Fiocruz na luta pela defesa do SUS

Publicada em
 
 
 

"Defendemos o Sistema Único de Saúde. A constituição do SUS é um marco da contemporaneidade da Fiocruz. Ele representa todos os nossos valores e a nossa maneira de pensar a cidadania, a democracia. O SUS é o nosso ponto de referência"! Foram com essas palavras que o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, convocou os trabalhadores da Fundação a se unir para enfrentar uma "conjuntura complexa, incerta e adversa", que traz ameaças ao Sistema Único de Saúde e às conquistas da instituição. Gadelha esteve presente na reunião do Conselho Deliberativo da ENSP desta terça-feira (5/7), cuja principal pauta debateu a conjuntura nacional e da saúde. Na opinião do diretor da ENSP, Hermano Castro, "a reunião cumpriu o papel de ajustar, junto com a Presidência, as políticas públicas internas naquilo que é de interesse da sociedade e do SUS".

 
Fizeram parte da reunião do Conselho Deliberativo (órgão normativo e deliberativo da ENSP) o diretor e os vice-diretores da Escola, chefes de Departamentos e Centros e representantes dos docentes e pesquisadores, dos discentes e do pessoal de apoio da instituição. Pela Presidência da Fiocruz, além de Paulo Gadelha, participaram os vice-presidentes Nísia Trindade Lima (Ensino, Informação e Comunicação - VPEIC), Valcler Rangel (Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde - VPAAPS), Pedro Barbosa (Gestão e Desenvolvimento Institucional - VPGDI) e Jorge Bermudez (Produção e Inovação em Saúde - VPPIS).
 
O presidente da Fiocruz destacou o importante significado do encontro. “Essa reunião tem um sentido imenso porque é uma forma de aproximar a ENSP, por meio de sua Direção, do seu Conselho e departamentos, da estrutura da Presidência – que, por sua vez, promove uma avaliação mais geral da instituição, mas também precisa perceber como encontrar caminhos para resolver aquilo que as unidades consideram central, do ponto de vista do seu desenvolvimento e atividade cotidiana.” 
 
Gadelha ainda comentou a discussão a respeito da atual conjuntura do país. "O momento que atravessamos nos demanda processos de atualização da informação e de coesionamento interno da instituição, uma vez que a conjuntura que enfrentamos é bastante complexa. A partir da admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff e da instalação do governo interino do Michel Temer, passamos a ter fortes níveis de indefinição nos desdobramentos da conjuntura. Ao mesmo tempo, tem-se um nível de polarização da sociedade e das forças políticas em relação a esse processo.”
 
Fiocruz unida
 
Hermano Castro, diretor da ENSP, enalteceu o discurso em defesa do SUS. “A ENSP, como todas as outras unidades da Ficoruz, deseja a melhoria da qualidade do sistema. Melhorar o SUS significa proporcionar maior investimento, aprimorar políticas de transparência internas e do governo federal, além de investir na qualificação e formação de recursos humanos. Para isso, precisamos estar ajustados internamente. É preciso que a instituição Fiocruz esteja mobilizada nessa defesa! Viveremos momentos políticos intensos que podem rebater, dependendo do desfecho do impeachment, negativamente dentro da Fundação. A Fiocruz precisa estar unida, sabendo que caminho tomar e quais diretrizes apontar para podermos intransigentemente defender o SUS. Essa reunião cumpriu esse papel", afirmou o diretor.

Gadelha reiterou. “Observamos que o Congresso Nacional tem anunciado alguns projetos que ameaçam significativamente, do ponto de vista do retrocesso, aquilo já configurado como direito à saúde, do Estado, dos cidadãos e que está presente na constituição do SUS. Temos que intensificar nossa capacidade de comunicação e estabelecer compreensões comuns para caminharmos de maneira mais forte no enfrentamento dessa conjuntura complexa, incerta e adversa, em muitos sentidos, ao processo de realização institucional dos programas de Fiocruz”.

Nenhum comentário para "Fiocruz na luta pela defesa do SUS"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.