Painel aborda a experiência brasileira com eventos adversos

Publicada em
 
 
 

Mendes_lide.JPGA segurança do paciente nos hospitais brasileiros foi tema de um dos painéis realizados durante o VII Congresso Brasileiro de Epidemiologia - XVIII Congresso Mundial de Epidemiologia (Epi2008). No painel, o pesquisador da ENSP Walter Mendes abordou a questão dos eventos adversos complicações não-intencionais decorrentes do cuidado prestado pelos profissionais de saúde aos pacientes internados em unidades hospitalares. Estudos recentes apontam que cerca de 10% dos pacientes internados sofrem algum tipo de eventos adversos.

Baseada numa pesquisa realizada no Canadá (Canadian Adverse Events Study CAES), a pesquisa realizada na ENSP utilizou uma amostra aleatória simples de prontuários de pacientes adultos internados no ano de 2003 em dois hospitais públicos, de ensino, localizados na cidade do Rio de Janeiro. Foram excluídos da amostra os pacientes menores de 18 anos, pacientes psiquiátricos e aqueles que permaneceram internados até 24 horas. Numa primeira etapa enfermeiros revisores rastrearam casos com potencial evento adverso.

Mendes_Mendes.jpgAnalisados por médicos, os prontuários rastreados passaram por uma avaliação implícita, estruturada para identificar a ocorrência destes eventos, o momento, o local, a origem e se o mesmo era ou não evitável. A incidência destes eventos nos hospitais estudados foi de 8,8%. Ao todo, 69% dos casos de eventos adversos foram considerados evitáveis. Encontramos nessa pesquisa uma freqüência semelhante a dos países já investigados no resto do mundo. Entretanto, tais números são bem maiores do que na literatura internacional. Isso é um dado extremamente preocupante para nós e indica a necessidade de se avaliar o problema em âmbito nacional, afirmou o pesquisador.

O trabalho foi exposto para uma platéia da área acadêmica e de professores que trabalham na área de gestão. Para Walter Mendes, essa diversidade de público é importante porque podem ser discutidas políticas no sentido de reduzir e evitar que isso aconteça. Além disso, durante o congresso, tivemos contato com pessoas ligadas à World Alliance for Patient Safety programa criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2004 , criando a possibilidade de desdobramento de pesquisa vinculada a esse programa em todo o Brasil e de se desenvolver políticas específicas sobre essa questão, enfatizou.

Nenhum comentário para "Painel aborda a experiência brasileira com eventos adversos"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.