Entrevista: pesquisadora fala sobre benzeno e a saúde dos trabalhadores

Publicada em
 
 
 

A pesquisadora titular aposentada da Fiocruz, Lia Giraldo, apresentou aula aberta do Programa de Formação Saúde, Trabalho e Ambiente na Indústria do Petróleo, oferecido pelo Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz). Pioneira nos estudos sobre benzeno, ela fez um histórico sobre a relação da substância com a saúde dos trabalhadores e as conquistas alcançadas em relação à exposição.

Leia mais: Benzeno e a Saúde dos Trabalhadores: pesquisadora relembra história. 

O benzeno é um composto comprovadamente cancerígeno para humanos, classificado como Grupo 1 da Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC) desde 1979, com base em evidências suficientes de que causa leucemia. A exposição ao benzeno, por suas características toxicológicas, levam a alterações hematológicas e neurológicas, como dores de cabeça, náuseas, irritação das mucosas respiratórias e oculares, danos no sistema nervoso, irritação do sistema nervoso central, irritação da pele. Esses sinais e sintomas são chamados de benzenismo.

Em sua fala a pesquisadora falou sobre como o problema do benzeno foi revelado no Brasil e da importância dos movimentos sindicais na luta pelo reconhecimento do benzeno como uma substância extremamente nociva à saúde dos trabalhadores.

Assista, abaixo, a entrevista em vídeo, na íntegra.
 

Nenhum comentário para "Entrevista: pesquisadora fala sobre benzeno e a saúde dos trabalhadores"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.