1. Fiocruz desmente relatório apresentado por siderúrgica

    Em documento enviado ao Ministério Público, a Fundação Oswaldo Cruz desmentiu a empresa ThyssenKrupp Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA) sobre relatório supostamente assinado pela instituição. Há anos, pesquisadores da ENSP avaliam os impactos socioambientais e de saúde decorrentes da instalação e da operação desta empresa no local. O pesquisador do Cesteh/ENSP, Marcelo Firpo, integrante do Grupo de Trabalho Fiocruz que acompanha o caso, esclareceu que não houve auditoria de saúde da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) em parceria com a Fiocruz, Uerj e UFRJ, conforme foi divulgado em material distribuído pela TKCSA. Segundo Firpo, esta informação não corresponde à realidade. "Foi, sim, criada uma comissão, mas à esta jamais foi atribuído o objetivo de auditoria. Além disso, a Fiocruz retirou sua assinatura deste relatório por não concordar com seu teor", ratificou ele. 

  2. Seminário debate autogestão do SUS no dia 10/4

    Situar a autogestão no contexto da economia da saúde do país; demonstrar a constituição e dependência de financiamento do Estado; abordar as relações paradoxais de defesa e distanciamento com Sistema Único de Saúde (SUS); e a manutenção, outrora indesejável, de privilégios de assistência ao trabalhador estão entre os principais eixos de debate do Ciclo de Seminários: O segmento não lucrativo de saúde suplementar e sua relação com o SUS: o caso das autogestões. A primeira palestra, marcada para o dia 10 de abril, às 10 horas, no salão internacional da ENSP, será sobre Origens, desenvolvimento e situação atual: como as autogestões funcionam e se relacionam com o SUS. O evento é aberto ao público e não é necessário inscrição prévia.

  3. Seminário debate autogestão do SUS no dia 10/4

    Situar a autogestão no contexto da economia da saúde do país; demonstrar a constituição e dependência de financiamento do Estado; abordar as relações paradoxais de defesa e distanciamento com Sistema Único de Saúde (SUS); e a manutenção, outrora indesejável, de privilégios de assistência ao trabalhador estão entre os principais eixos de debate do Ciclo de Seminários: O segmento não lucrativo de saúde suplementar e sua relação com o SUS: o caso das autogestões. A primeira palestra, marcada para o dia 10 de abril, às 10 horas, no salão internacional da ENSP, será sobre Origens, desenvolvimento e situação atual: como as autogestões funcionam e se relacionam com o SUS. O evento é aberto ao público e não é necessário inscrição prévia.

  4. Mulheres na ciência: ainda é preciso avançar

    Encerrando o mês em homenagem às mulheres, o Comitê Pró-Equidade de Gênero e Raça da Fiocruz reuniu trabalhadoras, colaboradoras e cientistas em uma justa reverência àquelas que ajudaram a escrever a história da Fundação e mudar os rumos da ciência no país. Duas pesquisadoras tiveram destaque: Maria Cecília Minayo, da ENSP, e Euzenir Nunes Sarno, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). Na abertura do encontro, o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, e o diretor da ENSP, Hermano Castro, reconheceram e agradeceram todo o trabalho desenvolvido pelas mulheres da Fundação. Gadelha demostrou grande satisfação em falar sobre o aumento da participação feminina na ciência. No entanto, segundo ele, os desafios ainda estão presentes. Confira, no canal da ENSP no YouTube, a homenagem à pesquisadora Cecília Minayo.

  5. Livro auxiliará políticas sobre infância e juventude

    Para subsidiar o planejamento de ações do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Centro Latino Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP) acaba de lançar o livro Levantamento nacional de crianças e adolescentes em serviços de acolhimento. A publicação é resultado de uma pesquisa que atende aos compromissos assumidos pelo MDS no âmbito do Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária, o qual determina um conjunto de ações voltadas para o reordenamento da rede de abrigos e a reinserção familiar das crianças e adolescentes acolhidas nesses serviços. 

  6. Seminário homenageia mulheres que fazem ciência

    O Comitê Pró Equidade de Gênero e Raça da Fiocruz vai realizar sua primeira comemoração em homenagem ao Dia Internacional da Mulher (8/3). O encontro Mulheres fazendo Ciência acontecerá no dia 28 de março, às 8h, no salão internacional da ENSP. O Seminário abordará os novos dados de pesquisas relacionadas ao tema Mulheres na Ciência e alguns conceitos como normalidade, gênero e aprisionamento de mulheres. Durante a mesa de abertura - que contará com a presença do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, o diretor da ENSP, Hermano Castro e da coordenadora do Comitê e pesquisadora do Centro de Pesquisas René Rachou (Fiocruz Minas), Elizabeth Fleury - a pesquisadora da ENSP e editora da revista Ciência & Saúde Coletiva, Cecília Minayo, será homenageada. Os interessados devem se inscrever para participar do encontro. 

  7. Livro reforça a qualidade na coleta de dados em pesquisa

    Pesquisa em Saúde Pública: Como desenvolver e validar instrumentos de coleta de dados é o título do livro dos pesquisadores Gina Torres Rego Monteiro, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), e Henrique da Hora, do Instituto Federal Fluminense. A publicação visa apoiar as pesquisas no que concerne à qualidade das medidas, em especial na validação do instrumento de pesquisa e confiabilidade dos dados coletados. A concepção do livro teve origem nas aulas sobre qualidade das medidas que a pesquisadora da ENSP ministra na disciplina de Fundamentos da Epidemiologia, no Programa de Pós-graduação em Saúde Pública e Meio Ambiente, e da carência de referências na língua portuguesa. O lançamento será na quarta-feira, 26 de março, a partir das 18 horas, na Livraria Cultura, no Rio de Janeiro. 

  8. Edital da Faperj incentiva divulgação científica no país

    Buscando aumentar e aperfeiçoar a produção e a qualidade da publicação Ciência & Saúde Coletiva, a pesquisadora da ENSP e editora-chefe da revista, Maria Cecília de Souza Minayo, foi contemplada na terceira edição do edital de Apoio à Publicação de Periódicos Científicos e Tecnológicos Institucionais, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj). Cecília ressaltou que o país deu passos importantes no incentivo de produção da ciência, porém, no campo da divulgação científica, ainda existe um nó. A publicação é um espaço científico de discussões, debates, apresentação de pesquisas, exposição de novas ideias e controvérsias sobre a área. No decorrer de sua história, apresentou visível crescimento de participação de autores nacionais e internacionais e do número de artigos publicados.

  9. Artigo avalia papel das Conferências de Saúde

    A participação social no SUS é um princípio assegurado pela constituição e as leis orgânicas da saúde. Pensando em avaliar os discursos sobre o papel e a representatividade de conferências municipais de saúde, a pesquisadora da ENSP Elizabeth Artmann em parceria com o pesquisador do Instituto de Saúde Coletiva, da Universidade Federal de Mato Grosso Julio Strubing Müller Neto, realizaram um estudo com atores sociais, entre eles conselheiros e gestores de saúde, planejadores, vereadores e representantes do Ministério Público. O artigo, publicado no Cadernos de Saúde Pública, aponta que, 'os discursos encontrados refletem um consenso sobre a importância da conferência municipal de saúde, mesmo no caso daqueles que questionam a efetividade de suas decisões no planejamento e na gestão'.

  10. ENSP discute pedagogia das ruas no Fórum Social Mundial

    Com a intenção de discutir o nível de compreensão dos processos político-pedagógicos surgidos em consequência dos movimentos de massa que vêm ocorrendo em nosso país desde junho de 2013, o pesquisador do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental (DSSA/ENSP), Paulo Roberto de Abreu Bruno levou este debate ao Fórum Mundial de Educação (FME). O encontro, que faz parte do Fórum Social Mundial (FSM), teve foco em projetos de educação popular e de enfrentamento ao neoliberalismo, seja em esferas públicas, governamentais ou não, coletivas ou de pesquisa. O trabalho de Paulo Bruno Elementos para a análise da pedagogia das ruas: um esboço sobre a contrapartida à 'Pedagogia do Terror' foi apresentado no eixo temático Pedagogia, Territórios e Resistências.