Entrevista: Fiocruz diz não à pulverização aérea de agrotóxicos em áreas urbanas

Publicada em
 
 
 

A 'ENSP TV' recebeu o pesquisador do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana, Luiz Claúdio Meirelles, para falar sobre uma perigosa que está em discussão no Congresso, que pretende incluir a pulverização aérea de agrotóxicos em áreas urbanas para o controle de vetores transmissores de doenças. Meirelles cita de onde surgiu a proposta para pulverização área, fala sobre a pressão dos setores da industria do agronegócio, além de apontar alternativas eficazes para o controle de vetores de doenças.

Segundo o pesquisador, a Fiocruz está de acordo com o Ministério da Saúde, que através de Nota Informativa 017/2016 (da Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Dengue do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde) e do Parecer 01/2016 (da Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental, do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde), fundamentou as razões para a não utilização dessa modalidade de aplicação de agrotóxico no Brasil. "A Fiocruz se posicionou completamente contra a proposta, através de um ofício, reforçando que a medida é ineficaz na eliminação de vetores, trazendo elevado perigo à saúde humana e ao meio ambiente", reforçou ele.

Confira e entrevista na íntegra.

 

 

 

Nenhum comentário para "Entrevista: Fiocruz diz não à pulverização aérea de agrotóxicos em áreas urbanas"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.