ENSP e Procuradoria Regional do Trabalho do RS darão início à busca de trabalhores expostos ao asbesto

Publicada em
 
 
 

Nesta terça-feira, 16/4, a pesquisadora do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da ENSP (Cesteh), Maria Juliana Moura Corrêa, esteve em Sapucaia do Sul para a realização de uma das etapas da pesquisa que visa estimar as medidas de morbimortalidade de ex-trabalhadores de uma empresa de fibrocimento da cidade de Sapucaia do Sul expostos ao asbesto.
 
 
A reunião teve como objetivo dar um pontapé inicial na busca ativa desses trabalhadores e, para tanto, buscou aproximar as equipes de trabalho de campo que integram a pesquisa Coorte sobre morbimortalidade em ex-empregados de fábrica de fibrocimento, assim como apresentar a metodologia de investigação, que busca integrar pesquisa e vigilância por área geográfica dos territórios em saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) que se inter-relacionam pelos componentes complementares dos saberes e ações na produção do conhecimento sobre essa exposição. 
 
Além de Maria Juliana - que apresentou o estudo e ações, destacando a importância de contribuir com o desvelamento dessa grave situação de saúde pública, da qualificação para o diagnóstico das doenças e dos cânceres relacionados à exposição ao asbesto e a organização da rede de atenção à saúde para atender essa população -, também estiveram presentes na reunião a secretária Municipal de Saúde de Sapucaia do Sul, Roberta Bazzo, e seu colegiado de gestão; Adair Rocha e Stênio Rodrigues, representantes da Associação Brasileira de Expostos ao Amianto (Abreia), que discorreram sobre o papel da associação; e ainda Patrícia Robinson, da Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (ESP/RS), que apresentou uma proposta de educação permanente sobre exposição ao amianto para os trabalhadores da saúde do município.
 
Essa pesquisa tem Maria Juliana como coordenadora-geral e o diretor da ENSP, Hermano Castro, como coordenador adjunto do estudo. Ela é desenvolvida pela Escola por meio de um termo de cooperação técnica com a Procuradoria Regional do Trabalho da 4ª Região, que foi assinado por Hermano Castro e pela procuradora do trabalho, Aline Zerwes Bottari Brasil, em maio de 2018, na ocasião do II Seminário Internacional Brasil Sem Amianto, realizado em São Paulo. 
 

Nenhum comentário para "ENSP e Procuradoria Regional do Trabalho do RS darão início à busca de trabalhores expostos ao asbesto"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.