Inscrições para o Curso de Especialização em Saúde Pública encerram nesta sexta-feira (17/01)

Publicada em
 
 
 

As inscrições para o Curso de Especialização em Saúde Pública (CESP) encerram no dia 17/01. Reconhecido por acompanhar a trajetória da ENSP/Fiocruz e expressar o compromisso institucional com o sistema público e universal de saúde, o curso está sob coordenação das pesquisadoras Tatiana Wargas de Faria Baptista, Delaine Martins Costa e Karla Meneses Rodrigues Peres da Costa. A especialização oferece 33 vagas. Clique aqui para se inscrever.
 
O CESP tem o objetivo de formar profissionais interessados no desenvolvimento de habilidades que potencializem o olhar crítico, reflexivo e abrangente sobre a situação de saúde e o contexto político-social, com vistas ao desenvolvimento dos sistemas públicos de saúde.
 
Para a turma de 2020, a especialização trará novos temas e discussões frente aos desafios da organização e sustentação de um sistema público, universal e integral em saúde. A expectativa é aprofundar a discussão sobre direitos e desigualdades extremas que afetam a vida da população e impactam o SUS.
 
O curso está organizado em quatro Unidades de Aprendizagem: Modos de viver, adoecer e morrer no Brasil (UA I); Políticas de saúde e organização de sistemas e serviços de saúde (UA II); Práticas e cuidados em saúde (UA III); e Pesquisa e produção de conhecimento em saúde (UA IV).
 
“O Curso de Especialização em Saúde Pública se atualiza a cada nova oferta e precisa estar atento aos debates e questões que mobilizam e impactam a saúde da população. É dever do sanitarista ter uma visão abrangente dos problemas sociais e de saúde, correlacionar com o cenário político e econômico e encontrar ferramentas para enfrentar os desafios na garantia do direito à saúde a cada tempo. Para 2020 alguns temas serão aprofundados seguindo a linha condutora da análise sobre direitos humanos, reconhecimento, diversidade, cultura e justiça social. Também queremos avançar ainda mais na construção e aplicação de novas metodologias que possibilitem uma maior participação de nossos alunos, com o intuito de ouvirmos as demandas e experiências de nossos alunos e revisarmos os conteúdos em conjunto. É uma proposta ousada, desafiadora, mas a formação em saúde pública também é um espaço de experimentação e inovação para os professores. O diálogo possibilita a incorporação de novos olhares para os serviços de saúde e para as desigualdades de gênero, raça, renda, geração, acesso e muitas outras que desejamos trabalhar”, ressaltou a Coordenadora Tatiana Wargas.
 
O CESP é um curso destinado a trabalhadoras e trabalhadores e profissionais graduados ligados à área da saúde, educação, desenvolvimento social e áreas afins à saúde. É um diferencial do Curso contar com um grupo de alunos de diferentes formações profissionais – médico, psicólogo, enfermeiro, geógrafo, biólogo, assistente social, biomédico, pedagogo, educador físico, farmacêutico, fisioterapeuta... – e com variadas inserções profissionais. A configuração de cada turma e a troca de experiências do grupo torna a cada ano a experiência do curso ainda mais singular. 
 
O curso na ENSP
 
O curso envolve os departamentos da Escola e conta na coordenação-geral e coordenação das unidades com pesquisadores dos Departamentos de Administração e Planejamento em Saúde (Daps), Ciências Sociais (DCS), Epidemiologia e Métodos Quantitativos em Saúde (Demqs), Endemias Samuel Pessoa (Densp), Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF) e Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh).

 

 
Depoimentos ex-alunos CESP
 
A coordenação do Curso de Especialização em Saúde Pública, em parceria com a CCI/ENSP, reuniu depoimentos de ex-alunos sobre a importância da formação nas suas carreiras. Confira os 
 
Gilney Costa, Aluno CESP turma 2012, atualmente aluno de doutorado da ENSP
 
Por que fazer uma especialização em SP nesse momento? 
 
O momento é crítico para as políticas sociais, e de modo especial para o SUS. Acho que fazer hoje uma especialização em Saúde Pública é afirmar mais uma vez a aposta em um modelo de sociedade... um projeto civilizatório, contra hegemônico que defende a vida. Para mim, um processo educativo que caminhe nesse sentido além de garantir uma formação de qualidade ao profissional contribui com a construção de saberes fundamentais para resistir a todo o período em constrangimentos forem imputados a Política e aos seus trabalhadores. 
 
O que a SP da Ensp trouxe para sua formação?
 
A especialização em saúde foi o meu primeiro curso na ENSP/Fiocruz. Na época eu sabia/conhecia um pouco o que era o SUS, o campo da saúde coletiva, e sabia menos ainda sobre a ENSP, a Fiocruz, e sobre a participação de ambas, na trajetória da saúde pública brasileira. O curso marca a minha formação. Foi realmente um divisor de águas. Contribuiu para que hoje eu pudesse olhar o Sistema Único de Saúde (SUS), e nele as diferentes políticas, de modo integrado, mas ao mesmo tempo, crítico. Realmente o curso nos torna especialista dentro de um programa (conteúdos) generalista. E aos poucos, partes que antes pareciam dispersas vão formando um mosaico complexo, dinâmico, integrador chamado SUS. Conhecemos a racionalidade do Sistema de Saúde caminhando por dentro das políticas desde as explicações das concepções sobre o processo saúde doença até o nível mais complexo do Sistema. Houve um período em que eu costumava brincar dizendo que o curso tirou minha ingenuidade à força (claro que para o bem) me ensinando a olhar no curso da história as contradições não resolvidas, os diferentes interesses em disputa, as agendas dos partidos, os atores, as fragilidades, a sustentabilidade. Acho que se pudesse destacar a principal contribuição do curso para minha formação, sem dúvidas alguma, diria que foi a mania de apostar sempre mais no SUS, como referência de projeto civilizatório, um modelo de sociedade baseado na justiça social e na solidariedade que ainda não conquistou corações e mentes, mas que nem por isso, devemos ‘perder a mania de ter fé na vida’.
 
Luiz Montenegro, aluno do Curso de Especialização em Saúde Pública em 2005.
 
Quando procurei o processo seletivo do referido curso eu trabalhava como dentista em clínicas populares pela cidade do Rio de janeiro. Eu não entendia o porquê de tantos pacientes procurarem atendimentos nas clínicas populares quando tínhamos um sistema de saúde público que pouco eu conhecia.
 
Como muitos sabem, o curso de odontologia é extremamente técnico, volta-se para problemas que acometem a cavidade bucal e durante a graduação pouco se falou sobre os processos sociais, econômicos e históricos que envolvem o adoecer e impedem uma condição plena em saúde. Diante disto ingressei na especialização e um novo cenário de conhecimento se desvelou. Foram aulas sobre gestão e planejamento, financiamento, constituição de país, epidemiologia, promoção de saúde e tantos outros temas, que me ajudaram a constituir uma atitude completamente diferente daquela que tinha antes de vivenciar as aulas.
 
O curso também me proporcionou conhecer mais os direitos constitucionais e organização política do Estado brasileiro, como por exemplo as diferentes atribuições referidas aos três níveis de governo (federal, estadual e municipal) e fui capaz de entender os princípios fundamentais do que é ser e agir na garantia da cidadania e justiça social. Confesso que esses termos eram sem sentido para mim até a realização do curso. Também estudei sobe políticas sociais, econômicas e a riqueza do capital cultural do Estado brasileiro.
 
Posso afirmar ter sido um divisor de águas na minha vida profissional e pessoal. Outras conquistas pessoais vieram com a realização do curso, como meu mestrado e atualmente realizando doutorado. Muitos dos meus colegas à época tiveram destinos semelhantes, cada um no seu tempo e nas suas lutas por um SUS equânime, universal e de qualidade seja como acadêmicos, na gestão, na assistência ou mesmo em organizações não governamentais.
 
Desta forma, indico que façam o curso e aproveitem cada momento em sala e cada discussão trazida. Lembro com saudades da diversidade de categorias profissionais na minha turma e da riqueza que era a troca de experiências. Aos que ingressarem, o horizonte de oportunidades profissionais e pessoais será maior, sua visão política e social do país não será mais a mesma e sua capacidade de transformação será renovada.
 
Priscilla Vilella, aluna CESP turma 2018
 
"O SUS é das conquistas civilizatórias mais importantes da história do Brasil e essa especialização nos mostra o passo a passo dessa conquista numa visão ampliada das diversas dimensões que a Saúde Pública abarca. Definitivamente é uma oportunidade única de crescimento profissional e pessoal! E que a gente, juntos e com afeto, possa continuar escrevendo e construindo essa história”.
 
Marly Cruz, pesquisadora e professora da Escola Nacional de Saúde Pública, ex-aluna turma 1994.
 
Fui aluna do curso de especialização de saúde pública (CESP) da ENSP/Fiocruz no ano de 1994 e esse curso foi, sem nenhuma dúvida, a principal formação que tive em Saúde Pública em toda minha trajetória de formação. Na graduação de psicologia pela UERJ realizei vários estágios em diferentes modalidades de atenção do SUS. Quando finalizei a graduação o desejo era de estudar mais sobre saúde pública e entender suas possibilidades de atuação. A preparação para a prova do curso já significou uma realização, ser aprovada e ingressar foi mais ainda. Nesse momento que comecei a tomar pé de toda a história da saúde pública, sua complexidade e grandes desafios, tanto do ponto de vista teórico quanto prático. O curso era muito denso e intenso (tempo integral) e a turma muito diversa, com colegas inseridos no SUS ou não de todas as regiões do Brasil. Foi nesse curso que me formei como sanitarista e foi a partir dele que me candidatei à residência em saúde pública na ENSP para ganhar mais experiência com a prática do sanitarista na rede, aprofundando reflexões em contato com os usuários. Depois passei para o concurso da SMS RJ como sanitarista, fiz o mestrado e o doutorado em saúde pública na ENSP. Hoje sou pesquisadora de saúde pública na ENSP Fiocruz, trabalhando com a formação e a pesquisa, principalmente na área da avaliação de políticas e programas de saúde voltados para populações vulneráveis. Como docente tenho não só me dedicado ao stricto sensu, como também ao lato sensu orientando alunos do CESP. E, não tenho dúvida que essa trajetória acadêmica e profissional foi muito marcada pela formação no CESP, com professores que hoje são colegas, pelo ensinamento de que somos agentes de conhecimentos e de mudanças!
 
Espero poder contribuir sempre para a valorização de um curso tão relevante na formação de profissionais para a saúde pública no Brasil!
 
Juerlani Silva - Assistente Social e Terapeuta de Práticas Integrativas e Complementares de Cuidado, aluna da turma 2019.
 
O Curso de Saúde Pública da ENSP, proporciona a todos uma visão mais que ampliada sobre a saúde, para além das técnicas do cotidiano dos diversos profissionais. Estamos apreendendo sobre um SUS que precisamos lutar a cada dia para manter ele de pé e fortalecido. Por isso acredito que todo profissional que defende e acredita no SUS deveria fazer este curso, pois é uma formação para vida e de grande relevância pra atuação dentro do sistema. Quem sabe espalhando sanitaristas em cada cantinho do SUS conseguiremos avançar cada dia mais por esse direito que é de todos!!
 
Matheus aluno em curso na turma de 2019
 
Vim ao Curso de Saúde Pública da ENSP com a expectativa de me capacitar como profissional do SUS. Mas o curso me trouxe a percepção de ser trabalhador, cidadão brasileiro e sujeito com raiz na regionalidade, na minha história negra e indígena e convocado construir uma saúde pública, universal e gratuita de acordo com as conquistas do nosso povo. Esse curso é fundamental  para todo trabalhador e profissional de saúde. Sou muito grato aos companheiros que conheci e as portas abertas durante as aulas.
A saúde é nossa e ninguém tira da gente. Direito garantido.
 
 
Endereço para envio e entrega da documentação / outras informações
Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca/FIOCRUZ
Serviço de Gestão Acadêmica 
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA - 2019
Rua Leopoldo Bulhões, 1480 – Edifício Prof. Joaquim Alberto Cardoso de Melo, sala 106
CEP: 21041-210 - Manguinhos - Rio de Janeiro - RJ
E-mail: pseletivo@ensp.fiocruz.br
Horário de atendimento ao público: 8h30min às 16h30min

 

Nenhum comentário para "Inscrições para o Curso de Especialização em Saúde Pública encerram nesta sexta-feira (17/01)"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.