Movimento pelas toninhas conquista área de preservação

Publicada em
 
 
 

A campanha pela preservação da toninha - realizada pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), jornal O Globo e WWF-Brasil - ganhou a adesão do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e resultou em importante conquista para a conservação da espécie: a criação de uma área de proteção para o pequeno cetáceo com a ampliação do Parque Nacional de Jurubatiba, na Região Norte Fluminense. A notícia foi divulgada pelo jornal O Globo nesta quarta-feira (13/6), dia da abertura da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que acontece no Rio de Janeiro até 22/6 e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.

 
A  informação sobre a criação da área de proteção foi dada pelo secretário estadual de Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, no evento Encontros O Globo – Rio+20. O Parque de Jurubatiba possui atualmente 15 mil hectares sem abrangência do mar, e a proposta é incluir as águas costeiras com até 30 metros de profundidade ao longo de 44 quilômetros de litoral. “Agora, para a ampliação da unidade, falta vencer alguns passos, que eu credito a esse movimento (à campanha pela preservação das toninhas)", disse o secretário ao O Globo.
 
Pesquisador da ENSP e um dos idealizadores da campanha, Salvatore Siciliano, reforçou a importância do conjunto de ações para a criação da área de proteção, considerando-o um dos primeiros resultados obtidos. “Queríamos a criação de uma unidade de preservação para a toninha e a campanha foi decisiva. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e o secretário Minc observaram a necessidade da sua criação e ganharam o apoio do governador. A preservação ganha status de política de governo com um importante espaço dentro do ICMBio.”
 
Em entrevista ao O Globo, a ministra do MMA afirmou que estudos serão feitos para determinar a área ideal para preservar as toninhas e classificou a atitude como extremamente válida, sem deixar de elogiar a campanha Quero Ver Toninha. “Temos todo o interesse em proteger e preservar a toninha. Acho a campanha excepcional. Uma marca do Brasil”, afirmou.
 
 
A iniciativa do MMA pode ampliar em até 15 quilômetros a área de proteção da Jurubatiba. Criado por lei federal em 1998, o Parque se estende por Quissamã, Macaé e Carapebus, com cerca de 18 lagoas costeiras, sendo abrigo para diversas espécies de fauna e flora das restingas que, em outros locais do país, estão em risco de extinção. Estudos apontam que as 2 mil espécies existentes da toninha vivem no litoral dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, aparecendo com maior abundância justamente no mar próximo à Restinga de Jurubatiba.
 
Atividades da campanha de preservação das toninhas na Rio+20
 
As ações da campanha continuam durante a Rio+20. O pesquisador Salvatore Siciliano estará nesta quinta-feira (14/6), na parte da tarde, no Píer Mauá proferindo uma palestra sobre as toninhas. Na sexta-feira (15/6), haverá a abertura da exposição fotográfica Abrace essas dez, no Encontro das Águas, Parque dos Patins. 
 
Nos dias 15, 16 e 17 de junho, o pesquisador estará na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema.
 
*Foto Jurubatiba: ICMBio
 
** Com informações do Jornal O Globo