Pesquisadora opina sobre selo que confere salubridade dos imóveis

Publicada em
 
 
 

No domingo (7/6), a Folha de S. Paulo divulgou reportagem sobre a criação do Selo Casa Saudável, iniciativa que tem como objetivo avaliar as construções segundo seu impacto na saúde dos usuários. A pesquisadora da ENSP Simone Cynamon disse, em entrevista ao jornal, que a iniciativa é válida, mas também alertou para o impacto da certificação no valor dos imóveis. "É preciso cuidado para que a certificação não dificulte ainda mais o acesso a habitações saudáveis para as classes mais pobres e até médias". Confira a reportagem completa.
 
Marina Estarque
 
Assim como a prática de exercícios e a alimentação balanceada, uma casa também pode ser fonte de saúde - ou de doenças, afirma o biólogo Allan Lopes, criador e coordenador do Selo Casa Saudável.
 
A iniciativa tem por objetivo avaliar as construções segundo seu impacto na saúde dos usuários. Até agora, dois edifícios, ainda em construção, receberam o selo - ambos em Minas Gerais.
 
Segundo Lopes, fatores como quantidade de luz natural, ruídos e qualidade do ar em um imóvel podem estar na origem de um aumento no cansaço, irritabilidade e tensão muscular.
 
"Todas as construções, certificadas ou não, devem levar em conta a saúde dos moradores. Não significa que um edifício seja saudável e outro não, mas é possível melhorar alguns aspectos ", aponta Gilberto Belleza, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo.
 
Para Simone Cynamon, pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz Fiocruz, o selo é uma boa ideia, mas pode acabar encarecendo os imóveis. "É preciso cuidado para que a certificação não dificulte ainda mais o acesso a habitações saudáveis para as classes mais pobres e até médias", diz.
 
Lopes destaca a importância da insolação nos imóveis. "Um ambiente com mais luz é sempre mais saudável. Em um ambiente de trabalho, as pessoas que ficam próximas das janelas produzem mais e melhor", afirma ele.
 
Para garantir a iluminação natural, é possível abrir janelas maiores ou usar cortinas transparentes, que permitem a passagem da luz, mas evitam o calor.
 
Já durante a noite, é recomendável retirar aparelhos como computadores e celulares do ambiente. "Mesmo quando o aparelho está desligado, em modo de espera, aquele pequeno sinal de Led já atrapalha", explica Lopes.
 
A ventilação também é um aspecto fundamental. Se a casa ficar sempre fechada, os níveis de poluição interna do ar sobem. "Mesmo em São Paulo, onde o ar é muito carregado, é preciso abrir as janelas para ventilar", diz Lopes.

Fonte Imagem: Saúde Fácil

Nenhum comentário para "Pesquisadora opina sobre selo que confere salubridade dos imóveis"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.