Práticas educativas em saúde são abordadas em pesquisa da ENSP

Publicada em
 
 
 

cursos_internos_ENSP_capa.jpgO apoio do contexto institucional foi um fator fundamental para os incrementos nas práticas educativas em saúde, destacou a odontóloga Kátia Mendes de Souza sobre a sua dissertação Práticas educativas sobre saúde e drogas entre educadores de programas sociais: um estudo qualitativo no Estado do Rio de Janeiro, desenvolvida no mestrado em Saúde Pública da ENSP. De acordo com Kátia, o interesse por este trabalho surgiu da vontade de aprofundar a discussão sobre o distanciamento existente entre avanços teóricos e as práticas desenvolvidas no campo da educação em saúde.

O trabalho de Kátia, orientado pela pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) Simone Monteiro, partiu da análise do projeto Saúde e Drogas: Desenvolvimento e Avaliação de Ações Educativas em Programas Sociais, desenvolvido de fevereiro de 2006 a julho de 2007 pelo Laboratório de Educação em Ambiente e Saúde (Leas) do IOC/Fiocruz, com o apoio do Instituto C&A de Desenvolvimento Social. O público-alvo do projeto foram os educadores de 14 organizações não governamentais que atuavam na educação não formal de adolescentes e jovens no Estado do Rio de Janeiro.

Orientado por uma abordagem qualitativa, que envolveu a análise documental do projeto, entrevistas e observações diretas, o meu estudo analisou a trajetória e as práticas profissionais dos educadores e o contexto institucional, buscando compreender quais foram os significados e práticas produzidos por este grupo de educadores a partir da formação proposta pelo projeto. Para orientar a análise, foram estruturados eixos que tiveram o objetivo de caracterizar as abordagens educativas em relação aos seguintes enfoques: Abordagem problematizadora e Abordagem comportamentalista; Contextualização e Modelos Fechados; Interdisciplinaridade e Tema isolado; Redução de danos e Guerra às Drogas; e Integração/Continuidade de ações e Ação isolada.

katia_mendes_defesa_odonto_boneco_dir.jpA aluna, que atua há mais de dez anos em educação em saúde na Secretaria de Saúde de Petrópolis e na Organização Não Governamental Solidariedade França Brasil, comentou que esta investigação revelou uma apropriação e ressignificação pelos educadores dos conceitos abordados no projeto relativos à educação para autonomia, redução de danos e vulnerabilidade individual, programática e social. As educadoras, que elaboraram de forma coletiva histórias em quadrinhos e um filme como estratégias lúdicas de abordagem da temática das drogas, apontaram que as trajetórias profissionais construídas, ou seja, os diferentes conhecimentos e experiências vivenciadas contribuíram para processos criativos na aproximação com os jovens. E essas trajetórias encontraram um contexto institucional que favoreceu o desenvolvimento das propostas educativas.

Já com relação aos elementos relacionados ao perfil dos educadores que contribuíram para a apropriação de conceitos e o desdobramento das ações do projeto, Kátia destacou como relevantes o grau de motivação, o interesse e o comprometimento com o projeto; a escolaridade do grupo, que inclui investimentos em cursos de especialização e pós-graduação; a experiência anterior relacionada ao tema; a capacidade de elaboração de planos de ação com objetivos claros e factíveis; a flexibilidade para incluir um tema novo em projetos em andamento; a competência para enriquecer e ampliar a proposta com a inclusão de outras referências; e a capacidade de sistematização das ações realizadas.

Além disso, o contexto institucional também foi destacado como fator favorável para os incrementos nas práticas educativas. Eles são expressos pelo incentivo da coordenação para a formação continuada dos profissionais, possibilitando a liberação para a participação no projeto; pela receptividade da equipe para conhecer a proposta de formação trazida pelos educadores formados; pelo grau de relevância dado ao tema e pela abertura para sua inclusão nos projetos institucionais; pela existência de parcerias ou a capacidade de buscar novos parceiros para o desenvolvimento de ações conjuntas e sustentáveis; e pela habilidade para captar recursos humanos e materiais, garantindo assim a continuidade das ações, afirmou Kátia.

A odontóloga disse ainda que está sendo possível aplicar o conhecimento acadêmico na sua prática profissional. O processo de construção desta pesquisa proporcionou um grande crescimento pessoal e profissional. Os eixos norteadores elaborados auxiliam na estruturação, implementação e avaliação de novas propostas educativas sobre saúde focalizando as estratégias e conteúdos utilizados na sensibilização do público-alvo, na compreensão sobre a influência do contexto social e institucional e na elaboração sobre as formas de acompanhamento e sustentabilidade das ações, concluiu.

Nenhum comentário para "Práticas educativas em saúde são abordadas em pesquisa da ENSP"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.