Tecnologias em saúde: experiência do CVSP em debate

Publicada em
 
 
 

Encerrando as atividades da II Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública (Resp/Unasul), no dia 19/10, a coordenadora da Comunicação Institucional da Escola Nacional de Saúde Pública, Ana Furniel, apresentou a experiência do Campus Virtual em Saúde Pública (CVSP) e a experiência do Nodo Brasil, o qual ela também coordena. O Campus Virtual é um espaço na internet com o objetivo de desenvolver programas de cooperação internacional na área de educação em saúde pública. Em sua apresentação, Ana Furniel abordou os principais componentes do CVSP, citando os repositórios e fóruns de discussão. Sobre o CVSP Brasil, a coordenadora explicou o modelo cooperado do Nodo Brasil. Confira, na Biblioteca Multimídia da ENSP, o áudio do evento.

 

 

Para representar o CVSP e o CVSP Brasil na II Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública, a coordenadora da CCI/ENSP, Ana Furniel esteve presente no segundo dia de atividades do evento. Ana deu início à sua apresentação expondo que o Campus Virtual se tornou uma rede colaborativa de aprendizagem, na qual os Ministérios da Saúde, Associações de Saúde e outras instituições se apoiam para desenvolver processos educativos em Saúde Pública. Entre os princípios do CVSP, Ana destacou a constituição de um espaço coletivo, que representa um bem público global e opera como fonte compartilhada de acesso universal, além de instaurar um modelo de gestão aberto e descentralizado para a construção de métodos cooperados e ferramentas de aprendizagem em rede, baseadas em evidências de boas práticas de saúde pública.

 

O CVSP apresenta duas diretrizes estratégicas: uma dimensão formativa e uma dimensão informativa. No âmbito da direção formativa estão os cursos, tratando-se de uma resposta à demanda educativa em saúde pública. No que diz respeito à dimensão informativa, estão incluídos os objetos de aprendizagem, que são o suporte de recursos de informação em saúde pública. Ana explicou ainda a interoperabilidade entre a Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) e o CVSP por meio da Rede de Recursos Educativos Abertos (RedeRea). “O enfoque educativo do CVSP está compreendido em três características fundamentais: identificação de competências; reflexão dos problemas e práticas em saúde; e construção de novos conhecimentos”, explicou Ana.

 

A coordenadora abordou também os principais componentes do Campus Virtual, dividindo-os em modelo de serviço e tecnológico. Dentre os elementos do modelo de serviço estão: repositório, fórum de discussão, aula virtual e portal integrador. Ana ressaltou a variedade de recursos e atividades disponíveis no CVSP, como recursos de informação, atividades de aprendizagem, comunicação e intercâmbio, e recursos de seguimento. “O foco do trabalho em rede presente no CVSP está compreendido entre os processos educativos (cursos) e os objetos de aprendizagem. Significa criar, colaborar e compartilhar”. As principais ações do CVSP também foram descritas pela palestrante.

 

CVSP Nodo Brasil

 

Depois de falar sobre o Campus Virtual em Saúde de maneira geral, Ana Furniel fez uma apresentação do Nodo Brasil do CVSP, que ela coordena. O Nodo Brasil, segundo ela, funciona com o modelo cooperado, integrando a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS), o CVSP-Brasil e a Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública. O portal do CVSP Brasil compreende os cursos, os recursos educacionais abertos, as notícias e os eventos. Seu modelo tecnológico atual apresenta uma plataforma educativa, repositórios de recursos educacionais e portal de gestão agregador de conteúdo.

 

De acordo com Ana Furniel, muitos avanços foram obtidos no desenvolvimento do CVSP Brasil, como, por exemplo, a definição do modelo de governança do Campus Virtual e as políticas para publicação, atualização de conteúdo, fluxo de controle de qualidade e política de acesso aberto. “A integração com o repositório da UNA-SUS, a implementação do formulário de coletas dos recursos educacionais para as instituições parceiras da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública sem repositório e a integração do CVSP Brasil com a RedeRea e Biblioteca Virtual em Saúde, resultando na criação de uma rede de recursos educacionais abertos, são grandes avanços”, afirmou Ana.

 

Por fim, a coordenadora apontou alguns resultados positivos da rede CVSP Brasil. Atualmente, a rede possui 2.047 recursos educacionais compartilhados em acesso aberto, 2.034 objetos de aprendizagem, 7 cursos e 6 ferramentas de aprendizagem. Ana Furniel apresentou ainda uma proposta de modelo de integração ideal com o CVSP Brasil. Encerrando a II Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública (Resp/Unasul), na parte da tarde, foi apresentada a proposta do Plano de Trabalho elaborada na reunião, seguida de comentários e construção coletiva do plano.

 

Antes do encerramento oficial da reunião, houve a leitura e aprovação da Ata, firmada pelos representantes dos países presentes. Antônio Ivo de Carvalho, diretor da ENSP e secretário executivo da Resp/Unasul, enfatizou que uma sólida avaliação dos pontos debatidos ao longo dos dois dias de atividades será realizada em alguns meses, à medida que forem colocados em prática os compromissos firmados no momento. “Posso afirmar que a realização desta reunião é um ganho para todos. Ela é a expressão de que temos o que ensinar e aprender uns com os outros. Saio daqui com um sentimento muito positivo da troca de experiências que pudemos realizar durante este encontro, na certeza de que a qualidade do conhecimento nasce da experiência, pois o conhecimento só faz sentido se for para transformar uma realidade”, finalizou o diretor.

Nenhum comentário para "Tecnologias em saúde: experiência do CVSP em debate"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.