1. 'Existe o dever de falar a verdade no contexto da Covid-19?', questiona artigo

    O artigo Existe o dever de falar a verdade no contexto da Covid-19?, publicado pelo GT de Bioética da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), aborda a questão imperativa de ser verdadeiro em um cenário de emergência em Saúde Pública. No texto, os pesquisadores alertaram para o fato de que “vivemos mais um momento em que as verdades científicas são questionadas por dúvidas razoáveis que movimentam o método científico, como seria natural, mas não por opiniões, que são determinadas por visões ideológicas que desprezam argumentos científicos. [E] ideias fantasiosas ou ficcionais tomam o lugar do respeito às verdades científicas”. Confira a publicação. 

  2. Pesquisa revela dados sobre 'fake news' relacionadas ao novo coronavírus

    Um recente estudo, conduzido pelas pesquisadoras da ENSP Claudia Galhardi e Maria Cecília de Souza Minayo, apontou as principais redes sociais propagadoras de notícias falsas sobre o novo coronavírus no Brasil. A pesquisa, que analisou denúncias e notícias falsas recebidas pelo aplicativo Eu Fiscalizo entre 17 de março e 10 de abril, mostra que as mídias sociais mais utilizadas para disseminação de fake news sobre o novo coronavírus foram Instagram, Facebook e WhatsApp.

  3. 'Ação educativa das quebradeiras de coco babaçu do Maranhão': projeto ENSP aprovado pelo Inova

    No Maranhão, a indústria extrativista é uma atividade econômica responsável por 95% da produção nacional. No caso do babaçu, é símbolo de luta de cerca de 400 mil mulheres organizadas pelo Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), que encontram no trabalho seu modo de vida e sobrevivência. Elas enfrentam constante ameaça de fazendeiros que tentam impedir o acesso de quebradeiras aos babaçuais, e o desafio de valorização das suas culturas. Esse é o objeto de pesquisa do projeto Ação educativa integradora das quebradeiras de coco babaçu do Maranhão dirigida à formação, ao fortalecimento da cadeia de valor e ao autocuidado da saúde.

  4. 10 fake news que você precisa conhecer sobre o coronavírus

    Idealizado com base em um projeto de pós-doutoramento da pesquisadora Claudia Galhardi na ENSP, o aplicativo Eu fiscalizo tem recebido diversas notificações de fake news relacionadas ao novo coronavírus. Desenvolvido para que usuários notifiquem conteúdos impróprios em veículos de comunicação, mídias sociais e whatsapp, o app tem contribuído para que a sociedade tire suas dúvidas e obtenha esclarecimentos com a Fiocruz, de forma simples e rápida, a respeito de informações veiculadas sobre a Covid-19. Conheça 10 fake news sobre o coronavírus denunciadas por meio do Eu fiscalizo!
     

  5. Pesquisador da ENSP aborda questões sobre a saúde mental dos trabalhadores de saúde em tempos de Covid-19

    O pesquisador da ENSP, Sergio Rego, e Marisa Palácios, da UFRJ, em novo artigo escrito em parceria, falam a respeito do amplo leque de possibilidades de impactos do trabalho sobre a saúde mental dos trabalhadores de saúde. "Entendendo que a carga é sempre uma relação entre as exigências do trabalho e os recursos que se pode lançar mão, pessoal e coletivamente, é possível traçar amplo mapa de ações que podem impactar a saúde mental dos trabalhadores de saúde nesses tempos difíceis de coronavírus", defendeu ele. Sergio e Marisa são professores e ex-coordenadores do PPGBIOS. Atualmente, ele é o responsável pela unidade do Rio de Janeiro da rede vinculada à cátedra da Unesco na Universidade de Haifa, e Marisa é professora titular de bioética e diretora do Núcleo de Bioética e Ética Aplicada da UFRJ (Nubea). Confira o artigo.

  6. Inova Fiocruz 2020 aprova 13 projetos da ENSP

    A ENSP teve 13 projetos aprovados no Programa Inova Fiocruz 2020. O resultado final da avaliação do primeiro ano do Programa com projetos contemplados nos Editais: Ideias Inovadoras, Geração de Conhecimento, Novos Talentos e Produtos Inovadores foi divulgado nesta terça-feira (24/3). Confira!

  7. Em artigo, pesquisador da ENSP fala sobre solidariedade em tempos de Covid-19

    “Hoje, assistimos autoridades econômicas de nosso país tentando se aproveitar da catástrofe que vai se desenhando para tentar implementar suas propostas de reformas, como se estas fossem algum tipo de resposta possível para a crise sanitária. Não é. O abandono e a minimização das políticas de amparo social apenas agravam a situação”, defendeu o pesquisador da ENSP, professor permanente e ex-coordenador-geral do Programa de Pós-Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva e responsável pela unidade do Rio de Janeiro da rede vinculada à cátedra da Unesco na Universidade de Haifa, Sergio Rego, em artigo escrito em parceria com Marisa Palácios, que é igualmente ex-coordenadora-geral do PPGBIOS, professora titular de bioética e diretora do Núcleo de Bioética e Ética Aplicada da UFRJ (Nubea). 

  8. 'TB ainda é muito incidente, principalmente em populações vulneráveis', aponta pesquisador

    “No Brasil, todos os anos, morrem cerca de 4.500 pessoas por tuberculose. Esse número é maior que o de mortes na China por Covid-19, por exemplo”, destaca o chefe do Centro de Referência Professor Hélio Fraga da ENSP, Jesus Pais Ramos, neste 24 de março, data em que se faz referência ao Dia Mundial de Tuberculose. Neste momento de pandemia de coronavírus, a Organização Mundial de Saúde (OMS) ressalta a importância da continuidade em tratar das vítimas de TB: “As autoridades de Saúde devem manter o apoio aos serviços essenciais para a tuberculose, incluindo cuidados durante emergências, pois pessoas doentes com TB e Covid-19 poderão ter resultados piores no tratamento, sobretudo se a terapia para tuberculose for interrompida.”

  9. Estudo inédito analisa as causas de óbito no Sistema Penitenciário do RJ; tuberculose é um fator importante

    Um estudo inédito, realizado pelo Grupo de Pesquisa em “Saúde nas Prisões” da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, e coordenado por Alexandra Sánchez, por meio de cooperação técnica com o Ministério Público/RJ, analisou as causas de óbito no Sistema Penitenciário do Estado do Rio de Janeiro (2016-2017). Os resultados apontam que as doenças infecciosas foram responsáveis por 30% das mortes na população carcerária, seguidas pelas doenças do aparelho circulatório (22%), causas externas (12%) e as doenças do aparelho respiratório (10%). Dentre as infecciosas, destacam-se HIV/Aids (43%), tuberculose (40,7%) e septicemias (13%). Considerando os óbitos com menção à tuberculose em outras linhas da declaração de óbito, esse porcentual se eleva para 52%.
     

  10. ENSP: compromisso com a integração latino-americana e o desenvolvimento sustentável

    A vice-diretora de Escola de Governo em Saúde da ENSP e coordenadora da Secretaria Técnica e Executiva da Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública (RedEscola), Rosa Souza, esteve em Havana, Cuba, para o 12º Congresso Internacional de Educação Superior. Na ocasião, ela participou de um simpósio sobre direito social à saúde e um colóquio de educação e prática interprofissional. Rosa também apresentou a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, e discorreu sobre o que a ENSP e a Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública da América Latina (Resp-AL) realizaram em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).