Portal ENSP - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Portal FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz

DENSP - Departamento de Endemias Samuel Pessoa

Rio, 13/12/2019

Projetos de Pesquisa

TítuloAVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA HOSPITALAR AO PACIENTE DE FEBRE HEMORRÁGICA DA DENGUE.

DepartamentoDENSP - Departamento de Endemias Samuel Pessoa

Descrição:O presente trabalho tem o objetivo avaliar a qualidade da assistência hospitalar prestada aos pacientes de febre hemorrágica da dengue e/ou síndrome do choque da dengue (FHD/SCD) em duas capitais brasileiras, São Luís-MA e Manaus-AM, devido à elevada letalidade que vem ocorrendo nos últimos anos. A dengue hoje é a arbovirose mais importante do mundo, particularmente em países tropicais onde a temperatura e a umidade favorecem a proliferação do mosquito vetor. Entre as doenças reemergentes é a que se constitui em problema mais grave de saúde pública (Tauil, 2002). A abundância de reservatórios para proliferação do vetor, decorrente das precárias condições de saneamento, aspectos culturais destes países e a qualidade das ações de controle vetorial tem contribuído para a ocorrência de surtos. O espectro clínico da dengue é muito amplo, variando desde formas assintomáticas ou oligossintomáticas até formas graves e letais. As causas de ocorrência das formas graves ainda não estão plenamente estabelecidas, existindo algumas teorias explicativas relacionadas à maior virulência da cepa de vírus infectante, à seqüência de infecções pelos diferentes sorotipos do agente etiológico, a fatores individuais do hospedeiro e a uma combinação de todas as anteriores (Tauil, Torres). A identificação precoce dos casos de dengue é de vital importância para a tomada de decisões e a implementação de medidas de maneira oportuna, visando principalmente ao controle da doença. A organização dos serviços de saúde, tanto na área de vigilância epidemiológica quanto na prestação de assistência médica, é essencial para reduzir a letalidade das formas graves e conhecer o comportamento da dengue, sobretudo em períodos de epidemia. Nessas situações, é mandatória a efetivação de um plano de contingência que contemple as necessidades de recursos humanos e financeiros e a identificação de unidades de referência (Dengue Diagnóstico e Manejo Clínico, 2005). Para Tauil (2002) as dificuldades para combater o mosquito e reduzir a transmissão da dengue são muitas, por isso, outros aspectos do seu controle precisam ser aprimorados, sendo o primeiro deles à redução da mortalidade específica, tornando possível e factível reduzir a letalidade por febre hemorrágica da dengue (FHD) a valores em torno de 1% . O Programa Nacional de Controle da Dengue instituído em 24 de julho de 2002 tem como um de seus dez componentes a assistência aos pacientes. Este componente tem como objetivo garantir a assistência adequada e, conseqüentemente, reduzir a letalidade das formas graves da doença. Compreendem as ações de organização do serviço, a melhoria na qualidade da assistência e a elaboração de planos de contingência nos estados e municípios para fazer frente ao risco de ocorrência de epidemias de FHD (PNCD, 2002). O aspecto crítico na questão da redução da letalidade diz respeito exclusivamente ao setor saúde. É preciso que cada cidade disponha de um plano estratégico de atendimento aos pacientes suspeitos de dengue, facilitando seu acesso precoce aos serviços de saúde. Estes devem contar com pessoal treinado nos procedimentos para classificar os casos, e nas condutas a serem tomadas segundo sua classificação. É preciso organizar os serviços de referência dos doentes e reservar leitos hospitalares, manter os insumos necessários e pessoal capacitado para o atendimento nos diferentes níveis de complexidade da assistência médica. Além disso, a população deve ser informada da possibilidade de formas graves e até letais da doença, estimulando a busca precoce de assistência médica (Tauil, 2002). Devido às limitações encontradas para classificar os casos de FHD segundo os critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS), será considerado também como caso de FHD neste estudo, os casos de dengue com complicação (DCC), abrangendo desta forma, os casos graves de dengue, que a princípio necessitam de internação e tem potencial para evoluir para óbito.

Grupo de pesquisaAvaliação de situações endêmicas regionais e de seus programas de controle

Linha de pesquisaDETERMINAÇÃO E CONTROLE DE ENDEMIAS

programa de pós graduação

CoordenadorLUCIANO MEDEIROS DE TOLEDO

Subárea de Conhecimento40602001

Ano do início2006    Ano previsto do fim2008

Paticipantes Internos

  • Nenhum participante interno cadastrado

Paticipantes Externos

  • Nenhum participante externo cadastrado

Paticipantes Alunos

  • Nenhum participante aluno cadastrado

Paticipantes Bolsistas

  • Nenhum participante bolsista cadastrado

DENSP - Departamento de Endemias Samuel Pessoa
Rua Leopoldo Bulhões, Nº. 1480, Sala 601, Bairro Manguinhos - Rio de Janeiro/RJ. CEP: 21041-210
Tel.: (21) 2598-2683 - Fax: - E-mail: endemias@ensp.fiocruz.br