Nota de solidariedade aos pesquisadores da UFPA

Publicada em
 
 
 

A Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca da Fiocruz vem a público manifestar solidariedade aos pesquisadores da Universidade Federal do Pará que, segundo denúncia apresentada à Polícia Federal, sofreram intimidações, ameaças e agressões por parte do prefeito da cidade de Senador Porfírio durante um evento em que se debatia os impactos da instauração de uma mineradora em uma área do Xingu. O projeto da mineradora "Belo Sun" é alvo de dois processos judiciais. De acordo com o que relataram os presentes, o prefeito Dirceu Biancardi chegou ao evento acompanhando de um grupo de quarenta pessoas, tumultuando sua realização e mantendo alunos e professores trancados na sala, sob ameaças.
 

A ENSP, escola que se notabiliza por lutar pela produção e democratização do conhecimento para melhoria das condições de vida da população brasileira, vê o ocorrido com profunda preocupação, sobretudo por não se tratar de um caso isolado, mas de uma escalada de arbitrariedade, obscurantismo e truculência pela qual vem passando nosso país. Calar a pesquisa, que já vem sofrendo com cortes de verbas e precarização, é fechar as portas de um futuro melhor para o Brasil.
 

Como não discutir os impactos da mineração num país que há exatos dois anos assistiu à tragédia crime da Samarco/Vale/BHP, em Mariana, que matou trabalhadores e moradores, deixou centenas de desalojados, destruiu cidades e praticamente matou o Rio Doce? Como se calar e não produzir pesquisas engajadas em uma terra que assiste cotidianamente ao genocídio dos povos indígenas?
 

A ENSP estende as mãos em solidariedade a todos os pesquisadores que nesse momento sofrem algum tipo de coerção em seu trabalho e repudia os que, em nome do lucro voraz, agridem, ameaçam, matam. A ciência e a tecnologia, o conhecimento compartilhado, a informação são um direito de todos os brasileiros. Nós seguiremos lutando em nosso laboratórios, campos de pesquisa e salas de aula para produzir evidências científicas, análises críticas e projetos para uma país que quer ser mais do que um mero produtor de bens primários, em que uma minoria se apossa das riquezas deixando um rastro de destruição e morte para o restante da população. Só uma pesquisa livre e engajada pode promover a justiça ambiental e social que o Brasil precisa.  

Nenhum comentário para "Nota de solidariedade aos pesquisadores da UFPA"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.