Parceria da ENSP com Paraguai gera novos frutos

Publicada em
 
 
 

Tatiane Vargas

Dois anos e meio após o início do Programa de Cooperação Internacional em Saúde com o Paraguai, que teve como principal objetivo levar o modelo de Estratégia de Saúde da Família àquele país, o professor convidado da Residência Multiprofissional em Saúde da Família da ENSP, Carlos Eduardo Aguilera Campos, e a coordenadora da área de Cooperação Internacional da Escola, Erica Kastrup, estiveram novamente no Paraguai participando da reunião Avanços e Perspectivas da Cooperação Técnica no contexto da Atenção Primária em Saúde no Paraguai triangulada pela Opas/OMS. Na ocasião, foram debatidas as experiências exitosas fruto da cooperação bilateral e apresentado um balanço das atividades desenvolvidas, como a elaboração de protocolos assistenciais e clínicos, realizados pelas equipes do Ministério da Saúde do Paraguai e da ENSP, e o planejamento do curso de Especialização em Saúde da Família.

carlos_erica_reuniao_paraguai.jpgNa reunião, realizada no final de maio em Assunção, que contou com a presença da Ministra da Saúde do Paraguai, Esperanza Martinez, foram debatidos os antecedentes e as perspectivas do projeto comando pela ENSP por intermédio das Equipes de Saúde da Família do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria e do Teias - Escola Manguinhos. Outro tema abordado foi o alcance da meta de implantação de 500 equipes de saúde da família no país. Segundo Carlos Eduardo, foi um grande êxito do Ministério da Saúde do Paraguai conseguir ampliar, de maneira tão vertiginosa, em um espaço de tempo de pouco mais de dois anos, a quantidade de equipes.

Carlos Eduardo explicou que o projeto de cooperação com o Paraguai visa oferecer assessoria técnica para a qualificação da Estratégia de Saúde da Família do país. Para isso, foram realizadas várias visitas técnicas com membros dos Ministérios da Saúde do Brasil e Paraguai, para que ambos conhecessem o funcionamento da Estratégia de Saúde da Família no Estado do Rio de Janeiro. Segundo o professor, desde o início, os grupos técnicos dos dois países vêm agindo mutuamente no intuito de promover o desenvolvimento das atividades. A Organização Pan-Americana de Saúde no Brasil e no Paraguai também apoia essas iniciativas, que incluem o suporte para a construção de protocolos assistenciais e clínicos, com aproximadamente 29 temas elaborados com o objetivo de qualificar o trabalho gerencial e assistencial.

De acordo com o professor, esses protocolos estão sendo elaborados em conjunto pelas Equipes de Saúde da Família dos dois países. Estão envolvidos profissionais do Projeto Teias - Escola Manguinhos, de alunos do mestrado em Saúde Pública da ENSP e profissionais que trabalham nas Equipes de Saúde da Família de Manguinhos, ou seja, tanto no lado gerencial quanto assistencial a produção é feita em conjunto. Ainda segundo Carlos Eduardo, o desenvolvimento dos protocolos está sendo uma experiência tão rica que também será editada, com a cooperação da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro para o Teias - Escola Manguinhos. O que há de melhor nesta cooperação é que o retorno é para ambos; todos se beneficiam das estratégias elaboradas, destacou.

carlos_edu_aguilera_reuniao_paraguai_bonO professor explicou ainda que, após a finalização da construção dos protocolos, haverá a necessidade de atividades de capacitação para uso deles. O grande diferencial do novo material em relação ao que o Ministério da Saúde brasileiro disponibiliza é que funcionam como guias de consulta e, por serem mais resumidos, possuem uma metodologia para que os profissionais possam utilizá-los em suas atividades do dia a dia, ou seja, são voltados para consulta rápida no próprio espaço de trabalho. Os protocolos serão divididos em duas séries: guias clínicos em Atenção Primária à Saúde (APS) e Atenção Integral à Saúde, que abordam temas como diabetes, pré-natal, transtornos mentais, prevenção cardiovascular, Aids, DST, obesidade, hipertensão arterial, cuidados paliativos, avaliação da APS pelo usuário, planejamento participativo, trabalho com grupos, entre muitos outros.

Para que esse material seja bem utilizado, é necessário capacitação. Explicar a lógica do produto, as referências científicas e técnicas e a sua metodologia, voltada para o registro clínico das equipes, apontou o professor. Outro projeto abordado na reunião é a criação junto ao Ministério da Saúde do Paraguai de um diagnóstico das 500 Equipes de Saúde da Família existentes no país hoje. O objetivo do diagnóstico seria avaliar o perfil das equipes que trabalham no território paraguaio para criar uma política de desenvolvimento de recursos humanos a médio e longo prazo.

Por fim, Carlos Eduardo destacou o desenvolvimento de um Curso de Especialização para profissionais de Saúde da Família do Paraguai em parceria com a ENSP/Fiocruz . Seria a primeira Especialização em Saúde da Família existente no Paraguai. O professor citou ainda a criação de um instrumento para avaliação da satisfação do usuário da Estratégia de Saúde da Família do Paraguai, que também está sendo realizado no âmbito do Projeto Teias-Escola Manguinhos. A cooperação alimenta o desenvolvimento da metodologia e dá aporte para que se desenvolva também no Centro de Saúde Escola, como, por exemplo, esse instrumento de avaliação da satisfação do usuário que pretendemos utilizar e também é fruto de interesse de cooperação por parte da SMS -RJ, ressaltou.

Saiba mais sobre o projeto de cooperação entre Brasil e Paraguai na entrevista concedida ao Informe ENSP pela Equipe Técnica do Projeto.

Em anexo encontra-se disponível a lista dos protocolos assistenciais e clínicos.

Nenhum comentário para "Parceria da ENSP com Paraguai gera novos frutos "

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.