Alerj propõe comitê para acompanhar enfrentamento do novo coronavírus

Publicada em
 
 
 

Durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), na sexta-feira (6/3), a pesquisadora Margareth Dalcolmo, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, enalteceu o plano de contingência e as ações do Ministério da Saúde para enfrentamento do novo coronavírus. Ela reconheceu importância da antecipação da campanha de vacinação contra gripe para auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus, sobretudo quando houver uma transmissão sustentada no país. Durante o encontro, promovido pela Comissão de Saúde da Alerj e a Comissão externa de acompanhamento das ações preventivas e consequências sobre o coronavírus da Câmera Federal, a deputada Martha Rocha, presidente da sessão, propôs a criação de um Comitê de Monitoramento para acompanhar as medidas de enfrentamento.  
 
A pneumologista da Fiocruz disse esperar que a Organização Mundial da Saúde classifique o novo coronavírus como pandemia, a fim de ampliar a lista de alerta para outros países, aumentar a proteção mundial contra a doença e a disposição de recursos para medidas de saúde pública adequadas. Ela ainda anunciou que, a convite da Opas/OMS, integra um grupo de peritos que estará reunido com técnicos chineses, nos dias 10 e 11 de março, por videoconferência, para estabelecer um plano de conduta para casos graves da doença.
 
“A doença chegará a números expressivos, mas precisamos de medidas para proteger aqueles que são mais vulneráveis e as pessoas com alguma comorbidade. O plano de contingência do ministério é correto e deve ser disseminado nos estados e municípios brasileiros. Não há motivo para pânico”.
 
O secretário de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, afirmou que as ações brasileiras de enfrentamento do coronavírus provam a vitalidade do Sistema Único de Saúde. De acordo com ele, o sucesso do plano de contingência não está relacional ao tamanho da epidemia que o país está prestes a enfrentar, mas à organização dos serviços de saúde. “A expansão dos casos no país não está atrelada a uma sensação de fracasso”, disse ele, que anunciou esforço para disponibilizar 220 novos leitos no Rio de Janeiro para internação de pacientes. 
 
O deputado Dr. Luizinho, presidente da comissão da Câmara Federal, afirmou que o ministério está tomando as medidas efetivas para enfrentamento do Covid-19 e cobrou união de todos os entes federativos. Já a presidente da Comissão de Saúde da Alerj, deputada Martha Rocha, detalhou que o Comitê de Monitoramento terá participação da Alerj, das secretarias estadual e municioal de Saúde, da academia e universidades, além de representantes da sociedade civil. “Queremos acompanhar a evolução dos casos em tempo real e saber como a Assembleia Legislativa pode auxiliar”.

 
A presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Rio de Janeiro (Cosems RJ), Maria da Conceição de Souza Rocha, afirmou que o enfrentamento da epidemia exige um sistema de saúde forte, valorizado e com financiamento adequado. As deputadas Mônica Francisco (PSol) e Enfermeira Rejane (PCdoB) e o presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, Sylvio Provenzano, também participaram da reunião.
 
Crédito fotos: Maurício Bazílio - SES/RJ

Nenhum comentário para "Alerj propõe comitê para acompanhar enfrentamento do novo coronavírus"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.