Unesco debate TICs na educação básica da América Latina e Caribe

Publicada em
 
 
 

Os investimentos em Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) voltados para projetos educacionais estão aumentando nos países da América Latina e do Caribe. Países estão investindo milhões de dólares por ano somente em equipamentos. É essencial discutir dentro desse panorama o impacto das TICs na aprendizagem dos estudantes da educação básica. Isto é, pretende-se focalizar a educação que está disponível para todos os estudantes e como estão sendo definidos os currículos obrigatórios de cada país.

Os resultados educacionais obtidos pelos países da America Latina e que foram avaliados e mensurados internacionalmente pela Unescp, LLECE, TIMSS e Pisa não consideram, de forma específica, a intensidade do impacto e potencial das TICs nos processos de educação e aprendizagem. Também é fundamental discutir e desenvolver medidas de acesso, ferramentas e práticas institucionais para que se tenha acesso ao impacto das TICs na aprendizagem, tanto auxiliando na formulação de políticas como na tomada de decisões relacionadas ao compartilhamento do uso das TICs nas salas de aula. Além disso, faz-se importante estimular as pesquisas que auxiliam na identificação de histórias de sucesso e gerar conhecimento e modelos a mobilizar agendas políticas derivadas dessas medidas.

Além do tema do impacto ao acesso as TICs, um segundo ponto crítico é o uso das TICs como uma prática padrão na profissão dos educadores. O assunto relaciona-se à inclusão de Tecnologias da Informação e Comunicação na formação inicial e continuada dos educadores. No momento, os investimentos e o uso das TICs na formação inicial de professores devem estar de acordo com o fato de que o uso de tais tecnologias já é uma prática utilizada pela maioria dos jovens do mundo.

Entretanto, as discussões sobre essas tecnologias como parte do processo de aprofundamento nas mudanças da sociedade e seus impactos educacionais ainda não tem recebido a devida atenção. Por exemplo: muitos estudantes tornaram-se cidadãos digitais enquanto a formação de educadores e as práticas nas salas de aula, em todos os níveis educacionais, permanecem no século XX.

Conferência

É neste contexto que acontece a Conferência Internacional "O Impacto das TICs na Educação, que será promovida nos dias 27 e 28 de abril, em Brasília. A ideia é avaliar o enfoque e as práticas dos usos da TICs e seus impactos na qualidade da educação na América Latina e no Caribe. A iniciativa é da Representação da UNESCO no Brasil, do Escritório Regional de Educação para a América Latina e o Caribe (OREALC/UNESCO Santiago) e da Secretaria de Educação a Distância do Ministério de Educação do Brasil (SEED/MEC) e conta com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Fundação Padre Anchieta, da Dell e da Microsoft. Na ocasião, será lançada uma publicação sobre Padrões de Competência em TICs.

A agenda da TIC é muito ampla, mas tentaremos fazer um debate aprofundado do tema. No entanto, vamos focar em dois aspectos centrais. O primeiro é avaliar o uso da TICs e seus impactos na qualidade da educação na América Latina e no Caribe. O outro diz respeito ao uso das TICs como uma prática na profissão dos educadores. Nossa intenção é promover uma discussão com um olhar de longo prazo para que as proposições apresentadas sirvam de ajuda para as políticas públicas da América Latina, explicou Guilherme Canela, coordenador de comunicação e informação da Unesco Brasil e um dos responsáveis pela organização do evento.

Durante os dois dias de debates, autoridades na área de tecnologias de informação e comunicação de organizações internacionais e da iniciativa privada, educadores e representantes de governos da América Latina discutirão caminhos para acelerar o desenvolvimento em direção à meta de educação para todos e ao longo da vida por meio do uso das TICs nas escolas.

Os especialistas analisarão, entre outras questões, medidas de acesso, ferramentas, práticas institucionais, métodos para formação de professores e de avaliação de impactos das TICs, e contribuam, assim, para a formulação de políticas públicas eficazes relacionadas ao uso dessas ferramentas na educação. Debater as competências docentes e o seu desenvolvimento no contexto das TICs na educação como componente da formação dos professores também está na pauta dos debates.

Como parte da programação, serão realizados dois workshops no dia anterior ao evento, 26 de abril: Inclusão das TICs nas escolas, e Recursos Educacionais Abertos: a construção de um debate internacional sobre políticas públicas. Uma terceira oficina voltada para jornalistas especializados em educação, que irão debater o papel da imprensa na promoção e avaliação das TICs na educação, também está programada para a data.

Para Guilherme Canela, a conferência tem uma importância significativa no sentido de debater, avaliar e propor soluções para o uso da TICs na educação. A conferência pretende discutir e organizar soluções para o uso das TICs na educação. Para isso, é preciso conhecer o panorama do uso pedagógico da tecnologia nessa região. E a consolidação deste conhecimento depende deste tipo de fórum.

Site da conferência

Como parte do diálogo, a organização da conferência criou uma página na internet. Desenvolvido pela ONG Communication Initiative, o site funcionará como um espaço aberto para o diálogo e para a troca de experiências no uso das TICs nos processos educativos. Além disso, reunirá toda a informação relevante sobre o evento: agenda, documentos oficiais, perfis dos palestrantes, novidades e notícias.

Com esta ferramenta, os internautas interessados poderão contribuir para o debate por meio de fóruns de discussões em três idiomas: inglês, português e espanhol. Para acessar as informações e interagir nos fóruns é necessário cadastrar-se previamente no site http://groups.comminit.com/ict4education/pt-br/.

O coordenador de comunicação da Unesco disse também que quem não for ao evento em Brasília poderá acompanhar as atividades em tempo real pela página www.iptvcultura.com.br/ticeducacao. A página estará disponível a partir das 9h do dia 27 e durante toda a Conferência. A transmissão via webcast, viabilizada graças à parceria com a Fundação Padre Anchieta/TV Cultura, significa que as discussões não se encerram nos dois dias de debates que acontecerão em Brasília. As discussões acontecem antes e depois do evento. Através do webcast, os participantes da conferência que não puderem vir à Brasília não só poderão acompanhar a conferência, mas participar ativamente com perguntas, concluiu Guilherme Canela.

Nenhum comentário para "Unesco debate TICs na educação básica da América Latina e Caribe"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.