das mãos

    Infecções relacionadas à assistência à saúde ocorrem constantemente e representam grave problema de saúde pública em todo o mundo. Conforme afirmação da OMS, a higienização correta das mãos é fundamental para garantir a segurança do paciente. No intuito de estimular estratégias preventivas e sensibilizar profissionais de saúde para o controle e diminuição desses eventos adversos, é comemorado o Dia Mundial de Higienização das Mãos. A ENSP, que tradicionalmente incentiva a prática, este ano, está em especial preocupada com a incidência do vírus Influenza A, causador da gripe H1N1, e adotou a campanha. Na sexta-feira, 6/5, o Centro de Estudos de Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana promoverá uma dinâmica sobre a importância da correta higienização das mãos voltada para todos os trabalhadores da Escola. Além disso, o Proqualis, parceiro de pesquisas da ENSP, também mantém a página Higienização das Mãos, que apresenta protocolos, literatura de interesse, aulas e demais conteúdos atualizados para disseminar a melhoria das práticas de higiene das mãos no país.

  7. Política de Saúde Mental norteia quarto dia de discussões do XI Ciclo de Debates ENSP

    As discussões do XI Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estartégia de Saúde da Família seguem na quinta-feira, 5 de maio, com a mesa A política de saúde mental em xeque ou em choque? A nomeação do psiquiatra Valencius Wurch Duarte Filho para o cargo de coordenador de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas do Ministério da Saúde e o repúdio de diversos especialistas do campo norteará o debate. O quarto dia de atividades contará com a conferência do pesquisador do Instituto de Psiquiatria da UFRJ Pedro Gabriel Delgado e do superintendente de Saúde Mental da Secretária Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Hugo Faguntes, como debatedor. O encontro, marcado para às 9 horas, no auditório térreo da ENSP, será coorddenado pela pesquisadora da ENSP Fátima Rocha. 

  8. Contradições entre a expansão da ESF e o modelo assistencial pautam terceiro dia do Ciclo de Debates

    O terceiro dia de atividades do XI Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família debaterá as Contradições entre a expansão da Estratégia de Saúde da Família e o modelo assistencial. Para falar sobre o assunto, o evento terá como conferenciasta o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, e como debatedor o pesquisador do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal Fluminense Aluísio Gomes. O debate, marcado para às 9 horas, no auditório térreo da ENSP, será coordenado pela pesquisadora da ENSP Roberta Gondim. 

  9. Tragédia da mineração: seminário fará balanço após seis meses

    No dia em que a tragédia ocorrida no município de Mariana, em Minas Gerais, causada pelo rompimento da barragem da Mineradora Samarco, completa seis meses, pesquisadores, profissionais de órgãos governamentais (defesa civil, saúde e meio ambiente), movimentos sociais e representantes dos moradores das regiões afetadas se reunirão para discutir os impactos sofridos e as ações realizadas durante o semestre. O encontro tem como um de seus organizadores o pesquisador da ENSP e coordenador do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde (ENSP/Fiocruz), Carlos Machado de Freitas. Léo Heller, coordenador do grupo de pesquisa de Direitos Humanos e Políticas Públicas em Saúde e Saneamento do Centro de Pesquisa René Rachou (CPqRR/Fiocruz Minas), responsável por conduzir as ações relacionadas à tragédia em toda a Fundação também participará das discussões. O seminário será realizado nos dias 5 e 6 de maio em Mariana.

  10. Segundo dia do Ciclo de Debates abordará a Política de Saneamento no Brasil

    Dando continuidade às discussões do XI Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família, na terça-feira, 3 de maio, será debatida a Política de saneamento no Brasil: um desafio para a saúde. O descaso sucessivo dos governos com o saneamento básico e as consequências desse fato na proliferação do Aedes aegypti e no aumento das epidemias de dengue, zika e chikungunya pautarão o debate. O encontro contará com a conferência do pesquisador da Universidade Federal da Bahia Luíz Roberto Santos Moraes e terá como debatedor Pedro Pequeno, da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro. A mesa será coordenada pelo pesquisador Jorge Valadares, da ENSP/Fiocruz. O debate acontece no auditório térreo da ENSP, a partir das 9 horas.