1. Fiocruz divulga relato da primeira expedição Fioantar

    Na Antártica, a primeira oportunidade pode ser a última. A frase, ouvida de veteranos, foi repetida pelos pesquisadores da Fiocruz que retornaram após sua primeira expedição ao continente gelado. Para fazer pesquisas na Antártica, é necessário muita preparação e planejamento. O grupo passou por uma preparação de um ano, que incluiu a definição de metodologia, logística, pontos de coletas e até mesmo um treinamento de oito dias conduzido pela Marinha na restinga da Marambaia. 

  2. Dengue foi a arbovirose mais comum no Rio em 2018

    Em 2018, a Dengue foi a arbovirose com maior número de casos no município do Rio de Janeiro (30%), com 53% dos casos concentrados na Área de Planejamento (AP) Santa Cruz. O vírus Chikungunya, presente em 18% dos cariocas, teve maior prevalência na AP Pavuna (32% dos casos), enquanto o Zika vírus, que infectou pelo menos 3% dos moradores, apresentou maior concentração na AP Inhaúma (8%). Os resultados fazem parte do Projeto Soroprevalência ZDC, estudo inédito coordenado pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fiocruz.

  3. 'Não existe limite seguro para exposição ao benzeno', aponta parecer técnico

    A ENSP acaba de instituir um grupo de trabalho para acompanhamento e assessoria científica em casos de exposição ocupacional ou ambiental ao benzeno. A decisão, publicada em portaria nesta sexta-feira, 13/12, surgiu a partir de uma demanda da Câmara Municipal do Rio de Janeiro sobre a tentativa de instalação de um posto de gasolina ao lado de uma escola na Barra da Tijuca, que concentra aproximadamente 400 crianças e adolescentes, além de 150 funcionários. O parecer técnico elaborado pelo grupo de trabalho recomenda, de maneira veemente, que postos de revenda de combustível construídos em centro urbanos atendam a uma distância mínima de 300 metros de qualquer edificação.

  4. Financiamento privado e características hospitalares no setor público aumentam chance de cesárea eletiva

    Algumas características hospitalares estão estritamente associadas à ocorrência da cesárea eletiva (quando a mãe faz a escolha pela cirurgia cesariana sem necessidade prévia, como riscos para o bebê ou para a gestante e possíveis complicações na gestação e no parto) na Região Sudeste do Brasil. É o que aponta artigo publicado nos Cadernos de Saúde Pública.

  5. 'Despesas com consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram 9,2% do PIB', aponta relatório

    Com dados que permitem traçar um panorama dos recursos e usos da saúde e de sua evolução ao longo do período compreendido entre 2010 e 2017, o IBGE, a ENSP, o Ministério da Saúde, a ANS, e o Ipea acabam de lançar o relatório Conta Satélite de Saúde 2010-2017, fruto de esforços interinstitucionais, cujo objetivo é gerar um conjunto de informações que possibilita conhecer o perfil das atividades de saúde no Brasil e contribui para a sua valoração. A publicação indica que ‘as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 608,3 bilhões em 2017, correspondendo a 9,2% do PIB. Desse total, R$ 253,7 bilhões (3,9% do PIB) foram despesas de consumo do governo e R$ 354,6 bilhões (5,4% do PIB) despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias’. A pesquisadora da ENSP, Angélica Batista faz parte da pesquisa. 

  6. 'Despesas com consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram 9,2% do PIB', aponta relatório

    Com dados que permitem traçar um panorama dos recursos e usos da saúde e de sua evolução ao longo do período compreendido entre 2010 e 2017, o IBGE, a ENSP, o Ministério da Saúde, a ANS, e o Ipea acabam de lançar o relatório Conta Satélite de Saúde 2010-2017, fruto de esforços interinstitucionais, cujo objetivo é gerar um conjunto de informações que possibilita conhecer o perfil das atividades de saúde no Brasil e contribui para a sua valoração. A publicação indica que ‘as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 608,3 bilhões em 2017, correspondendo a 9,2% do PIB. Desse total, R$ 253,7 bilhões (3,9% do PIB) foram despesas de consumo do governo e R$ 354,6 bilhões (5,4% do PIB) despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias’. A pesquisadora da ENSP, Angélica Batista faz parte da pesquisa. 

  7. 'Despesas com consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram 9,2% do PIB', aponta relatório

    Com dados que permitem traçar um panorama dos recursos e usos da saúde e de sua evolução ao longo do período compreendido entre 2010 e 2017, o IBGE, a ENSP, o Ministério da Saúde, a ANS, e o Ipea acabam de lançar o relatório Conta Satélite de Saúde 2010-2017, fruto de esforços interinstitucionais, cujo objetivo é gerar um conjunto de informações que possibilita conhecer o perfil das atividades de saúde no Brasil e contribui para a sua valoração. A publicação indica que ‘as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 608,3 bilhões em 2017, correspondendo a 9,2% do PIB. Desse total, R$ 253,7 bilhões (3,9% do PIB) foram despesas de consumo do governo e R$ 354,6 bilhões (5,4% do PIB) despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias’. A pesquisadora da ENSP, Angélica Batista faz parte da pesquisa. 

  8. ‘Dispositivos eletrônicos para fumar também matam’, alerta Inca

    O Inca acaba de publicar um alerta sobre os riscos do uso dos dispositivos eletrônicos para fumar (DEF), também conhecidos como cigarros eletrônicos. Com a nota, o Inca reafirma seu total apoio à manutenção da RDC, da Anvisa, nº 46 de 2009, que proíbe a comercialização, importação e propaganda de quaisquer DEF para fumar. A cada dia, mais países registram mortes relacionadas ao uso do cigarro eletrônico. O Observatório sobre as Estratégias da Indústria do Tabaco, do Cetab/ENSP, adverte, ainda, que os DEF são um engano das indústrias, uma tática para manter seus produtos no mercado, em especial porque eles são diferentes, coloridos e com vários aditivos que mascaram o sabor e o odor da fumaça, sendo porta de entrada para um público jovens e infantil. Confira a publicação do Inca e algumas pesquisas da ENSP sobre o tema.

  9. Acesse a cobertura completa do III Colóquio Latino-Americano de Formação em Saúde Pública

    Veja aqui a cobertura completa do III Colóquio Latino-Americano de Formação em Saúde Pública, ocorrido na ENSP, em dezembro de 2019. Com o tema Compromisso com a Educação e Saúde dos povos latino-americanos, o encontro recebeu diversos convidado nacionais e internacionais de diferentes instituições que tratam da temárica da saúde e educação. 
     

  10. CSP debate saúde indígena em oficina de divulgação científica

    Pensar a saúde indígena, para além da academia, de forma a atingir os agentes de saúde e a sociedade em geral. Esse foi o principal objetivo da oficina realizada pela revista Cadernos de Saúde Pública no dia 10 de dezembro. O evento contou com a presença de jornalistas, pesquisadores indígenas e estudiosos da área, que debateram o tema "Avaliação pré-natal ofertada às mulheres indígenas no Brasil".