Angola propõe nova parceria para turma de mestrado

Publicada em
 
 
 

O Projeto de Capacitação do Sistema de Saúde de Angola teve como primeiro resultado a formatura de 15 alunos, mas o Ministério da Saúde do país, animado com os resultados, fez uma proposta de parceria pública para formar nova turma. Segundo a coordenadora do Mestrado, Elizabeth Artmann, a contraproposta da ENSP poderia ser uma parceria de titulação conjunta com uma ou mais universidades de Angola, pois a ideia da cooperação técnica é incentivar a independência, fomentar a autonomia.
 
 
Nessa ida à Luanda houve reuniões no Ministério da Saúde e uma reunião na Universidade Agostinho Neto, com o reitor, alguns docentes e também com o vice-ministro da Saúde, para discutir essas possibilidades. "Esses profissionais formados estão bem encaminhados", disse Artmann. "Foram, inclusive, convidados a atuar como docentes em Saúde Pública nas universidades locais, atuam no Ministério da Saúde e governos provinciais em sua maioria e têm todas as condições para participar de grupos de pesquisa, ou mesmo na divulgação de conhecimentos, na área de gestão ou de assistência, visando à reconstrução do sistema de saúde", descreveu a professora e pesquisadora da ENSP.
 
No evento de formatura, realizado no dia 11 de maio, o recém-mestre Carlos Alberto Masseca, atual vice-ministro de Saúde de Angola, apresentou sua dissertação O financiamento do Serviço Nacional de Saúde de Angola, e o pesquisador do Departamento de Endemias Samuel Pessoa Paulo Sabroza, a palestra 'Saúde pública em Angola'.
 
A vice-diretora de Pós-Graduação, Maria Helena Mendonça, representando a Direção da ENSP, a coordenadora do Mestrado, Elizabeth Artmann, e alguns docentes da ENSP prestigiaram a cerimônia, bem como os representantes da Assessoria Brasileira de Cooperação do Ministério de Relações Exteriores, representante da Embaixada brasileira e as autoridades locais, como o Secretário Nacional de Ciência e Tecnologia, o ministro José Vieira Dias Van-Dunem, e o diretor nacional de Recursos Humanos, Antonio Alves da Costa.
 
Também visitou Angola, na semana seguinte, outra missão da Fiocruz, composta pelo representante do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris), Luiz Eduardo Fonseca, pelo representante do escritório da Fiocruz na África, José Luiz Telles, pelo diretor do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), Umberto Trigueiros, representantes da Escola Politécnica Joaquim Venâncio e da Biblioteca de Ciências Biomédicas.
 
“No futuro, podemos estabelecer novas parcerias em pós-graduação stricto sensu, em outros formatos, como, por exemplo, um mestrado interinstitucional, a exemplo de outros projetos em vigência na ENSP”, anunciou Artmann.

Nenhum comentário para "Angola propõe nova parceria para turma de mestrado"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.