1. Artigo analisa saúde na Agenda de Desenvolvimento pós-2015

    Com o fim do prazo para alcançar os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) para 2015, diversos países que estiveram reunidos na Conferência Rio+20 concordaram com a necessidade de estabelecer novas metas para o desenvolvimento humano. Essas metas se transformaram nos chamados Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), que levaram o mundo a pensar em uma Agenda de Desenvolvimento pós-2015 que continuasse acompanhando os esforços propostos pelos ODM. A saúde sempre esteve dentro dos Objetivos do Milênio e continua marcada na agenda do desenvolvimento sustentável. Com objetivo de analisar a presença da saúde como Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Agenda pós-2015, pesquisadores da Fiocruz publicaram artigo que aponta para necessidade de reformas na governança nacional e global, além de uma maior participação da sociedade civil para o alcance das metas. 

  2. Estudo aborda qualidade da informação em acidente de trabalho

    Uma proposta de articulação de setores da saúde pública do Sistema Único de Saúde (SUS) com objetivo de melhorar a casuística (estudo de caso) e a qualidade das informações sobre mortalidade nos dois principais sistemas de informação de saúde do agravo em acidente de trabalho: Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação) e SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade). Essa é a finalidade da dissertação do aluno de mestrado em Saúde Pública da ENSP, Frederico Ricardo de Souza Leão. Ela pretende auxiliar a orientação do fluxo de trabalho entre os setores de vigilância e atenção da rede SUS nos níveis municipal e estadual no estado do Tocantins. "Os acidentes de trabalho configuram o mais visível e impactante fenômeno de intervenção para as áreas de Saúde do Trabalhador a diversos segmentos públicos ou privados. Eles afetam socioeconomicamente a realidade em nível loco-regional, chegando até a interferir na realidade nacional e mundial."

  3. Pesquisa revela bom nível de potabilidade da água de Manguinhos

    Visando atender uma queixa da população de Manguinhos, no Rio de Janeiro, em relação à qualidade da água consumida nas mais de quinze comunidades que formam este complexo de favelas localizado no entorno da Fiocruz, o Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da ENSP, em parceria com a iniciativa Teias-Escola Manguinhos, realizou uma grande análise na região. O coordenador da pesquisa e pesquisador do DSSA/ENSP, Paulo Barrocas, apontou que, de maneira geral, a qualidade da água analisada ao longo da pesquisa atendeu aos padrões de potabilidade da atual legislação brasileira (portaria MS/nº2914/2011). Somente foram encontrados problemas pontuais, em especial, no que se refere ao armazenamento intradomiciliar da água fornecida pela rede de abastecimento.

  4. Estudo aborda reintegração familiar infanto-juvenil

    "A criança ou adolescente institucionalizado vivencia uma separação do seio familiar, que pode configurar em vários sentimentos como os de tristeza, insegurança, rejeição, ódio e fortes angústias. A cultura de institucionalização integra a história da população infanto-juvenil em situação de pobreza, violência e abandono no Brasil, tendo o ideal da proteção como justificativa para o secular confinamento em instituições de abrigo." Esse é um dos aspectos do estudo desenvolvido pelos pesquisadores da ENSP Andrea M. Iannelli, Simone Gonçalves Assis e Liana Wenersbach Pinto. Segundo eles, a reinserção familiar de crianças e adolescentes institucionalizadas requer profissionais capacitados que atuem com cautela e uma rede de apoio social eficaz e com programas públicos direcionados ao auxílio e proteção às famílias, para empoderá-las à superação de suas vulnerabilidades sociais.

  5. Pesquisa analisa o brincar como promotor de saúde

    Qual a importância do brincar como mecanismo promotor de saúde para as crianças internadas? Para responder a essa questão, a aluna do mestrado em Saúde Pública da ENSP, Ligia Maria Rocha Rodrigues buscou entender como o brincar auxilia no bem-estar dessas crianças identificando resultados e mudanças que permitem à criança mais autonomia e participação durante a hospitalização, além de compreender como age sobre as interações sociais ocorridas entre elas, os profissionais de saúde e os acompanhantes, e analisar como pode vir a contribuir para uma ampliação do cuidado em saúde. Sob orientação da pesquisadora da Escola Regina Cele de Andrade Bodstein, foi acompanhado pela aluna, durante três meses, o Programa Saúde e Brincar, do hospital Instituto Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz). Os resultados obtidos mostraram que o brincar, enquanto recurso terapêutico, possibilita a criança ocupar um papel mais ativo, com bem-estar, autonomia e participação, agindo também sobre o fortalecimento das relações ocorridas entre os stakeholders e contribuindo para um tratamento que perpassa os limites físicos do adoecimento, fazendo com que a criança modifique suas percepções acerca das experiências vivenciadas dentro do hospital.

  6. Estudo sobre origem e evolução das parasitoses é aprovado em edital que promove intercâmbio entre Brasil e França

    O pesquisador Adauto Araújo, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), teve o projeto Paleoparasitologia e o ADN antigo aprovado no Programa Capes/Cofecub, que promove a realização do intercâmbio científico entre instituições de ensino superior do Brasil e da França e a formação de recursos humanos de alto nível nos dois países. O estudo trata da origem e evolução das parasitoses ao longo do tempo, por meio das análises de amostras arqueológicas e paleontológicas, datadas desde o período jurássico até o passado recente, em busca de vestígios de parasitos. Ao todo, o edital selecionou 44 projetos conjuntos de pesquisa e parcerias universitárias. 

  7. ENSP publica Relatório de Gestão 2013

    O diretor da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Hermano Castro, divulgou, na terça-feira, 23/12, nota a respeito do lançamento do Relatório de Gestão 2013 - o primeiro publicado pela Escola. O documento traz um panorama com indicadores dos últimos quatro anos de atividades da unidade, de 2010 a 2013. Em sua nota de apresentação, Hermano Castro cita a criação de fóruns da Escola, a definição de prioridades e ações para os próximos anos, os projetos aprovados pelas agências financiadoras e muitas outras conquistas. Hermano reforça ainda a continuidade de uma caminhada na busca pela excelência no ensino, na pesquisa e na produção em serviços de saúde para o SUS, sem abrir mão das discussões com a sociedade civil e o compromisso na elaboração de políticas públicas. Confira o documento.

  8. ENSP tem 19 projetos aprovados pelo CNPq, Faperj e Papes

    Ao longo do ano de 2014, a Escola Nacional de Saúde Pública teve 19 projetos contemplados em editais do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e do Programa de Apoio à Pesquisa Estratégica em Saúde (Papes VII - Fiocruz 2014). Os trabalhos aprovados envolvem estudos com a saúde do trabalhador, violência na infância e adolescência, violência homofóbica, tuberculose, melhoria do cuidado em maternidades, saúde nos eventos de massa, o estudo Elsa, dentre outros. "A aprovação desses projetos demonstra um reconhecimento da comunidade acadêmica, além de expressar a qualidade dos projetos da Escola, que passam por uma criteriosa avaliação para serem contemplados nesses editais públicos. Todo mérito deve ser dividido com a Vice-Direção de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (VDPDT), que tem estimulado esse processo na Escola", disse o diretor da ENSP, Hermano Castro.

  9. Pesquisa e inovações tecnológicas como prioridades de Estado

    Estimular o acesso à tecnologia, à pesquisa e à inovação passa agora a integrar a lista de competências constitucionais comuns da União, dos estados e dos municípios. O Plenário do Senado aprovou, em primeiro e segundo turno por unanimidade, nesta quarta-feira (17), Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 12/2014, que altera vários dispositivos constitucionais para assegurar que a pesquisa e inovação tecnológicas sejam assunto prioritário de Estado.

  10. Artigo que avalia Ambiente Virtual de Aprendizagem recebe prêmio internacional

    Com uma estratégia inovadora, o artigo Assessment of the use of online communities to integrate educational processes development teams: an experience in popular health education in Brazil foi premiado na Conferência Internacional e-Learning 2014, em Lisboa, Portugal. Escrito pelos pesquisadores da ENSP Elomar Barilli, Stenio de Freitas Barreto, Carla Moura e Marco Antonio Menezes, ele trata do levantamento e análise quanti-qualitativa do uso de Ambientes Virtuais no Programa de Qualificação em Educação Popular em Saúde - uma iniciativa da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (Sgep/MS), em parceria com a ENSP e a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz).