Associação dos Expostos ao Amianto celebra decisão do STF em evento na ENSP

Publicada em
 
 
 

O núcleo do Rio de janeiro da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto se reuniu na Escola Nacional de saúde Pública (ENSP/Fiocruz), na terça-feira (19/12), para celebrar a decisão do Supremo Tribunal Federal de banir o amianto em território nacional e promover um balanço das ações realizadas em 2017. Presente no encontro, a auditora fiscal do Trabalho e fundadora da Abrea, Fernanda Giannasi, afirmou que a decisão do Supremo é uma vitória dos trabalhadores, enquanto o diretor da ENSP, Hermano Castro, alertou a todos para a necessidade de criação de um sistema eficaz de vigilância, em razão de o câncer provocado pela exposição à fibra poder se manifestar décadas depois do contato.
 
A militância na luta contra o amianto rendeu à fundadora da Abrea indicação ao Prêmio Faz a Diferença, do jornal O Globo, na categoria economia (vote aqui). Ela, que ficou surpresa com a lembrança, acredita que as quase três décadas de militância e a decisão do Supremo estimularam a indicação. “Apesar de o meu nome concorrer ao prêmio, não se trata de uma indicação individualizada. Os trabalhadores, a Fiocruz, nossa parceira mais antiga nessa luta, e o Ministério Público do Trabalho, que juntou-se a nós para dar conformação jurídica à causa, têm ampla participação”.
 
A partir da decisão do Supremo, o desafio, na opinião de Giannasi, está em analisar a situação daqueles que foram expostos. Dados apresentados por ela mostram que a cadeia produtiva do amianto gerou 5 mil postos de trabalho na sua fase mais recente, em contrapartida, isso impõe para o SUS o custo de mais de um milhão de pessoas a vigiar. “Essa equação é muito desigual”, lamentou.
 
Foi justamente nesse ponto que tocou o diretor da ENSP, Hermano Castro. De acordo com ele, mais do que nunca é necessário criar um sistema de vigilância do trabalhador e do ambiente em virtude da longa latência da doença e do grande período de exposição. “As doenças levam algum tempo para aparecer. Essa é a oportunidade que a indústria tem para sair do circuito. Só cobraremos essa conta com a vigilância e os registros em dia”, alertou Hermano para os trabalhadores presentes.
 
Todos os presentes comemoraram a decisão do STF diante do contexto de aprovação da Reforma Trabalhista e dos cortes de gastos na saúde. “O movimento da luta anti-amianto no Brasil é vitorioso na medida que o banimento foi declarado em um dos momentos políticos mais difíceis do país, de desmonte dos direitos e das conquistas históricas dos trabalhadores. Essa decisão é uma luz, um farol na escuridão que vivemos e pode trazer esperança para outras causas e movimentos se organizarem. A luta é longa, árdua, mas é justa, é de pessoas dignas que trabalharam e perderam suas vidas.


Também participaram da mesa o presidente nacional da Abrea, Eliezer João de Souza, e a diretora da Abrea-RJ, Maria Lucia do Nascimento.

Nenhum comentário para "Associação dos Expostos ao Amianto celebra decisão do STF em evento na ENSP"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.