1. Pesquisa do MS mostra perfil da saúde do brasileiro

    No Dia Mundial da Saúde, comemorado em 7 de abril, o ministro da Saúde José Gomes Temporão anunciou dados inéditos sobre indicadores de qualidade de vida no Brasil. A pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, Vigitel 2008, revelou que os brasileiros estão atentos com a sua saúde.

  2. Crianças vítimas de violências são mais vulneráveis à depressão

    "A violência infantil está diretamente ligada à depressão e a comportamentos agressivos de crianças e adolescentes", apontou a pesquisadora da ENSP Joviana Quintes Avanci, citando estudos realizados sobre violência e comportamento infantil no município de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. A pesquisa, coordenada por Simone Gonçalves de Assis, foi realizada por uma equipe do Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP/Fiocruz).

  3. Programa de Oncobiologia da UFRJ faz novo credenciamento

    Até o dia 08 de maio estarão abertas as inscrições para o credenciamento de novos pesquisadores e/ou recredenciamento dos antigos grupos de pesquisa em câncer interessados em participar do Programa Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão na Biologia do Câncer (Programa de Oncobiologia), pelos próximos dois anos.

  4. Brasileiro morre menos por doenças do coração

    As mortes por doenças cardiovasculares diminuíram no país, entretanto, são esperados aumentos graduais das taxas nas próximas décadas, o que indica a necessidade de implementação de políticas públicas no sentido da prevenção destas doenças. Tais questões são apontadas em artigo publicado na última edição do Pan American Journal of Public Health por pesquisadores do Rio de Janeiro.

  5. Pesquisas recebem R$ 532 milhões de investimentos do Ministério da Saúde

    O apoio para pesquisas com células-tronco é um exemplo do que o Ministério da Saúde vem fazendo pela ciência no país. Desde 2003, R$ 532,75 milhões foram investidos, em 2.694 projetos científicos de universidades e instituições de pesquisa. O repasse foi articulado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério e seus parceiros.

  6. Brasil terá cadastro único de crianças em situação de abrigo

    O Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP), em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), vai realizar a pesquisa Implementação de ações de vigilância social: levantamento das crianças abrigadas por medida protetiva; padronização dos modelos de registro de atendimento dos CRAS e CREAS; construção de metodologia de diagnóstico de risco e vulnerabilidade para nível municipal. O estudo tem o objetivo de buscar informações de qualidade sobre os serviços de acolhimento e fornecer subsídios para a elaboração e implementação de políticas públicas.

  7. Atendimento de emergência a pacientes com infarto ganha modelo de gestão

    As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade proporcional no país, tendo sido responsáveis por cerca de 30% do total de óbitos no estado do Rio de Janeiro em 2002. Para desenvolver um programa de melhoria da qualidade no atendimento de casos de infarto agudo do miocárdio pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o projeto Gestão do cuidado ao paciente com infarto agudo do miocárdio em emergências hospitalares do Rio de Janeiro, coordenado pela vice-diretora de Ensino e Pesquisa da ENSP, Margareth Portela, recebeu apoio da FAPERJ por meio do edital Prioridade Rio.

  8. Rede brasileira sobre câncer irá unificar linhas de pesquisa

    Unificar pesquisas sobre câncer, integrar pesquisadores que trabalham em diferentes áreas e estimular ações coordenadas nas linhas de pesquisa básica e clínica são objetivos da Rede Brasileira de Pesquisas sobre o Câncer, criada através de parceria entre Ministério da Saúde, Ministério da Ciência e Tecnologia e CNPq. O coordenador do Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente da ENSP, Sergio Koifman, coordenará a área de epidemiologia da Rede.

  9. Pesquisa alerta população para doenças transmitidas por alimentos

    A carência de informações sobre higiene e segurança alimentar, destinadas aos segmentos populacionais mais vulneráveis às doenças transmitidas por alimentos (DTA), motivou o desenvolvimento de pesquisa coordenada por William Waissmann (Cesteh/ENSP). O estudo foi submetido a um edital do CNPq e teve como produto a construção de uma página eletônica e três vídeos educativos, a fim de despertar a população para a prevenção das DTA, particularmente, no ambiente doméstico.