Fiocruz divulga pesquisa sobre parto e desigualdades em saúde

Publicada em
 
 
 

A Fiocruz Mato Grosso do Sul apresentará um painel da pesquisa Como se nasce no Brasil? Parto e desigualdades em saúde materno infantil. O encontro marcará a abertura da aula inaugural dos programas de doutorado em Epidemiologia, Equidade e Saúde Pública e de mestrado profissional em Saúde da Família na unidade. Será realizado, nesta sexta-feira (15/3), na Escola de Saúde Pública Dr. Jorge David Nasser, e contará com a participação da presidente da Fundação, Nísia Trindade.
 
"O estudo Nascer no Brasil: perfil da mortalidade neonatal e avaliação da assistência à gestante e ao recém-nascido, realizado entre 2011 e 2012, mostra que a região Centro-oeste registrou a maior incidência de cesariana, com 50,2% dos procedimentos realizados durante esse período”, afirmou a pesquisadora da Fiocruz Maria do Carmo Leal, que liderou à pesquisa. 
 
De acordo com Maria do Carmo, a pesquisa verificou também que nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste foram menos frequentes o uso de procedimentos não farmacológicos para alívio da dor e uso de partograma - gráfico onde são anotadas a progressão do trabalho de parto.  
 
“Também foram mais comuns nessa região a litotomia, posição ginecológica em que a mulher fica deitada durante o parto e a realização da manobra de Kristeller, que consiste em pressionar a parte superior do útero para facilitar e acelerar a saída do bebê. A episiotomia, uma incisão efetuada na região do períneo para ampliar o canal de parto, também foi mais registrada na Região Centro-oeste”, exemplificou Maria do Carmo.

Leia mais aqui.
 

Nenhum comentário para "Fiocruz divulga pesquisa sobre parto e desigualdades em saúde"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.