Edital Faperj investe contra doenças negligenciadas

Publicada em
 
 
 

Para fazer avançar o conhecimento da prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças que despertam pouco interesse da indústria farmacêutica – as chamadas doenças negligenciadas –, muitas das quais acabam ressurgindo entre as camadas mais pobres da população, a Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) lançou o edital Apoio ao Estudo de Doenças Negligenciadas e Reemergentes. A proposta é de contemplar projetos que demonstrem aplicabilidade clínica e possam vir a ser objeto de ações públicas para a melhoria da qualidade de vida da população.
 
Neste âmbito, estão as seguintes doenças: cisticercose, dengue, doença de Chagas, esporotricose, esquistossomose, febre amarela, filariose, hanseníase, leishmaniose, leptospirose, malária, paracoccidiose, riquetsiose e tuberculose. Nesse contexto, as linhas de apoio que poderão ser contempladas, quando for o caso, são: vetores, epidemiologia, vigilância, controle, diagnóstico clínico e laboratorial, tratamento, prognóstico e vacinas.
 
Esta é a quarta edição do programa, lançado inicialmente em 2008. Desde então, a Faperj também tem adotado ações conjuntas para o estudo da dengue, malária e tuberculose, junto com outras Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
 
Podem submeter projetos equipes formadas por grupos de pesquisadores com vínculo empregatício ou funcional em instituições de ensino superior ou pesquisa fluminenses, entre os quais deve ser nomeado um coordenador, enquanto os demais participantes são considerados pesquisadores associados. 
 

Nenhum comentário para "Edital Faperj investe contra doenças negligenciadas"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.