Homenageada pela Alerj, Minayo cobra melhores condições de saúde e trabalho para os policiais

Publicada em
 
 
 

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) outorgou à pesquisadora Maria Cecília de Souza Minayo, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, o título Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, durante sessão solene que celebrou os 209 anos da Polícia Militar, na segunda-feira (14/5). Representada por sua filha Miriam de Souza Minayo, a coordenadora do Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP) escreveu depoimento no qual disse estar extremamente honrada com a homenagem e alertou para atenção à saúde física, mental e às condições de trabalho, salários e violência as quais os policiais civis e militares do Rio de Janeiro são submetidos. Minayo é uma das coordenadoras da pesquisa Missão Prevenir e Proteger: condições de vida, trabalho e saúde dos policiais militares do Rio de Janeiro.
 
Responsável pela homenagem, o deputado Paulo Ramos destacou a realização de estudos em prol dos policiais fluminenses e cobrou desenvolvimento de políticas públicas com base nas evidências científicas. “Cecília Minayo se preocupou com a vida, saúde e a felicidade dos policiais militares e civis; e merece nosso reconhecimento. Teve a sensibilidade de se dedicar a essa causa e, na verdade, é ela quem nos homenageia. Ficamos devendo a realização de iniciativas que façam com que a vida nas polícias seja algo engrandecedor, que dê felicidade e preserve a saúde do policial”, refletiu.
 
Ele concluiu. “As pesquisas demonstram que o policial militar corre risco dez vezes maior de perder da vida de forma violenta do que o cidadão comum. Até 14 de maio, tivemos 48 policiais militares mortos. Isso é motivo de grande reflexão e reconhecimento da importância desse tipo de trabalho”, afirmou durante a sessão.
 
Em entrevista ao Informe ENSP, pesquisadora ofereceu o título aos colegas do Claves/ENSP pelo desenvolvimento de pesquisas sobre a história, o perfil, o processo e as condições de trabalho e as condições de saúde e de vida da PM e da Polícia Civil do Rio de Janeiro.
 
“Desde então, estamos em contato com gestores dessas corporações, presentes na mídia e em vários fóruns sociais e de saúde advogando sobre a necessidade de se reconhecer a importância da pessoa e dos policiais e de suas corporações não só na construção da segurança mas, principalmente, na democracia no país. A construção da sociedade moderna democrática se baseia no processo de persuasão e de coerção. E a polícia cumpre um papel fundamental nos elementos de prevenção e de proteção que abarcam esses dois movimentos.  Além, é claro, de seu papel coercitivo. Para isso, precisa de ter formação, condições de trabalho e muita atenção a sua saúde. Costumo dizer: polícia não é máquina nem robô de produzir segurança pública”.
 
Minayo ainda afirmou que a partir do momento que os estudos foram absorvidos por muitos policias e, pelo menos, por alguns gestores, a instituição começou a receber alunos, tanto civis como militares, para estudar mestrado e doutorado. “Isso ocorreu ao mesmo tempo em que nossos trabalhos de aprofundamento sobre as corporações continuaram, particularmente sobre as consequências do excesso de trabalho e da vitimização nas condições de saude deles, o que obviamente é um prejuízo para a segurança pública. Portanto, nossa vinculação continua forte”, admitiu.
 
A pesquisadora concluiu. “Nos últimos aos, sempre que sou chamada pela Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, faço-me presente, tentando contribuir com dados empíricos e reflexões que possam redundar em benefício dos policiais. E o faço de bom grado, entendendo esses momentos como fundamentais para expressar meu mais profundo reconhecimento a esses servidores públicos tão pouco valorizados. E nessas ocasiões, me comovo com os adoecidos em serviço, com os lesionados, com os aleijados e com os mortos em serviço em benefício da população fluminense. E abraço seus familiares. O que posso dizer em síntese é que essa homenagem é das que mais tem honrado e comovido ao longo de minha vida.” 

Confira o vídeo completo da sessão solene
 

Nenhum comentário para "Homenageada pela Alerj, Minayo cobra melhores condições de saúde e trabalho para os policiais"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.