Doutorado-sanduíche reverso: estímulo à internacionalização

Publicada em
 
 
 

Como forma de incrementar a produção científica e tecnológica conjunta de pesquisadores de instituições sediadas no estado do Rio de Janeiro com instituições estrangeiras, contribuindo para ampliar as iniciativas de internacionalização dos programas de pós-graduação fluminenses, foi lançado o edital n.43 / 2013 – Apoio ao doutorado-sanduíche reverso – 2013. 
 
Com o programa, prioriza-se o fomento de redes cooperativas de ensino e pesquisa entre programas de pós-graduação fluminenses e de instituições no exterior, concedendo-se estágios a alunos de doutorado de programas de pós-graduação de países estrangeiros, com nível reconhecido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj). Oferecidas nas várias áreas de conhecimento, e, sobretudo, para estimular a realização de pesquisas de interesse dos programas fluminenses, as bolsas de doutorado-sanduíche reverso se destinam a expandir a produção científica e tecnológica conjunta com instituições no exterior.
 
Podem ser proponentes pesquisadores com grau de doutor, com desempenho acadêmico satisfatório comprovado, credenciados como professores junto a PPG stricto sensu de instituições de ensino e pesquisa fluminenses, e com anuência da coordenação do programa a que estiverem vinculados e do principal orientador estrangeiro do doutorando a ser indicado para a bolsa.
 
O proponente, com vínculo empregatício com a instituição de execução do projeto, indicará candidatos para receber as bolsas previstas e será o orientador brasileiro do doutorando que fará o estágio em instituição fluminense. Segundo define o edital, o proponente deverá igualmente manter boa produção científica na área da orientação e comprovada experiência na orientação de teses de doutorado. É necessário descrever detalhadamente o projeto a ser desenvolvido, realçando a importância de sua realização para a instituição ou para a linha de pesquisa em andamento, assim como a justificativa para a realização do estágio do doutorando matriculado em PPG de instituição de ensino e pesquisa estrangeira.
 
Para os candidatos à concessão de uma dessas bolsas, exige-se que estejam regularmente matriculados em curso de doutorado em instituição estrangeira avaliada como meritória por Comitê Especial de Julgamento instituído pela Faperj; que tenham visto de estudante válido no Brasil; e proficiência em português, espanhol ou inglês, atestado pelo orientador brasileiro, no caso de candidato de nacionalidade estrangeira; produção científica compatível com seu nível de formação; e haver avançado no projeto de tese dentro da perspectiva de bom desempenho do plano de atividades a ser desenvolvido no Rio de Janeiro.
 
Os bolsistas precisarão ter dedicação integral às atividades previstas no projeto e, uma vez concluído o estágio, deverão retornar a seu País de origem no prazo de até 30 dias, para dar continuidade a seu doutorado até a sua conclusão. Com recursos de R$ 2 milhões, o programa possibilita a concessão de até 40 bolsas a doutorandos matriculados em cursos de doutorado estrangeiros, e terão vigência entre quatro e doze meses.
 
A submissão de projetos pode ser feita até o dia 13 de março de 2014, e a divulgação dos resultados está prevista para ser realizada a partir de 10 de abril, com início da vigência das bolsas para junho. Veja a íntegra do edital Apoio ao doutorado-sanduíche reverso - 2013.

Nenhum comentário para "Doutorado-sanduíche reverso: estímulo à internacionalização"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.