Ciclo de Debates discutiu conjuntura da Estratégia de Saúde da Família no Rio

Publicada em
 
 
 

O quarto dia do XIII Ciclo de Debates Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família, realizado de 7 a 11 de maio, foi dedicado a discutir um panorama atual da estratégia no município do Rio de Janeiro. Como convidados, estiveram presentes Daniele Menezes, do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Mirian Makeba, e Leonardo Graver, superintendente de Atenção Primária da Secretária Municipal de Saúde. Em pauta, as conquistas da atenção primária na última década, a expansão da rede e a recente ameaça que essa expansão sofre com cortes de gastos e o atual desmonte de direitos que vem se dando na esfera pública brasileira. A atividade foi coordenada por Vanessa Costa e Silva, pesquisadora da ENSP.

+ Acesse a playlist do XIII Ciclo de Debates no Canal da ENSP, no Youtube, e confira as apresentações.

Leonardo Graver, da Secretária Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, foi o primeiro a falar no debate. Graver abordou os desafios que se avolumam na Rede de Atenção Básica e a importância da formação específica para atuação nesse setor.

"Eu gosto muito mais de falar de solução do que de dificuldades. A gente vai vivendo de pequenas conquistas que viram grandes se a gente mantiver essa postura. Existem dificuldades, como atrasos de salários, entre outras, mas existem brechas para fortalecermos a nossa rede. Precisamos fazer isso rápido."

Veja, no vídeo abaixo, a fala completa de Leonardo Graever.


 

Daniele Menezes, que trabalha no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Miriam Makeba falou, em seguida, de sua experiência cotidiana na atenção básica. "Do ponto de vista da saúde mental, não vejo hoje ser possível trabalharmos sem a atenção básica, sem essa articulação, em qualquer esfera.  Ela é a base pra gente poder intervir no território, estar com pacientes, acolher a crise, construir uma forma de vida possível nos territórios, e não só dentro da unidade" Em seguida, Daniele também fez um panorama da atenção básica no município nos últimos anos. "Até 2016, a gente viveu uma expansão muito grande. Foi o  auge, uma época de ouro, uma grande articulação, um trabalho de base importante. Em 2017, veio a precarização, a crise, e isso afetou diretamente todo o nosso trabalho".

Veja, abaixo, a fala completa de Daniele Menezes.

 

 

Nenhum comentário para "Ciclo de Debates discutiu conjuntura da Estratégia de Saúde da Família no Rio"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.