1. Queimada de cana provoca asma em escolares de Campos (RJ)

    "Populações mais vulneráveis socioeconomicamente estão localizadas em setores censitários que estão sob maior influência dos focos de queimadas e apresentam maior número de escolares com sintomas de asma grave." O resultado foi extraído da dissertação de mestrado em Saúde Pública e Meio Ambiente pela ENSP da aluna Keila Valente de Souza, que analisou o impacto das queimadas de cana-de-açúcar na prevalência dos sintomas da doença no município de Campos dos Goytacazes (RJ), destacado atualmente pela representativa produção de petróleo. A pesquisa foi realizada sob a orientação do pesquisador Hermano Albuquerque de Castro, atual diretor da ENSP.

  2. O louco no hospital geral: tema de pesquisa da ENSP

    Com a proposição de explorar o imaginário sobre a loucura e suas possíveis implicações para o cuidado integral ao paciente com transtorno mental severo internado em unidades não-psiquiátricas do hospital geral, a aluna de mestrado em Saúde Pública da ENSP Marina Fernandes do Prado desenvolveu sua pesquisa, orientada pela pesquisadora Marilene de Castilho Sá. "A presença do louco no hospital geral (espaço de alta densidade/concentração tecnológica, elevada padronização de procedimentos e rotinas) e as construções imaginárias que ele tende a suscitar podem desestabilizar os pactos e as alianças inconscientes que os profissionais de saúde e gestores, como quaisquer membros de organizações, comumente estabelecem entre si, o que também desestabiliza a dinâmica organizacional", apontou ela. 

  3. Pesquisa analisa 'Síndrome de Burnout' em enfermeiros intensivistas

    Analisar a prevalência de Síndrome de Burnout (SB), segundo os aspectos psicossociais, sócio-demográficos e laborais de trabalhadores de enfermagem intensivistas de dois hospitais federais da região metropolitana do Rio de Janeiro, um universitário e outro geral, foi o foco da pesquisa do aluno de doutorado em Saúde Pública da ENSP Jorge Luiz Lima da Silva, realizada com 130 profissionais da área, sob a orientação da pesquisadora Liliane Reis Teixeira. Segundo Silva, os aspectos psicossociais referem-se a elementos do ambiente organizacional que sofrem influências das características individuais ao serem vivenciados pelos trabalhadores. "Estão relacionados ao macro contexto histórico, social de cada pessoa. O estresse é elemento-chave referente aos aspectos psicossociais."

  4. Artigo avalia Programa de Controle da Tuberculose em unidades prisionais

    Em 1993, a tuberculose foi considerada uma emergência global pela Organização Mundial da Saúde. Os esforços empreendidos para a redução da carga da doença mostram resultados positivos: as taxas de incidência e mortalidade têm apresentado queda global, e entre os 22 países que concentram 80% dos casos mundiais, sete já atingiram as metas de redução da incidência, prevalência e mortalidade previstas para 2015, entre eles o Brasil. Porém, um dos maiores desafios para o controle da endemia é a elevada incidência entre populações de maior risco, como a população prisional. Para analisar a implantação do Programa de Controle da Tuberculose (PCT) em duas unidades prisionais de dois estados brasileiros, pesquisadores da ENSP em parceria com pesquisadores da Universidade Federal Fluminense e da Universidade Federal de Santa Catarina, desenvolveram artigo que aponta a falta de investimento financeiro e de recursos, a falta de integração entre as coordenações da justiça e da saúde, e a dificuldade de acesso ao serviço de saúde como fatores desfavoráveis à implantação do programa.

  5. Nanomateriais: abrangência da tecnologia gera diversos produtos

    Reconhecida como o estudo de manipulação da matéria numa escala atômica e molecular, a nanotecnologia vem causando uma revolução tecnológica no mundo. As inúmeras potencialidades de produtos e serviços que podem ser desenvolvidos por meio da escala nanométrica têm alertado pesquisadores a respeito das relações entre a saúde e os nanomateriais, além das implicações que esse campo pode trazer para o meio ambiente e a sociedade. O pesquisador do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh) William Waissmann, atento ao assunto, coordenou uma pesquisa que gerou diversos materiais de divulgação, com ênfase nas aplicações da nanotecnologia em alimentos, biocombustíveis, medicamentos, cosméticos e outros produtos ligados à saúde. Entre eles, estão livro, vídeo, site e uma revista em quadrinhos sobre as aplicações da tecnologia que, para ele, depois da idade do bronze, do ferro e do silício, representa uma nova era.

  6. Após relembrar lutas, mulheres da ciência pedem reconhecimento

    Pioneirismo, coragem, vanguarda e humanidade. Essas são algumas das qualidades das mulheres que foram destacadas para receber o Prêmio Fiocruz – Mulheres de Ciência e Humanidades pela sua atuação científica em distintas áreas do conhecimento e seu papel na construção institucional. As homenageadas de 2015 foram a presidente da Comissão da Verdade da Reforma Sanitária (CVRS) Abrasco-Cebes, Anamaria Testa Tambellini e Sonia Gomes Andrade, do Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz (CPqGM/Fiocruz Bahia). Este prêmio é concedido pelo Comitê Pró-Equidade de Gênero e Raça da Fundação e foi entregue durante o II Seminário Mulheres Fazendo Ciência, no dia 26 de março.

  7. ENSP auxilia na elaboração de propostas de leis ambientais

    A Escola Nacional de Saúde Pública recebeu o deputado estadual Carlos Minc para uma reunião com o intuito de apresentar pesquisas da ENSP na área ambiental, que possam subsidiar projetos de lei e até mesmo políticas públicas. Entre os assuntos discutidos estiveram a exposição de trabalhadores ao benzeno e ao amianto, a questão dos grandes empreendimentos e a qualidade das areias das praias, praças e creches. Para o deputado, a parceria com a Escola é fundamental para a construção de políticas efetivas.

  8. Pesquisa aborda impacto familiar de mortes violentas de jovens

    "A morte de um jovem por homicídio é sempre um evento trágico e doloroso para a família, independente da trajetória de vida do jovem, despertando sentimentos de raiva, angústia e, principalmente, de inconformismo diante de uma morte considerada prematura, violenta e 'fora do lugar'. As ressonâncias da perda atingem a dinâmica familiar, impactando os seus membros no âmbito físico, emocional, financeiro e social. A justiça, enquanto mecanismo regulador da convivência coletiva, falha em sua função". Esse é o diagnóstico apresentado pela aluna do mestrado em Saúde Pública da ENSP, Daniella Harth da Costa, em sua dissertação que configura-se como um subprojeto de uma pesquisa mãe intitulada Mortes Violentas de Jovens: um olhar compreensivo para uma tragédia humana e social, desenvolvida pelo Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP) entre os anos de 2014 e 2015.

  9. Saúde da família e doenças crônicas: tema de pesquisa da ENSP

    "Estudar um atributo essencial da atenção primária à saúde como o vínculo longitudinal é legitimar a sua atuação dentro do trabalho das equipes que trabalham em uma comunidade na cidade do Rio de Janeiro, além de contribuir para o fortalecimento do campo das relações interpessoais dentro deste cenário e suas peculiaridades." Essa foi a razão que motivou a aluna do mestrado profissional em Atenção Primária em Saúde da ENSP, Renata Oliveira Maciel dos Santos, a desenvolver sua dissertação sob orientação da pesquisadora Elyne Engstrom. O objetivo dela foi analisar as estratégias relacionadas à construção de vínculo longitudinal (acompanhamento do usuário ao longo do tempo pela equipe de saúde), desenvolvidas pela Saúde da Família no cuidado das doenças crônicas, na clínica da família Marcos Valadão, da área programática 3.3 (bairro de Acari até Vista Alegre), na zona norte do RJ. "Apesar de reconhecidas como de vital importância para o trabalho na saúde da família, por muitas vezes e diferentes causas, estas práticas estão perdendo espaço e deixando de cumprir com o seu papel construtor e potencializador do cuidado individualizado", concluiu a aluna.

  10. Cadernos de Saúde Pública debate efeitos climáticos para saúde

    As mudanças climáticas e a relação com a saúde é o tema abordado pelo editorial da edição de janeiro de 2015 da revista Cadernos de Saúde Pública (vol.31 n°1). Para o pesquisador Christovam Barcellos, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), que assina o editorial, aumentam as evidências de que o clima do planeta se altera, já que a concentração de CO2 na atmosfera nunca foi tão alta, as temperaturas médias aumentam em praticamente todo o planeta, derretem as camadas de gelo nos pólos e sobe o nível dos oceanos. "As consequências desses fenômenos para a saúde, no entanto, não são óbvias, nem diretas, nem imediatas. Se as mudanças climáticas podem produzir eventos extremos, inesperados, e por vezes catastróficos, um evento inusitado não é necessariamente resultante das mudanças climáticas." É importante também ressaltar, segundo Barcellos, que esses processos ocorrem em um contexto global de mudanças que não são só climáticas, mas também políticas, sociais e econômicas. A combinação de condições precárias de saneamento, de pobreza, o envelhecimento da população e restrições de acesso a serviços de saúde podem agravar os efeitos das mudanças climáticas sobre a saúde, completa Barcellos.