Observatório analisará estratégias da indústria do tabaco no Brasil

Publicada em
 
 
 

A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) lança, nesta quinta-feira (31/3), o Observatório das Estratégias da Indústria do Tabaco. Trata-se da primeira plataforma digital, criada por uma instituição pública da área de saúde, que objetiva demonstrar a interferência da indústria do fumo nas políticas públicas de controle do tabaco. Desenvolvida pelo Centro de Estudos sobre o Tabaco e Saúde da ENSP (Cetab/ENSP/Fiocruz), em parceria com a Comissão Nacional para a Implementação da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco no Brasil (Conicq/Inca), a União Internacional contra a Tuberculose e Doenças Respiratórias (The Union) e a Aliança para o Controle do Tabaco (ACT), a inciativa disponibilizará informações para que profissionais de saúde e outros agentes promotores de saúde conheçam as táticas usadas pela indústria do tabaco. O observatório será acessível ao público.
 
A ferramenta armazenará documentos que demonstram a influência da indústria nos processos políticos e legislativos promovendo parcerias com lobistas para obter decisões que contemplem seus interesses. Segundo a pesquisadora Silvana Turci, do Cetab/ENSP, o observatório é mais um instrumento para confirmar a atuação da indústria do tabaco na tentativa de comprometer as ações que resultem em políticas efetivas de controle. 
 
Silvana Turci chama a atenção para as diversas manobras da indústria do tabaco, como a captura de processos políticos e legislativos, a manipulação da opinião pública a fim de ganhar aparência de respeitabilidade, o exagero em sua importância econômica, pela atuação de grupos de fachada, além da depreciação de pesquisas científicas comprovadas, sem mencionar a intimidação dos governos com litígio ou ameaça de litígio. 

“A indústria do fumo requer do poder público monitoramento constante e tratamento legal restritivo por se tratar de um seguimento que não traz nenhum benefício social ou econômico aos países”, ressaltou a pesquisadora.

Linha de investigação

O Observatório da Fiocruz criará uma nova linha de investigação com foco no conhecimento e sistematização de informações que responderão questões relevantes para contrapor as táticas dessa indústria. Também servirá como modelo para monitorar as ações de outras indústrias, como a de alimentos ultraprocessados, bebidas alcoólicas e refrigerantes, considerando que há inegável semelhança entre as estratégias utilizadas por todas essas empresas com o intuito de desvirtuar políticas que favoreçam a redução da exposição aos fatores de risco de Doenças Crônicas Não Transmissíveis.

A plataforma digital segue o exemplo do website Tobacco Tatics, hospedado na Universidade de Bath, do Reino Unido, e se alinha também às diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), que vem apoiando o desenvolvimento de observatórios semelhantes nos países que compõem o grupo Brics - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.
 
Estarão presentes no lançamento a chefe do Secretariado da Convenção Quadro para Controle do Tabaco da OMS, Vera Luiza da Costa e Silva, a pesquisadora da Universidade de São Francisco, Stella Biallous, Tânia Cavalcante, secretária-executiva da Comissão Nacional para a Implementação da CQCT, e representantes da União Internacional contra a Tuberculose e Doenças Respiratórias (The Union).

Magnitude

Segundo a Organização Mundial de Saúde o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. Dessas, o tabagismo é responsável por 85% das mortes por doença pulmonar crônica (bronquite e enfisema), 30% por diversos tipos de câncer (pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga, colo de útero, estômago e fígado), 25% por doença coronariana (angina e infarto) e 25% por doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral). 

Além de estar associado às doenças crônicas não transmissíveis, o tabagismo também é um fator importante de risco para o desenvolvimento de outras doenças, tais como - tuberculose, infecções respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose, catarata, entre outras doenças.

O consumo de tabaco e seus derivados mata milhões de indivíduos a cada ano. Estima-se em 8 bilhões as mortes atribuídas ao tabaco para o ano de 2030, se nenhuma ação efetiva de controle do tabaco for implementada.

Serviço:
Lançamento do Observatório das Estratégias da Indústria do Tabaco
Data: 31 de março.
Horário: 9h.
Local: Salão internacional da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Rua Leopoldo Bulhões, 1.480/4º andar - Manguinhos, Rio de Janeiro

Nenhum comentário para "Observatório analisará estratégias da indústria do tabaco no Brasil"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.