Pesquisa aponta riscos do processo de cultivo do tabaco

Publicada em
 
 
 

Tatiane Vargas

Com o objetivo de conhecer as crenças, atitudes, práticas e percepção da mulher agricultora sobre os riscos à saúde e ambiente decorrentes do processo de cultivo do tabaco, bem como sua vulnerabilidade social em relação a essa atividade econômica, o Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP) desenvolveu a pesquisa Crenças, atitudes e práticas da mulher agricultora de tabaco em Palmeira - Paraná. Ela evidenciou a complexidade dos problemas originados pelas inter-relações entre trabalho, saúde e ambiente no contexto da fumicultura. Os resultados da pesquisa apontaram aspectos, por exemplo, a elevada carga de trabalho do processo de cultivo de fumo, os agravos à saúde decorrentes da fumicultura, a violação dos direitos humanos, entre outros, como alguns dos problemas decorrentes da inter-relação trabalho, saúde e ambiente.

Inserida na linha de pesquisa Saúde, trabalho e aspectos sociais e ambientais na produção do fumo, do Cetab/ENSP, a pesquisa foi desenvolvida no município de Palmeira, localizado no estado do Paraná. A escolha da região foi em virtude da predominância do modelo de agricultura familiar com expressiva produção de fumo. O município de Palmeira foi o maior produtor de folhas do estado em 2011. Outros fatores que contribuíram para a escolha da região foram a mobilização social dos trabalhadores rurais e a vontade política expressada pelo poder público local para conhecer e enfrentar os problemas relacionados à fumicultura.

Para Marcelo Moreno, pesquisador do Cetab/ENSP que apresentou a pesquisa em um grande seminário realizado em Palmeira, no dia 19 de setembro, direcionado à população, ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município e ao poder público municipal e estadual, “o envolvimento da mulher na fumicultura em todas as suas etapas representa uma fonte de informação relevante para o conhecimento das consequências para a saúde da família, sociais e ambientais desse cultivo e na obtenção de respostas para confrontar danos específicos dessa produção”.

A pesquisa contou com um grupo de 71 mulheres agricultoras do fumo e de lideranças comunitárias. De acordo com Marcelo Moreno, seis grupos foram formados com o intuito de entender a compreensão subjetiva das mulheres produtoras de fumo quanto à sua rotina diária. Os dados foram analisados a partir do desenvolvimento das categorias que mais descreveram e explicaram os fenômenos sociais relacionados ao tema e ao grupo participante.

O estudo evidenciou a complexidade dos problemas originados pelas inter-relações entre trabalho, saúde e ambiente no contexto da fumicultura. Os resultados da pesquisa apontaram aspectos como a elevada carga de trabalho do processo de cultivo de fumo, agravos à saúde decorrentes da fumicultura, ausência de mecanismos que viabilizem a permanência das gerações futuras no campo e evitem o êxodo rural, a provável violação aos direitos humanos, principalmente em função das condições de trabalho injustas, como alguns dos problemas decorrentes da inter-relação trabalho, saúde e ambiente.

Segundo Marcelo Moreno, as limitações de área nas propriedades para o cultivo de outros produtos ou a promoção de outras atividades laborais associadas à falta de garantia de mercado para o seu escoamento e a presença hegemônica da indústria fumageira, demostrando um nítido desequilíbrio de forças no processo de produção e relações de trabalho e renda com o agricultor, também foram apontadas como problemas da tríade trabalho – saúde – ambiente.

“Com base nos resultados, foi possível destacar a necessidade de uma abordagem integrada e singularizada para o enfrentamento dos problemas do plantador de fumo, articulando os diversos saberes e experiências, principalmente dos trabalhadores, e distintos setores (como saúde, ambiente, trabalho e renda, agricultura, entre outros) por meio da proposição de políticas e do fortalecimento de ações públicas orientadas para a promoção e assistência à saúde dessa população específica”, apontou Marcelo.

A pesquisa Crenças, atitudes e práticas da mulher agricultora de tabaco em Palmeira – Paraná foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da ENSP, financiada pela Coordenadoria de Cooperação Social (CCS/Fiocruz) e apoiada pela Prefeitura Municipal de Palmeira, Secretaria de Estado de Saúde do Paraná e o Departamento de Estudos Socioeconômicos Rurais e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Palmeira (Deser).

Agricultoras do tabaco expõem seus problemas

Durante o seminário em Palmeira, a coordenadora do Cetab/ENSP, Vera Luiza da Costa e Silva, fez uma apresentação sobre os mitos e verdades do tratado de controle do tabaco após a mesa de abertura do evento. A apresentação dos resultados da pesquisa Crenças, atitudes e práticas da mulher agricultora de tabaco em Palmeira – Paraná foi feita pelo pesquisador do Cetab/ENSP, Marcelo Moreno. Em seguida, houve o depoimento de duas agricultoras e uma agente comunitária de saúde que participaram da pesquisa. O seminário teve fim com a mesa-redonda "Possíveis ações e políticas para a melhoria das condições de saúde dos trabalhadores plantadores de fumo de Palmeira”, que contou com a participação da coordenadora do Cetab/ENSP, Vera Luiza.

Dentre os encaminhamentos da mesa-redonda, a Secretaria Municipal de Saúde de Palmeira se comprometeu a estruturar a rede de saúde para a assistência aos trabalhadores do cultivo de fumo de acordo com suas peculiaridades, como intoxicação por agrotóxicos e doença da folha verde do tabaco. Também foi apontada a necessidade do desenvolvimento de ações para a diversificação da cultura do fumo. O seminário foi realizado em conjunto pelo Cetab/ENSP/Fiocruz, Prefeitura Municipal de Palmeira e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Palmeira, SES-PR.

Por fim, Marcelo Moreno comentou que Cetab/ENSP foi convidado pela Comissão Nacional para a implementação da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco (Conicq) para apresentar os resultados dessa pesquisa na Reunião do Grupo de Trabalho Internacional sobre os artigos 17 e 18 da Convenção-Quadro de Controle do Tabaco, que será realizada em Pelotas/RS, entre 30 de setembro e 3 de outubro. 

Além da apresentação no seminário em Palmeira, a pesquisa Crenças, atitudes e práticas da mulher agricultora de tabaco em Palmeira – Paraná foi apresentada no evento Diálogos em Tecnologias Sociais, promovido pela Coordenadoria de Cooperação Social (CCS/Fiocruz), realizado no campus da Fiocruz, na Mata Atlântica, também no dia 19 de setembro. A pesquisa foi financiada pela CCS/Fiocruz no âmbito do projeto Apoio ao Desenvolvimento de Tecnologias Sociais em Saúde. Nesse evento, em que foram apresentados todos os projetos financiados pela CCS/Fiocruz, o Cetab/ENSP foi representado pelas pesquisadoras Silvana Rubano Turci e Ana Paula Natividade.

*Crédito foto de capa: Definitivo.info

Nenhum comentário para "Pesquisa aponta riscos do processo de cultivo do tabaco"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.